Ano novo em Reykjavík, Islândia

São várias as experiências que eu gostaria de viver em terras islandesas. E passar a virada do ano na capital Reykjavík, era definitivamente uma delas.

Agora, se você me perguntar o por que exatamente, não vou saber responder. Na verdade, é um conjunto de fatores, eu diria. Talvez, seja pelo amor gigantesco por esse lugar e por ter passado todos esses anos sempre assistindo aos vídeos da festa toda. Reykjavík é uma das melhores cidades pra se passar o ano novo na Europa, isso porque não existe nenhum evento oficial da cidade, é tudo feito pelos moradores (os islandeses vão a loucura). O que torna a coisa toda mais especial ainda, na minha opinião. E eu sempre quis estar lá, no meio daquilo tudo.

Não tirei muitas fotos, nem sai com a minha câmera pra falar a verdade, só com o celular e a gopro. No final das contas fiz poucos registros, mas o que queria compartilhar mesmo é sobre como foi essa experiência de ter passado a virada de ano na Islândia e também, dar algumas dicas.

Processed with VSCO with a6 preset

A tradição islandesa pro ano novo é se reunir com a família pra jantar e depois disso (entre 20h-20h30) ir ver as fogueiras. É uma tradição deles fazerem enormes fogueiras por toda cidade, as próprias famílias se juntam para acendê-las. São no total 10 fogueiras espalhadas em Reykjavík e dá pra pegar o endereço delas por aqui.

Só que acabei não vendo nenhuma dessas fogueiras. No dia 31 passamos o dia dirigindo pelo interior do país e quando voltamos pra cidade já era por volta de umas 7 horas. E no caminho, bateu aquele desespero porque esquecemos completamente um fator muito importante: o que vamos comer?  Já que muitos estabelecimentos fecham cedo, supermercados, restaurantes..etc.

Por muita sorte, o Kaffi Vinyl, que aparentemente é o único lugar que é completamente vegano em Reykavík, ainda estava servindo aquela hora. Comemos uns lanches muito bons lá, o preço é salgadinho (como quase tudo na Islândia), mas valeu a pena. Depois corremos pra casa pra se arrumar e sair de novo, mas daí já era bem mais tarde. Uma pena, já que ver uma fogueira enorme seria interessante pra aquecer do friozão que estava fazendo.

Então dica número 1: se programe. As coisas vão fechar cedo, então já é bom estocar comida ou planejar seu jantar de ano novo em algum lugar com antecedência. O nosso foi na sorte.

olafsjordur-copy1
Créditos: Iceland Unlimited

Assim que escurece você já vai começar a ver e ouvir alguns fogos. Mas depois das fogueiras, tudo fica mais calmo, porque os islandeses voltam pra casa pra mais outra tradição de ano novo: assitir ao Áramótaskaupið. Esse é um programa anual que é exibido no último dia do ano, um pouco antes da meia noite. Eles fazem uma retrospectiva com os acontecimentos do ano de uma forma cômica. Depois que o programa acaba, aí amigos, é uma loucura!

Reykjavík fica parecendo uma zona de guerra com o tanto de fogos de artifício. Já vi até que recomendam sair usando máscara porque a poluição que fica na cidade por conta dos fogos é alta. E realmente, chega uma hora que a cidade fica tomada por uma fumaça, é bizarro de ver!

No centro da cidade a galera se reúne em frente a Hallgrímskirkja, a igreja principal. Chegamos por lá por volta de umas 10 se não engano e tinha já um pessoal todo preparado (a grande maioria turistas). Ficamos um pouco vendo a movimentação, tinha gente soltando uns fogos aqui e ali. Mas a verdade é que tava muito frio pra ficar lá de bobeira, nosso plano não era ver os fogos de lá, só que eu queria passar nessa região do centro também pra ver todo o clima por ali.

Então dica número 2: vai estar frio pra caramba, se prepare pra isso também. Não precisa nem dizer que tem que ir bem agasalhado, se você estiver indo pra Islândia no inverno, muito provável que você já vá sabendo disso eu espero, né? Se você for mais cedo pra Hallgrímskirkja, leve uma bebida quente com você, um cobertorzinho, uma cadeirinha pra sentar. Qualquer coisa que torne sua espera mais confortável.

IMG9662-700x467
Hallgrímskirkja – créditos: Unlocking Kiki

Andamos um pouco nos arredores da igreja e das ruas principais do centro, só que não por muito tempo. O frio começou a doer, começou a me incomodar, como eu estava doente (me dava muita tosse), era sinal pra ir correndo pro carro se esquentar e já seguir pra onde de fato assistiríamos todo o show de fogos.

Passar a virada na Hallgrímskirkja com certeza deve ser legal, é lá que fica a maior movimentação e a atmosfera dever ser contagiante, apesar do caos daquele monte de gente soltando fogos enlouquecidamente (eu fico muito apreensiva com essas coisas, porque né, pode ser perigoso). Mas o melhor lugar mesmo pra curtir a queima de fogos na calma é lá no Öskjuhlíð hill, onde fica o Perlan museum. No topo do museu também fica um restaurante com uma vista privilegiada pra cidade e muita gente reserva o jantar da virada por lá, pra ver toda a festa do quentinho. Fica aí a dica, deve ser maravilhoso e bem caro também. Nóis que é pobre, passa frio mesmo!

Existem tours de ano novo que te levam lá no morro (se eu não me engano alguns incluem parar em uma das fogueiras que citei aí em cima). Como estávamos com o carro, foi uma mão na roda pra isso também, só é meio chatinho pra achar um lugar pra estacionar, ainda mais que chegamos meio que já em cima da hora, porque ficamos lá vendo o que tava rolando no centro.

Então dica número 3: se não tiver um carro, se programe pra fazer um dos tours, ou ver se tem algum outro ônibus que te leve até o Perlan. Eu sinceramente não sei quais são os valores desses tours pra passar aqui. Outra alternativa seria ir andando até lá. Do centro de Reykjavík até o Perlan (dependendo da sua localização) pode ser que seja entre 20-30 minutos andando. É uma caminhada possível, mas leve em consideração o frio e talvez as condições climáticas. Se for ir caminhado, se programe pra ir na calma.

927237_959060930838383_1364206720_n-700x593
Créditos: Unlocking Kiki

A última vez que vi uma virada de ano com queima de fogos foi em 2012, lá no Brasil (aqui na Irlanda não tem essas coisas). Mas, todas as vezes que vi queima de fogos foi da perspectiva do chão. E ter ido lá no morríneo, com vista pra cidade inteira de Reykjavík, vendo aquele display todo dos fogos de uma visão de cima, foi muito único, sensacional mesmo!

Eu achei que só na direção que está o centro de Reykjavík é que ficaria toda a concentração de fogos. Mas engano meu! A cidade INTEIRA foi tomada por milhaaaaaaaaares de fogos, milhares mesmo! Surreal. É lindo demais de ver, emocionante. Seria melhor ainda se fogos de artifício não tivessem um som tão alto, tão bonitos, mas com um barulho infernal (ainda mais pros bichinhos).

Foi a virada de ano mais gelada de toda a minha vida. A temperatura estava abaixo dos 6 graus negativos, eu estava muito doente e consequentemente não consegui ficar muito tempo exposta ao frio, mas foi a melhor virada de ano que já passei. Ainda mais com aquele gostinho de sonho realizado. Sem palavras! ♥

fireworks-over-reykjavik-on-new-years-eve-1
Créditos: Guide to Iceland

Depois da queima de fogos, normalmente as pessoas seguem para festas particulares, bares etc. Mas não sei dizer quais bares no centro estão abertos. Acredito que o mais comum mesmo é terem essas festas privadas, daí teria que pesquisar e se programar também, quem tiver interesse.

No meu caso, voltamos ~pra casa~ pra assistir Black Mirror (hehehe). Tínhamos umas bebidas, mas por causa dos meus remedios nem pude me deliciar nas cervejas islandesas.

E então, aqui vai dica número 4: beber na Islândia é muito caro, olha que moro na Irlanda e aqui também é caro, mas a Islândia é campeã nesse quesito. Se você quiser sim ter umas bebidinhas alcoólicas (ainda mais pro ano novo), mas não quer deixar uma fortuna por isso, compre suas bebidas no Duty-free do aeroporto. Todo mundo que viaja pra Islândia já entra nesse esquema porque é o melhor esquema, simples assim. haha

Espero ter a oportunidade de passar outras viradas de ano em Reykjavík, sem estar doente de preferência, e assim, aproveitar ainda mais essa festa toda por lá. ♥

>>> Vocês gostariam de passar um ano novo gelado em terras islandesas? Qual foi a melhor virada de ano que vocês já passaram?

Comments

  1. Eu não fazia ideia de que ano novo era grande na Islândia, que legal!! Eu babei muito nas suas fotos de viagem. Já quero muito ir pra lá no inverno. Quem sabe num ano novo, né nooom? Beijos!

    • Ano novo na Islândia é maior fervo, Gabi.. festona (gelada!) haha
      E vai sim pra lá, curte o ano novo, as paisagens lindas de inverno e de quebra ainda tem chance de ver a Aurora Boreal!
      Beijos :*

  2. As primeiras fotos são suas Taís? Nossa ficaram ótimas!

    Adorei as dicas, queria muito poder assistir aos fogos sentada numa cadeirinha com cobertor e tomando um chocolate quente ♥ quem sabe um dia né?!

    • Oi Claudia, são sim! As primeiras fotos que não têm os ”créditos” embaixo da foto foram tiradas por mim, com o celular mesmo. haha que bom que gostou <3
      Siim, torcendo pra você viver uma experiência assim, quem sabe vamos as duas, com um chocolate quente bem bom assistir aos fogos!haha ^^

  3. Deve ser a coisa mais linda essa visão dos fogos de cima Taís! E essa dica de levar a bebidinha quente (+ uma cadeirinha, se possível) foi maravilhosa. Queria muito!

    • É sim, Cá.. fiquei muito encantada! E que bom que gostou da dica, deve ajudar bastante na espera pelos fogos haha 🙂

  4. Oi!
    Respondendo logo a sua pergunta: Eu acho que sim, que ia gostar bastante de passar o ano novo em um lugar diferente. Eu amo passar o ano novo com meus amigos, na igreja, mas super toparia uma experiência nova assim. Beijão!

    http://belsantanna.com/

  5. Deve ser uma experiência incrível. Estou me planejando para conhecer a islândia mas ainda não decidi o período. Agora já tô cogitando reveillon rs! Ficou linda essa última foto, deve ser uma energia muito boa passar a virada lá 🙂

  6. Que demais! Aqui onde moro tem a tradicional queima de fogos mas morro de dó dos bichinhos e fico nervosa com o barulho. Se fossem silenciosos eu amaria demais porque é muito lindo! Feliz ano novo ♥

  7. Nossa, nao fazia ideia de que os islandeses sao tao vida loka para os fogos, achei muito engraçado… um pouco perigoso também, mas interessante hahaha!
    A melhor queima de fogos que já vi foi lá na minha cidade natal Jundiaí-SP, onde um vizinho dos meus primos faz uma queima de fogos de 15 minutos na praça do bairro todos os anos! Imagina, o senhorzinho compra todos os fogos e explode tudo para os vizinhos verem. Foi muito legal! E muito melhor que muita virada do ano “oficial” que já vi de várias cidades haha

    Aqui em Tallinn também estava muito frio mas imagino que na Islândia estava pior. Acho que ano que vem quero virar o ano no verao 😀

    • hahhaa melhor definição, são tudo vida loka mesmo com esses fogos xD
      E que legal saber do seu ano novo em Jundiai, fiquei imaginando aqui o senhorzinho fazendo isso haha que bonitinho.
      🙂

  8. Eu nunca imaginei que o ano novo na Islândia fosse tão encantador! Estou apaixonada! Já coloquei esse item na minha bucket list.
    Conheci o blog ha pouco e estou adorando, beijos!

  9. O meu ano novo também foi no frio! Passei na Georgia, no sul dos EUA, e estava um frio congelante! Percebi as diferenças de comemorar o ano novo por lá, que é bem mais “comportado” que o nosso aqui no Brasil. Quase não tem fogos, e o pessoal faz festas particulares (principalmente os jovens). Também escolhemos comer num restaurante, o que eu achei mais legal, porque poupa aquele tempão fazendo a ceia. Adorei os detalhes do ano novo na Islândia, com certeza passaria lá (porém teria que me preparar psicologicamente para o frio com muita roupa têrmica!).

    • Sua virada de ano parece ter sido bem legal também, Ana.. e fria! haha
      Realmente ir comer em algum lugar é uma boa ideia pra não perder tempo na cozinha 🙂
      E passar essa época do ano em lugares tão frios assim requer mesmo uma roupa terminca boa pra aguentar o gelo! haha
      🙂

  10. Nossa, Ta, eu nem imaginava que lá tinha uma das viradas mais legais da Europa, nunca iria dizer que eles tem todo um preparo e cuidado, que tem essa coisa bem local, que amorzinho. Esse post ficou super cheio de informações e curiosidades, bem bacana (e acho que vai ajudar muita gente que tá procurando por isso). O frio deve ser muiiito intenso, né? Tem momentos que chega a incomodar mesmo, aí complica um pouco.


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    • O ano novo lá é tão legal, Thay 🙂
      E realmente, pode incomodar bastante se não tiver com as roupas adequadas, ou no meu caso também que eu estava muito doente e o vento gelado me fazia tossir muito 🙁

  11. Chegando aqui pela dica da Mel e estou encantada com esse relato! Jamais passei uma virada de ano fora do Brasil, e acho que não saberia nem como me comportar, hahaha, gosto demais do nosso estilo tropical de festejar o ano novo.

    Mas a ideia toda me pareceu tão exótica, que até bateu vontade!

    Beijos e feliz ano novo!

    • Olá, Thais.. seja bem vinda por aqui! 🙂 Espero que volte mais vezes.
      Fiquei feliz que você gostou do relato. E pois é, é diferente de com passamos no Brasil, mas é bem legal e vale a pena ir viver essas experiências diferentes também.
      Beijo e feliz 2018 pra vc tb :*

  12. Gente, não sabia desses babados dos fogos! hahaha Eu acho lindo, mas entro em pânico por causa do barulho que é insuportável! Você já foi para a Islândia no verão? Deve ser muito lindo lá, eu acho que não aguentaria ir no inverno não viu.. Imagino que seja único, mas sou muito friorenta…

    bjão!

    • Ainda não, Bia! Só fui pra lá no inverno mesmo, mas quero muito ir no verão também. No inverno é muito unico mesmo, com as roupas certinhas dá pra aproveitar de uma forma melhor sim 🙂
      Beijos :*

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

© 2018 Nýr Dagur · by MinimaDesign