Aprendendo polonês: o início

Uczę się polskiego! ♥
(Eu estou aprendendo polonês!)

Você já deve ter ouvido por aí a seguinte frase: ”a vida é muito curta para aprender Alemão”. O que me faz pensar que daria para usar também em relação a língua polonesa (risos nervosos haha). Obviamente, essas duas línguas apesar de serem difíceis, não beiram o impossível. E o fato delas terem aí seu nível de dificuldade, pelo menos para nós nativos de uma língua latina,  faz com que elas se tornem muito interessantes ao meu ver.

Desde o ano passado eu estou tentando aprender a língua polonesa de uma forma mais informal,  estudando coisas bem básicas de vocabulário. No final de 2017 peguei pra estudar de uma forma um pouco mais séria, mesmo que sozinha, com um livro e pela internet. Aí agora nesse fim de ano, estou oficialmente tendo aulas de polonês e achei interessante vir aqui no blog contar como está sendo essa experiência de descobrir esse novo idioma (que eu particularmente acho muito bonito).

E aqui vão algumas informações e curiosidades sobre a língua polonesa. E também meu processo de aprendizado.

O polonês faz parte das línguas eslavas e se aproxima mais de línguas como o tcheco e o eslovaco. Numa forma geral, as línguas eslavas são divididas em: Ocidentais (polonês, tcheco e eslovaco), Orientais (russo, bielo-russo e ucraniano) e Meridionais (búlgaro, croata, esloveno, macedônio, servo-croata, bósnio e montenegrino).

E quando estive viajando pelos Balcãs no verão do ano passado, pude entender algumas palavrinhas básicas que eram parecidas entre o croata e o polonês, já que  por fazerem parte desse  mesmo grupo de línguas eslavas, elas têm algumas semelhanças entre si. O que deixou essa experiência de aprender polonês ainda mais interessante, visto que você acaba entendendo por tabela algumas coisas de outras línguas do mesmo grupo, como acontece com a gente entre as línguas latinas.

A língua polonesa está entre uma das mais difíceis de se aprender, por causa das suas declinações e etc. Não existem artigos, o que me deixou um pouco confusa no começo, mas em compensação existem 7 casos gramaticais (nominativo, instrumetal, genitivo, dativo, acusativo, locativo e vocativo) e são toooodos usados. Misericordia! Mas depois que soube que idiomas como o estoniano (14 casos), finlandês (15 casos) e o húngaro (18 casos) têm mais, eu até que achei o polonês de boouas. Vamos rir pra não chorar, né? Isso significa que uma palavra tem suas muitas formas  dependendo do caso, de quem fala, plural, gênero etc.

E inclusive nomes próprios também mudam. Um exemplo, seu nome é Łukasz (nominativo), mas aí com suas variações, o  Łukasz vai ser chamado:  Łukasza (acusativo), Łukaszowi (dativo), Łukasza (genitivo),  Łukaszu (locativo), Łukaszem (instrumental) e Łukaszu (vocativo). No caso do meu nome, como é um nome estrangeiro, vai ter sempre a mesma forma. Ufa! haha

Poesia nas ruas de Poznań

Ah, a língua polonesa tem 3 gêneros: masculino, feminino e neutro. E pra desgraçar nossa cabeça um pouquinho mais quando a gente tá no comecinho dessa jornada, te falam que existem 17 formas de se falar o número 2. E sim, todas essas formas são usadas. DEZESSETE formas, socorro. E são elas: 1. dwa 2. dwie 3. dwoje 4. dwóch (ou dwu) 5. dwaj 6. dwiema 7. dwom (ou dwóm) 8. dwoma 9. dwojga 10. dwojgu 11. dwojgiem 12. dwójka 13. dwójki 14. dwójkę 15. dwójką 16. dwójce 17. dwójko.

O bom é que o polonês usa o alfabeto latino, maaaas (claro que tem que ter um mas), tem alguns símbolos diferentes, tipo esses aqui: ą – ć – ę – ł – ń – ó – ś – ź – ż. Outra curiosidade do idioma, é que eles fazem também combinações de duas letras e elas têm sons específicos quando estão assim juntinhas, como o cz, dz, sz, ch, ci, dzi, dź, dż, ni, si, rz e o zi.

A pronuncia das palavras para nós nativos de português, até que não é tão difícil assim como eu imaginava. Tem vários sons parecidos, que uma pessoa que fala português consegue reproduzir sem grandes problemas. E isso vejo claramente a diferença entre eu e meus colegas de classe que são nativos de inglês e que têm muita dificuldade de pronunciar certas palavras. Outra coisa super interessante do polonês é o fato de que TODAS as letras precisam ser claramente pronunciadas, você tem que ouvir cada uma das letrinhas. Por exemplo, o nome Anna. Nós vamos falar Ana, com um N só, né? Em polonês, você vai ler isso assim: ANENA (quase cai dura quando soube haha). Porque esse primeiro N não é de enfeite, ele tem que ser falado também.

Polonês não é uma língua óbvia pra gente, que só de olhar vai ser fácil pronunciar. Rua é ulica e a pronuncia é ”ulitsa”.

Uma das minhas grandes surpresas aprendendo esse idioma, foi que existem varias palavras muito semelhantes com o português, seja a pronuncia ou a escrita. Eu nunca imaginaria isso e sempre que me deparo com palavras assim, vou anotando tudo. Alguns exemplos: gratis, oferta, firma, serio, sala, bluza, cebula, dentysta, nowa, mimika, florysta, taryfa, bomba (..). Mesmo com diferenças ortográficas, eu não preciso traduzir essas palavras, dá pra entender o significado. O que faz com que o polonês não seja esse bicho de sete cabeças (talvez 6? haha), já que dá pra entender essas e outras palavrinhas no meio daqueles palavrões todos.

O fascinante de aprender um novo idioma pra mim, é essa coisa de aprender também a cultura de um determinado povo. Nossa linguagem é a nossa identidade e acho o máximo quando no meio da aula nos deparamos com algumas diferenças culturais, mesmo não estando falando diretamente sobre isso. Os poloneses não costumam fazer ~small talks~, na grande maioria dos casos eles não vão começar a falar sobre o tempo com um estranho no elevador. Ou perguntar coisas um pouco mais ”íntimas” pra uma pessoa que eles não conhecem ou acabaram de conhecer.

E foi super engraçado quando um dos meus colegas perguntou pra professora como se perguntava sobre a profissão de alguém, onde a pessoa trabalhava e tals. E a resposta automatica dela foi ”mas nós não perguntamos isso”.  E dai ela explicou que existem jeitos de  se perguntar isso que não seja tão invasivo, porque você não vai simplesmente chegar perguntando pra alguém que você acabou de conhecer. Chegamos a comentar entre os alunos como pra gente seria algo normal, você tá conhecendo a pessoa e tals e pergunta coisas da profissão. Mas aparentemente são casos e casos.

Eu comecei a aprender palavras soltas com os próprios poloneses. Comecei a fazer algumas aulas no Duolingo, pra ter esse primeiro contato e revisar coisas, ia anotando tudo no meu caderninho e sempre ficava lendo. Depois disso comecei a estudar com um livro (em inglês) e flashcards, o que foi ótimo pra aumentar meu vocabulário, entender um pouco algumas coisas de gramática e também a pronuncia. Confesso que não era muito disciplinada estudando sozinha, não consegui manter uma rotina de aprendizados. Como disse, polonês não é uma língua tão óbvia assim e senti que seria interessante pra mim ter uma professora pra me ensinar. Ter uma motivação a mais, do que só eu  tentando aprender sozinha.

Foi uma escolha muito certeira começar a fazer essas aulas. Faço com o departamento de estudos russos e eslavônicos da TCD. A minha professora é maravilhosa e eu amo muito as aulas, com certeza me deu um incentivo enorme de estudar a língua, muito mais de quando eu estava estudando por conta própria.

Minha turma é pequena, somos apenas em 7 alunos. Sou a única brasileira, tem uma americana, uma ucraniana e o resto são irlandeses. Eles também fazem eventos entre os estudantes de polonês, com noites de filmes poloneses e também interação com estudantes das outras línguas eslavas. Fora que o consulado polonês aqui de Dublin também manda uns mimos, como esse livrinho com informações sobre a Polônia, aspectos culturais, as cidades, etc. Muuuito legal!

Nas primeiras aulas eu pude revisar bastante coisa que eu já tinha visto sozinha. Fiquei impressionada que eu lembrava de muito mais coisa do que eu imaginava. E semana passada, tivemos nossa primeira prova, quando batemos nosso 1 mês de aula. A professora queria ver como estávamos indo e o que tínhamos absorvido durante esse primeiro mês –  vale ressaltar que, minha nossa, aprendemos muitas coisas. A aula é bem intensa, a gente nem respira direito (no bom sentido da coisa). Eu fui a única que tirou 100% na prova e fiquei chocada, eu não esperava mesmo esse resultado. Não errei nadinha! Fiquei muito orgulhosa de mim, não vou negar. Isso pra mim é uma super conquista pessoal, visto a dificuldade da língua.

Durante as aulas a professora fala em inglês, mas conforme vai passando as semanas ela vai falando mais e mais em polonês com a gente. Em situações como as instruções pra lição de casa, atividades na aula, a direcionar grupinhos etc. É muito legal ver que conforme ela vai aumentando a dose, mais a gente vai entendendo as coisas e também conforme vamos aprendendo mais palavras.

Como estou aprendendo polonês pelo inglês, faço todas as minhas anotações e sigo meu raciocínio pra entender as coisas também tudo pelo inglês. Prefiro assim, pra não ficar uma bagunça de 3 línguas se eu misturar anotações em PT. O engraçado disso é que, me pego esquecendo que várias coisinhas são como no português.

Como por exemplo, no dia que a professora estava explicando sobre como você pergunta e responde sobre sua idade. E ela foi falando que em polonês a tradução literal pro inglês do “mam 27 lat” (eu tenho 27 anos) seria ”I have 27 years”, o que no inglês é errado porque o correto é ”I’m 27 years old”.  E explicou que no polonês a forma de se falar é assim, de se ter anos. Se formos falar como no inglês, a resposta em polonês traduzindo literalmente seria ”jestem 27 lat” (jestem = eu sou) que é errado. E eu fiquei noooossa, que diferente né. Aí quando cheguei em casa que parei pra pensar que no português é assim também. Olhas os micos. Então tá aí um erro comum não só de brasileiros, mas também de poloneses que é falar o ”I have x years” quando estão aprendendo inglês, por causa da maneira que se é falado nas suas respectivas línguas nativas.

Os livros que eu uso: o Polish Doesn’t Bite eu uso pra estudar sozinha, as instruções são em inglês, o que facilita o aprendizado sem a orientação de um professor. Já o Hurra!!! Po Polsku eu uso em sala de aula, ele é todo em polonês e ele é melhor pra essa finalidade, não pra se estudar por conta própria.

Tirando isso, também uso uns flashcards pra dar uma revisada (faz tempo que não uso o duolingo) e também, ouço músicas em polonês todos os dias. E quando vou assistir alguma coisa em inglês, eu coloco a legenda em polonês pra ir me acostumando com a escrita, fora que também acabo aprendendo palavras novas.
(ahh, e também estudo a distância com a Katarina via whatsapp haha, vamos trocando informações e ajudando uma a outra♥)

Mesmo sendo uma língua difícil eu estou me divertindo bastante e amando aprender. Eu amo idiomas e pra mim é uma satisfação enorme poder aprender uma língua nova, um universo totalmente novo.

Vamos ver como estarei me saindo daqui 1 ano. Não vou estar fluente nem nada, mas pra mim já vai ser incrível poder ter nem que seja um mínimo de conversa em polonês. Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

E vocês, curtem também aprender novas línguas?

Comments

  1. Taís que coragem! haha precisa de muita força de vontade pra aprender uma língua tão diferente assim. O que é realmente um conforto, é saber que existem línguas mais difíceis rs

    Eu sou péssima pra aprender outras línguas. Na escola, eu sempre achava que tinha entendido a matéria de inglês, mas na hora da prova era uma decepção haha

  2. Me abraça aqui! Compartilho de todas as angústias de aprender uma língua eslava, os raios das declinações, todas as conjugações de verbos, algumas palavras iguais ou parecidas com português, a facilidade da pronúncia que às vezes é ruim porque o povo pensa que eu falo ucraniano e começa a falar um monte de coisa e eu não entendo nada hhahahha E é realmente completamente diferente e melhor aprender com um professor pq essas línguas são muito complexas pra gente aprender por conta própria. Não sei se no polonês tem as 50 zilhões de variações do verbo ir que dá vontade de chorar em posição fetal e eu sempre penso “eu só quero dizer que eu vou…”. Enfim, hoje posso dizer que eu falo ucraniano MUITO MAL, mas falo. Então, é possível, siga estudando. Beijos.

    • Já tô abraçando, Alê <3 hahaha
      E obrigada pela força! Realmente são linguas complexas e ter um professor pra nos auxiliar é ótimo!
      Essa coisa da gente conseguir produzir uma pronuncia boa tb é uma cilada, quando tô na polonia e falo as coisas que eu sei, a pessoa desembesta a falar comigo em polones achando que eu sei falar hahahha as vezes eu prefiro falar em ingles já logo de cara viu hahaa
      beijos :*

  3. Taís, sua maravilhosa ~ e corajosa! Chorei pensando na dificuldade de aprender essa língua. Mas que coisa linda esse desafio, esse contato com uma cultura tão bonita… Parabéns pela iniciativa. Eu já quis me aventurar no russo, mas acho que também precisaria do incentivo de um professor/professora, do convívio com outros alunos, dessa troca. Sozinho a gente consegue ir até uma parte, mas acho que esse contato com uma pessoa “nativa” é sempre muito bom.

    • Foi o que eu senti, Cá.. que eu consegui ir até um certo ponto, mas eu tava sentindo essa falta de ter uma troca, de ter mais convívio. Tem certas linguas que a gente vai longe estudando sozinho, mas tem umas que… bem, são mais complicadas hahaha

  4. Amei. De verdade!! E que engraçado o que você disse porque eu quero aprender alemão, então vamos dar as mãos e rezar para dar tudo certo kkkkk com esses bichos de 14 cabeças (juntos).
    Parabéns pelo 100% na aula, dá um orgulho muito gostoso né?
    Menina, a gente tem mania de comparar todo novo idioma com inglês (acho que não sou a única né?) e fica “nossa mas é diferente isso”, e quando vai ver, é igual ao português mesmo kkkk
    E se a gente sabe essa que é a segunda língua mais difícil do mundo (português perde apenas para mandarim), o que vier vai ser fichinha u.u
    Continue motivada e siga nessa! Aprender novos idiomas faz muito bem ao cérebro em todos os aspectos da vida, porque cria novos caminhos neurais que vão nos ajudar na resolução de problemas e alternativas que a gente não cogitaria sem esse “treino fit” do cérebro haha <3
    Mil beijos!!!
    Com carinho, Beca;

    • Ahh obrigada pelo incentivo, Beca!
      Realmente, é um baita de um treino fit pro nosso cérebro e já li como isso é importante pra gente. Até pra pessoais de mais idade, aprender uma nova língua é um estimulo ótimo que nos ajuda também em outras aspectos da vida.
      🙂

  5. Taís, estou escrevendo um post exatamente sobre estudar estoniano 😀
    Te entendo completamente, ambos idiomas sao muito dificeis mas é super legal quando a gente consegue entender algo que leu na rua (ou memes, haha) e consegue se comunicar com alguém né? Ultimamente tenho “conversado” bastante com a avó do Kris, eu falo tudo errado mas ela me entende, haha, mas é muito gostoso aprender algo novo <3
    Bons estudos para nós! 🙂

    • Awwnn que amor! <3
      Eu vou adorar ler sobre seus estudos de estoniano, Ana... publica esse post logo! hahaha
      E boa sorte pra gente mesmo nessa jornada com esses idiomas mucho lokos xD

  6. Uau! Moça você é cheia de “interessânssias” haha (ó que legal inventar uma palavra e você entender o sentido)

    Realmente é desafiador aprender uma língua de origem tão distante da nossa. E mais legal ainda é acompanhar isso da sua parte, e perceber daqui que não é só uma questão de idioma, mas também comportamental – o modo como as pessoas não só verbalizam, mas o que elas têm intenção de dizer, como no exemplo de perguntas íntimas para pessoas não muito conhecidas. Engraçado saber disso! Beijo!

    • Só tentando pra saber, Bruna! E vendo qual metodo te faz ficar motivada ou que seja mais eficiente pra vc aprender uma lingua nova 🙂

  7. Caramba parece ser tão difícil! Mas foco porque o polonês realmente é uma língua muito bonita ♥ Eu achei muito legal que todas as letras são pronunciadas, caramba imagina meu nome? Ia ser um tempão pra aprender em todos os casos gramaticais :O

    • Eu acho que o seu nome tem uma outra versão em polones, acho que ”stefa” ou ”stefania” mas posso estar enganada hahaha

  8. Menina, parabéns! Eu acho polonês um absurdo hahaha.. tão absurdo quanto o alemão. E devo confessar que não acho bonito, acho meio rádio emperrado chiando hahaha.. mas acho CHIQUE gente que fala língua difícil, seja ela qual for. Lá nos idos de mil novecentos e saca rolha eu tive um namorado polonês, e mesmo apaixonada não conseguia achar o som belo, mas achava chiquérrimo ele falando mal de mim na minha frente hahaha.. brinks. Minhas palavras favoritas eram musyka, ketchupo e SERIO?!?!?! Hahaha.. Boa sorte, que você siga evoluindo muito!!

    • hahahaha ri muito aqui com seu comentário Gabi!
      Eu acho esse chiadinho da língua polonesa um charme, mas eu tb tiro o sarro haha
      E obrigada pela força! <3

  9. Ahhh que maravilhosa você!! Nossa, eu não sei nadinha sobre essas línguas e sempre rola esse sentimento de serem coisa de outro mundo, ahaha. Eu comecei a aprender francês no duolingo e tem me ajudado bastante, mas ainda quero começar um curso presencial pra poder ter mais contato e conversação né?
    Gostei muito da ideia do consulado polonês de enviar esses “mimos”, ahaha. Um amor! <3
    Boa sorte pra você com o polonês, mas tenho certeza que daqui um ano vai arrasar ainda mais 🙂

    Um beijo,
    Rê | https://rivieredusouvenir.blogspot.com/

    • Muito obrigada pelo incentivo, Renata! Espero mesmo que daqui 1 anos eu consiga notar grandes resultados.
      E boa sorte com o francês tb 🙂

  10. Aprender uma nova língua é muito legal. É uma das experiências que eu mais gosto, apesar de exigir bastante trabalho, dedicação e motivação. Eu me formei no inglês em 2015, e depois em 2017 comecei o francês. Estou no terceiro semestre agora, e curto muito as aulas, eu realmente adoro embarcar em outra cultura.
    Porém, confesso que tenho uma dificuldade grande. Acho dificil estabelecer uma conversa, os verbos, e às vezes fico meio triste que os meus colegas de turma já estão bem mais avançados. Mas seguimos, eu curto muito o processo de aprendizado mesmo assim.
    Boa sorte e uma jornada incrível com o polonês!

    • Muito obrigada, Ana! 🙂 E desejo o mesmo na sua jornada em francês.
      Essa coisa de aprender uma língua nova é muito particular, cada um tem um ritmo sabe? e uma maneira de absorver. Mas se a gente se comparar que o outro tá aprendendo mais rápido e tals, a gente nunca vai sair do lugar. Vamos no nosso ritmo! 🙂

  11. Caralho!! Parabens por estar aprendendo polones! Meu primo aprendeu sozinho tb, ele descobriu uns antepassados poloneses na arvore genealogica dele (parte da mae dele, nada a ver comigo) e resolveu se aproundar.. ele curte idiomas e fala 5 linguas incluindo polones. Sempre achei ele doido, agora te acho tb.. mas de um jeito bom!!!

    Ainda estou sofrendo com Italiano…que de tao similar, me atrapalho todo..princiaplemtne com os benditos artigos!

    • hahaha e no fim, a gente fica meio doido mesmo estudando essa língua. Um dia quero dominar 5 línguas assim tb <3

  12. Menina, e eu aqui penando pra aprender inglês! Mas, falando sério… amei seu post. Não sabia da dificuldade de se aprender Polonês. Na verdade nunca atentei pra isso, mas achei tão curioso. O fato de ter tantas formas pra se falar algumas palavras me pareceu bem assustador. Fiquei pensando “Meu Deus, e eu achando difícil decorar os verbos nos tempo verbais”. Hahaha
    Você é mais que corajosa por se determinar aprender essa língua e ainda de maneira autodidata. Parabéns!!!
    Borboletra ♡

    • Muito obrigada <3
      Eu lembro que quando comecei a aprender ingles, tinha umas coisas que eu achava dificil, mas com o tempo foi ficando mais fácil e hoje em dia considero o ingles uma das linguas mais fáceis pra se aprender haha ainda mais se deparando com o polonês hahaha

  13. Awww, que post incríveeeel! Acho que vou só compartilhar o seu ao invés de terminar o meu que to enrolando, porque ficou demais! Hahaha. Parabéns pelo teu desempenho, amiga!! Orgulho demais ♥

  14. Quanto tempo que não vinha aqui <3
    Esse post me deixou nostálgica porque lembro quando era pequena que queria aprender inglês, espanhol, alemão, francês e italiano, no mínimo hahahah Parei no espanhol, mas preciso treinar muito. Acho lindo e interessante demais o quanto conseguimos conhecer da cultura aprendendo a língua do país mesmo não morando nele. O que te fez estudar polonês entre todas essas? Alguma razão especial?

    Espero um dia ainda aprender uma terceira língua, mas não sei quando pois me falta muito é tempo 🙁 hahaha

    Beijo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Instagram @nyrdagur

© 2018 Nýr Dagur · by MinimaDesign