Um final de semana chuvoso na Bélgica

Ano passado, em setembro (!!), fiz uma viagem solo para Bélgica. Dá pra achar voos baratíssimos saindo aqui de Dublin até a capital Bruxelas. Só tem que ficar esperto porque as cias aéreas de baixo custo costumam voar pro aeroporto de Charleroi, que fica mais afastado. Consegui um voo ótimo que voava direto pra Bruxelas mesmo.

Assim que cheguei, peguei um trem e fui direto pra Brugge. A viagem costuma durar coisa de 1h entre as duas cidades, mas levei praticamente 2 horas, deu problema nos trens aquele dia e demorou. Eu estava muito exausta, meu voo de Dublin saiu bem cedinho, mas eu reuni minhas poucas energias pra explorar essa cidade tão encantadora que é Brugge.

As ruazinhas fofas de Brugge

Mesmo tendo dormido poucas horas, quando vi a lindeza de Brugge com meus próprios olhos, eu esqueci do cansaço e fiquei muito animada pra sair andando por tudo. Dei o azar de ter pego um dia chuvoso, mas fui na chuva mesmo.

Eu não tinha um roteiro, o meu plano era não ter plano, fazer o que me desse vontade no momento. Na verdade, acho que a maior atração mesmo do local é você sair andando pra ver a cidade. Eu queria caminhar pelas ruas e ver essa arquitetura tão bonitinha que Brugge tem. O Centro histórico é Patrimônio Mundial da UNESCO. A cidade parece que saiu de um conto de fadas! ♥

Brugge está localizada na região flemish da Bélgica e por lá o idioma oficial é o flemish/holandês. A posição geográfia da Bélgica reflete muito na sua diversidade linguística. O país possui três línguas oficiais: holandês, francês e alemão. E eu acho isso fascinante! Na minha cabeça os belgas (assim como os suíços e os holandeses haha) são todos ~poliglotas~.

Eu peguei o comecinho do outono e já dava pra ver um pouco da mudança da estação. Deixando a cidade ainda mais charmosinha!

Assim que cheguei na market square eu já logo pensei no filme In Bruges e naquela cena do Brendan Gleeson na Belfry of Bruges (haha socorro). A praça estava cheia de adolescentes que estavam numa excursão e não sei que diabos aconteceu, mas eles ficavam atazanando todo mundo. Eu inclusive, ficavam me seguindo e tentando se esconder atrás de mim pra me assustar. Nessa hora conheci uma argentina que estava viajando solo também e estava bem brava com aquelas criaturas. Fiquei um tempinho conversando com ela e depois…

Ali na hora decidi que queria subir lá na torre e ver a cidade de cima. Além de passar o dia batendo perna e o cansaço das poucas horas dormidas, ainda invento de subir uns 366 degraus. Mas ó, valeu a pena demais!

Que vista ♥

Belfry of Bruges

Graças a Lidy que me avisou, descobri que as famosas batatas fritas belgas não são pro bico dos vegetarianos. Elas são fritadas com gordura animal. E acredito que muitos vegetarianos e veganos desavisados vão provar as batatas belgas sem saber (eu seria uma delas).
Sendo assim, fui procurar algum lugar que tivesse batatas fritas belgas com óleo vegetal e achei o Royal Frituur. Fica aí a dica. Fica um pouquinho fora do centrinho, mas como a cidade é pequena, dá pra andar até lá numa boa.

E depois disso continuei andando, como eu gosto dessa sensação de me perder pelas ruas de uma cidade nova ♥

Cada canto lindo pra gente se apaixonar perdidamente!

Antes de voltar pro hostel resolvi ver no app do Couchsurfing se tinha alguém de bobeira. E acabei me juntando em um hangout com uma francesa, uma indiana e um austríaco. Fomos pra um bar super local tomar umas cervejas belgas. Foi tão legal, ainda mais porque as meninas também estavam viajando solo.

Andamos um pouco pela cidade ainda de noite e depois foi cada um pro seu canto. A francesa e a indiana estavam indo pra Bruxelas nessa mesma noite, mas eu iria dormir em Brugge e ir pra lá só no dia seguinte.

Brugge, você é linda de noite, de dia, com chuva ou sem chuva ♥

Foi bem cansativo, mas amei demais o meu dia solo em Brugge. Ainda no hostel conheci um grupo de amigos de Singapura, uns fofos e no outro dia fomos tomar café da manhã juntos e seguimos pra estação de trem, mas com destinos diferentes.

Cheguei em Bruxelas também sem nenhum plano muito concreto. E estava chovendo ainda mais que no dia anterior.

Fui andar pela Grand Place, que é a praça principal da cidade e já fiquei de queixo caído com a arquitetura ali. Lindo demais!

Enquanto procurava abrigo e esperando a chuva passar pelo menos um pouco, fui ver se tinha outros viajantes na mesma situação que eu no Couchsurfing. Tinha um pessoal marcando um hangout e enquanto eu estava esperando o pessoal chegar, acabei encontrando a francesa do dia anterior por acaso no meio da rua. Ela tava indo embora, porque o tempo não estava bom, mas como a gente se encontrou, ela acabou se juntando comigo pra encontrar as outras pessoas.

No fim, acabamos todos indo pra um bar tomar umas cervejas (Bélgica, né? ♥) e jogar cards against humanity. Éramos um grupo formado por; uma francesa, um francês (que morava em Bruxelas), um marroquino (que morava na Alemanha), uma finlandesa e uma inglesa. Foi incrível esse encontro, como eu amo o Couchsurfing. O dia tinha tudo pra ter dado errado, mas foi tão divertido passar essa tarde chuvosa em Bruxelas assim. O francês e o marroquino trabalhavam com direitos humanos e ajudavam refugiados. A finlandesa e a inglesa vinham de famílias muçulmanas, a francesa tinha família espanhola…. Foi uma troca muito legal de culturas, histórias e visões de mundos.

Não foi aquele típico dia passeando por lugares turísticos, o que reforça pra mim aquela ideia de que viajar vai muito além disso. ♥

Dormi essa noite em Bruxelas e no hostel conheci mais gente. O voo de volta pra Dublin era cedinho e foi difícil dormir cedo com a cabeça cheia de informações novas.

Ainda quero voltar pra Bélgica pra conhecer melhor Bruxelas e outras cidades também. Comer mais waffles e tomar mais cervejas boas! E me encantar novamente por essa mistura de idiomas.

Comments

  1. Sou apaixonada pelas cores das suas fotos ❤️ (talvez ja tenha falado isso por aqui antes mas sempre bom reforçar, hahah) sério!
    É muito incrível conhecer pessoas de vários lugares durante uma viagem, né? Acho que cria um laço ainda mais forte com o lugar.

    Amei teu post como sempre <3

    • Ah Jennifer, não lembro se vc ja falou, mas amei saber disso haha <3
      E é incrível mesmo, fico me sentindo mais conectada mesmo!

  2. Ai que lugar mais lindo Tais! Nossa, só quando você comentou do filme é que caiu a ficha haha

    Mas adorei, suas fotos estão cada vez mais incríveis! Só senti falta de vocês em frente às câmeras hehe

  3. Ai, eu sou apaixonada pela Bélgica Taís. Já fui duas vezes e sempre faço planos de voltar. Brugge é um sonho mesmo, vontade de ficar pra sempre… Os dias que passei lá também foram chuvosos, mas não menos charmosos por isso. Andei até de bicicleta na garoa, nada tirou o meu bom humor nessa cidade linda. Hahaha! <3

    • haha que fofa, Cá! Eu imagino mesmo, Brugge é tão encantadora que não importa o tempo, a gente fica de bom humor *,*

  4. são conexões que a gente leva pra vida né? conhecer lugares, pessoas das mais diversas culturas e ocasiões tão aleatórias… isso é maravilhoso ♥

Leave a Reply to Jennifer Macieira Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Notice: genesis_footer_creds_text is deprecated since version 3.1.0! Use genesis_pre_get_option_footer_text instead. This filter is no longer supported. You can now modify your footer text using the Theme Settings. in /home/jw1nrhfa/public_html/wp-includes/functions.php on line 4716

© 2019 Nýr Dagur · by MinimaDesign