Pessoal

A falta que faz…

Quando fechei a porta do apartamento rumo ao aeroporto, você estava sentado no sofá me olhando com seus olhos arregalados depois de eu ter te enchido de beijos, abraçado tão forte e molhado seus pelos com as minhas lágrimas. Eu sei que você não fala, mas só o seu olhar já me desmoronou porque eu sei que você sabia o que estava acontecendo.
Nos dias anteriores, você não desgrudava de mim, me seguia por todo canto, o que deixava a nossa despedida mais difícil. Antes de tomar essa decisão, já tinha me certificado de que você iria ficar em boas mãos e que seria alguém que você gostava, o que me deixava aliviada, saber que essa pessoa também te amava muito e que cuidaria muito bem, que entendia todas as suas frescurinhas e tinha uma voz especial pra falar com você.

Sabe, eu dizia pra todo mundo, como é que vou aguentar ficar sem meu felino? Sem sentir o cheirinho dele, beijar e esmagar… Não foi fácil, mas eu espero que entenda que foi pelo seu bem. Não poderia arriscar te trazer para uma aventura como esta, tão incerta e cheia de mudanças, que eu nem sabia o que seria de mim. Tua saúde já não é tão forte, não poderia arriscar, não poderia mesmo.
Os humanos diziam que parecia que eu só me importava com você e que só iria sentir falta tua, mas é que eles não entendem a nossa ligação. Com eles, eu poderia me comunicar, eles falam e nada que o Skype e mensagens não mate um pouquinho a saudade. Mas e você, pequeno? Eu não teria nenhuma interação, você simplesmente não iria me escrever quando sentisse saudade, ou ligar o computador pra eu te ver. Eu dependeria desses humanos pra ter um pouquinho de você aqui de longe. Não era a mesma coisa, não era mesmo.

Na nossa última noite juntos, tu se enfiou dentro das minhas malas, ficava brincando com tudo que via pela frente, bagunçando tudo que eu já tinha arrumado. E como é que eu tinha coragem de ficar brava? Não tinha.

Já se passaram nove meses, a nossa humana, tua mãe-avó, sempre me manda foto das tuas travessuras e momentos de fofura. Sempre me atualiza com o que está acontecendo com você, as vezes, acho que ela não me conta tudo pra não me ver preocupada e sofrer de longe quando algo tá errado contigo. Ela diz que é difícil cuidar dos seus pelos e unhas sozinha, mas que ela até que está se virando bem, mas aposto que você já estragou mais uma parte do sofá com as tuas unhas afiadas.
Ela também me contou que agora você tomou conta do meu quarto, dorme na minha cama e não deixa ninguem sentar na cadeira do computador, é tudo seu. Que sempre que ela abria a porta, você era o primeiro a entrar, corria e ficava miando por todos os lados.

Eu não sei do futuro, não sei quando posso te buscar ou se um dia vou poder ter você comigo de novo. Mas me espera, que eu ainda vou te esmagar e fazer narizinho como antes.

Eu te amo, Baltazar.
Com amor, da sua mãe-humana.

//You Might Also Like

//16 Comments

  1. gabriela

    maio 20, 2014 at 8:07 pm

    Me mudei de cidade recenetemente e estou com morrendo saudade do meu dog 🙁 Faz muita falta, né?

  2. Thay

    maio 20, 2014 at 9:57 pm

    Ai que lindo que ele é! Sempre quis ter um gatinho pra amar, apertar e encher de beijinhos, mas meu cachorro não se dá com felinos, e eu também não poderia me desfazer do meu poodle manhoso. E, sério, parece que esses bichinhos sabem bem direitinho como nos deixar com o coração apertado de saudades! Dá pra resistir a essa fofura toda? Os olhinhos do Baltazar na última foto, morri de amores! <3

  3. Danieli Barbara

    maio 21, 2014 at 12:15 am

    Ain… que dorzinha no coração me deu ler esse texto. Nesse momento, o meu filho-gato Jorge está deitado no meu braço sobre a mesa e eu tento digitar devagar e com uma mão só para não mexer muito e atrapalhar o seu sono. Minha outra filha-gata está deitada no meu pé…. por isso consigo imaginar a falta que você está sentindo. Beijos,

  4. Clayci

    maio 21, 2014 at 12:30 pm

    Ta liberado se emocionar com a sua publicação? Digo isso porque passei por algo parecido, mas meu final não foi feliz e desejo do fundo do meu coração que vc encontre logo e aperte essa coisa fofa com toda força para matar a saudades, viu?

    Alias muio fofo <3

    Beijos,
    Clay

  5. Anne

    maio 21, 2014 at 12:51 pm

    Ai que triste! Mas que bom que ele está sendo bem cuidado e muito amado!
    Eu tenho três gatos machos e no mês passado encontrei uma fêmea pretinha na rua e levei pra casa, pra ficar como lar temporário, já que eu não tenho espaço pra quatro gatos. Ela ficou comigo só uns 20 dias, aí minha irmã veio na minha casa, se apaixonou pela gatinha e a levou pra casa dela. Sei que a gata não poderia estar com uma pessoa melhor! Mas mesmo assim a separação é difícil. Então imagino como vc esteja se sentindo…
    Fique em paz, ele sabe que vc o ama! Gatos sempre sabem…
    Beijo

  6. Camila Faria

    maio 21, 2014 at 2:11 pm

    Ai Taís, fiquei até emocionada por aqui… Que coisa mais linda e triste. E essa última foto? Meu coração ficou pequenininho…

  7. Georgia Visacri

    maio 21, 2014 at 4:44 pm

    awmmm, que amor! O Baltazar é lindo, Taís!
    Imagino o coração partido, eu ficaria também, mas ainda bem que ele está em ótimas mãos, né?

  8. Brigadeiros e Barcelona

    maio 21, 2014 at 11:56 pm

    Nossa, passei pra conhecer o blog e to aqui chorando horrores. Eu já tive um gatinho e sei muito bem como vc está se sentindo…Eu tb estou de passagem marcada e imagino como seria difícil deixar um bichinho…aiai 🙁
    Bjs,

  9. Aryadne Araújo

    maio 23, 2014 at 8:56 pm

    Que lindo seu Baltazar, Taís! A gente ama esses serzinhos como se fossem humanos, né? Não sei o que seria de mim longe do meu gordinho! <3 Mas ó, força daí que o Baltazar tá mó bem com a humana de vocês.
    Beijoos!

  10. Paula A.

    maio 26, 2014 at 7:08 pm

    Ninja cortadores de cebola atacaram esse post :~
    Entendo totalmente sua posição de não levá-lo junto, ainda mais com tanta incerteza. Sendo mamãe de 4 gatinhos, sei exatamente do que você está falando – cogitei deixar 2 pra trás e trazer só 2 comigo, mas só esse pensamento me fez chorar MUITO e destruiu meu coração.

    Que bom que você tem alguém de confiança, que conhece, ama e cuida do pequeno como se fosse você, isso deixa as coisas um pouquinho menos doloridas, acho.

    Espero que você possa abraçar essa bolotinha de pelos em breve <3333

  11. lilian alipio

    maio 27, 2014 at 8:40 pm

    muita coragem poxa tão triste fica longe de um filho-gato :/

  12. Anônimo

    junho 17, 2014 at 1:06 am

    Nossa estou chorando aqui! Tenho gatos e imagino o que vc está passando.

  13. Alessandra

    novembro 1, 2014 at 1:13 pm

    Ai que dó!!! Imagino a saudade que vc está sentindo! Não consigo imaginar viver longe das minhas bebês, por isso enfrentei todas as dificuldades, mas trouxe elas junto comigo. Sua situação é bem diferente da minha, então entendo o quanto essa decisão deve ter sido difícil pra vc. Chorandinho master do lado de cá…

  14. TAG: Meu animal de estimação – Nýr Dagur

    outubro 2, 2016 at 4:35 pm

    […] Não sei se todo mundo sabe, mas algumas pessoas me perguntam sobre isso – O Baltazar não veio comigo pra Irlanda e ele ainda está no Brasil. Quem toma conta dele é minha mãe, que o ama tanto quanto eu, e como disse, Baltazar também a ama e por isso soube que ele estava em boas mãos. Ficar longe dele não é fácil e já falei sobre isso nesse post aqui. […]

//Leave a Reply