Europa, Viagens

Um dia em Berlin – a fascinante capital alemã

As minhas expectativas para conhecer Berlin eram altas. Afinal, Berlin é uma das cidades mais veg-friendly desse mundo! Mas, não vou mentir, eu estava com medo de me decepcionar. Tentei acalmar meus animos e pensar que seria só mais uma cidade grande.

Sendo nativa de São Paulo, já ouvi dizer que Berlin era como se fosse uma São Paulo que deu mais certo. E como me conheço bem, sei que cidades muito grandes e no estilo SP não me agradam tanto, prefiro lugares menores. Porém, um dos meus lugares favoritos nesse mundo é Budapest. Fui então com esse pensamento mais leve e com esperanças de que Berlin tivesse a mesma mágica que a capital húngara: uma cidade grande que me conquistaria.

Spoiler alert: me apaixonei!

Processed with VSCO with a6 preset

Meu plano inicial era ficar 2 dias em Berlin – como contei no post Viagem & Música, minha ida pra Alemanha dessa vez foi por conta de dois shows. Eu sabia que era um tempo ridículamente curto pra se aproveitar a cidade. 2 dias iria dar pra ter só um gostinho. Mas, os planos mudaram totalmente e eu acabei passando apenas um dia, pior ainda né?

Berlin é uma cidade com muita coisa legal pra se fazer, muito cantinho interessante pra se explorar, principalmente fora da rota turística.

Eu fiz couchsurfing por lá e nas trocas de mensagens com a minha host berlinense antes de ir, ela me disse que iria passear comigo. E ela me perguntou o seguinte: ”você quer conhecer os pontos turísticos ou a verdadeira Berlin”? Só por isso eu já tive certeza que estava com a host certa! Fiquei mais empolgada ainda pra viagem e pra conhecer a verdadeira Berlin (uma pena eu não ter tido mais tempo).

img_0110Não vou lembrar os nomes exatos de todos os lugares, mas ela me levou primeiro pra uma feirinha de rua. Quer coisa mais local que isso? Achei muito legal, era uma feira turca se não me engano, com várias comidas, roupas e várias outras coisinhas. Passeamos ali pela região, até acharmos um lugar legal pra comer.

Paramos na Yellow Sunshine Burger, uma hamburgueria vegana/vegetariana. Ambas pedimos um lanche vegano maravilhoso,  passamos uma boa parte do tempo lá comendo e batendo papo.  É engraçado pensar pelo lado de que a gente tinha acabado de se conhecer, mas a sensação era como se fossemos amigas de longa data!

Quando saímos de lá fui observando a quantidade de opções veganas naquela rua, tanto restaurantes quanto lojas. Isso que tem outras áreas de Berlin mais veg-friendly ainda. Eu morri e fui parar no paraíso? Só pode! Se você é vegetariano ou vegano vai me entender nessa.

img_0107img_0106img_0108img_0109img_0114O ponto turístico que eu mais fazia questão de conhecer, pelo menos nessa curta visita, era o Memorial do Holocausto. Fomos pra lá e como era ali perto, aproveitamos pra ir até o Reichstag e o Brandenburger Tor também. No meu segundo dia, os planos éramos ir ver o Muro e alguns dos vários lugares abandonados de Berlin, só que né, esse dia nunca aconteceu – mas não tem problema, eu voltarei!

Conhecer o Memorial do Holocausto me deu um frio na espinha. É uma obra sensacional e que realmente marca. A ideia de como foi feito faz realmente a gente sentir o que o artista quis passar. Você se sente confuso andando em meio aqueles blocos de concreto. Fique super decepcionada de ver o número de turistas por lá escalando esses blocos, tirando selfies super felizes e brincando de esconde-esconde no local. Acho que as pessoas não devem saber o significado desse memorial, só pode. Respeito? Passou longe dessas pessoas.

img_0117img_0118 img_0124Durante esta viagem eu não senti que era o momento de visitar algum campo de concentração. Só com o memorial eu fiquei meio desnorteada. Preferi focar em outros tipos de experiência dessa vez.

O famoso Portão de Brandemburgo é muito bonito e muito lotado de turistas também. Quando chegamos lá estava ocorrendo umas pequenas manifestações. Uma referente à Russia e a outra sobre a guerra na Síria.

Tinha acabado de visitar o Memorial do Holocausto e vendo aquelas duas manifestações, foi impossível não pensar mais a fundo. Pensar na história e pensar no que acontece no mundo hoje. Tanta intorelância e o respeito zero pelo próximo. Quantas guerras, quantas mortes, quantos sofrimentos vão ser preciso pro ser humano aprender a não repetir certas coisas. Guerras nunca foram e nunca serão a solução pros problemas que precisam ser resolvidos.

img_0657img_0129 img_0132img_0133img_0134

O Reichstag, onde fica o parlamento alemão, também é um lugar com uma arquitetura impressionante. Só passamos na frente, o dia já estava escurecendo e eu tinha que me preparar pro show daquela noite.
img_0143Processed with VSCO with a6 preset

Andar pelas ruas de Berlin é de certa forma muito emocionante. Ver todos aqueles prédios, a marca de onde o Muro de Berlin passava. Os memoriais e as homenagens feitas a quem morreu durante as guerras. Tudo me fez pensar bastante e falar pra mim mesma: eu tô em Berlin. Um local onde tanta coisa aconteceu. É de arrepiar.

Somente um ou dois dias pra ficar nessa cidade é realmente nada. Como já mencionei, essa segunda passagem pela Alemanha foi bem slow travel e eu adorei ter feito isso. Sem me preocupar em riscar pontos turisticos de uma certa lista que as pessoas falam que ”tem que visitar”. Foi muito gostoso ficar adando, curtir aquele friozinho de 0 – 3 graus e fazer amigos!

img_0157 img_0153img_0146Berlin pode ser uma cidade que não agrade todo mundo de primeira. É uma cidade muito doida, toda diferentona e tão cheia de coisas, uma mistura muito interessante. Eu fiquei bastante surpresa e no final das contas eu me apaixonei. Berlin é realmente uma cidade muito fascinante e que eu amaria passar um tempo explorando mais da cidade.

Foi uma pena eu não ter conseguido ir visitar os lugares abandonados. Outra coisa que também queria muito ter feito, era o tour vegano. Pois é, Berlin é a primeira cidade no mundo que tem um tour veg-friendly desse jeito. Eles exploram uns lugares menos turísticos e te levam pra restaurantes e bares pra provar um monte de comida gostosa. Estou ansiosa pra voltar? Bastante!

Em um mundo perfeito todas as cidades do mundo seriam tão pra frente como Berlin é nesse quesito. Fora que os catíorros tudo podem entrar em estabelecimentos e andarem no transporte público. Como não amar? Foi uma das coisas que mais amei na minha primeira vez ao país e agora só me fez lembrar o porque a Alemanha é esse país tão incrível.

“Vegetarier sind Lieb”

Processed with VSCO with a6 preset

(antes de ir e também depois que voltei, devorei os vlogs da Dani Noce em Berlin, vejam aqui também!)

Quem aí tem vontade de conhecer Berlin? Ou pra quem já foi, como foi sua experiência por lá? Me contem tudo!

//You Might Also Like

//26 Comments

  1. KARINE

    dezembro 16, 2016 at 11:02 pm

    a cada post que leio sobre Berlin (ou sobre a Alemanha, em um geral, principalmente depois de conhecer o blog da Ana) mais eu tenho vontade de conhecer ♥ achei bem triste isso dos turistas escalando os blocos do Memorial do Holocausto 🙁 respeito nenhum, como pode? acho muito triste quando as pessoas podem viajar, e ao invés de usar isso pra aprender sobre o lugar e se enriquecer culturalmente, fazem completamente o contrário. sério. foda. mas enfim, amei as fotos, pena que sua viagem foi tão curta. espero que consiga voltar em breve ♥

  2. angela sant anna

    dezembro 17, 2016 at 2:17 pm

    ahh eu amo Berlin <3 <3 <3 não vejo a hora de voltar! e fico encantada toda vez que vejo o Reichstag!
    Esse protesto ali da Síria era mais um aviso que existe uma guerra lá, para oferecer ajuda as escolas, Paz na Síria agora e ajudar os "capacetes brancos" – os voluntários que oferecem primeiros socorros no país.

  3. Alê

    dezembro 17, 2016 at 7:04 pm

    Berlim é amor! Nem acredito que já tem quase 2 anos que eu visitei e não sei como consegui fazer tanta coisa em apenas 3 dias. Concordo com tudo, ela é muito doida, tem muita história, muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, muitos lugares legais pra conhecer. É uma cidade para voltar muitas vezes. E se vc achou Berlin o paraíso dos veganos e vegetarianos ia pirar em San Francisco que também é muito vegan friendly.

  4. Paula Abud

    dezembro 17, 2016 at 7:14 pm

    Já tinha lido outros posts sobre essa sensação no Memorial do Holocausto, uma amiga foi lá e disse que ficou agoniada.
    Mas Berlin, eu já imagino perfeita, suas fotos só me deram mais certeza! E que fotos, ficaram lindas!!

  5. Gabi

    dezembro 17, 2016 at 7:26 pm

    Eu sou enlouquecida por Berlin, é minha segunda cidade favorita do mundo (Rio I <3 you first hehe). É toda carregada de história, você não consegue ficar imune ao peso da cidade. Mas tem tanta cultura, é tão vibrante, as pessoas são tão livres, que dá uma balanceada legal nessa carga toda. Acho que a gente pode, quem sabe assim, marcar nosso encontro Europeu por lá ano que vem, quem saaaaabe né? Hahaha.. Eu ia amar. Beijo

  6. Klécia

    dezembro 17, 2016 at 8:04 pm

    Gente, tour vegano? Que fantástico! Berlin parece ser encantadora em todos os sentidos 🙂 É muito legal adotar esse jeito slow travel de viajar e se preocupar mais em viver a cidade que em riscar os pontos turísticos. Confesso que ainda não consigo fazer isso bem, tem muitos lugares emblemáticos que quero conhecer no mundo, então na minha primeira visita acabo fazendo um roteiro mais turístico. Na segunda vez, já consigo abrir o coração pra o que o destino trouxer pra conhecer e nunca, nunca me arrependo das surpresas! Espero que você volte logo a Berlin para se apaixonar ainda mais!

  7. Patricia

    dezembro 17, 2016 at 8:24 pm

    Berlim é demais, né??
    Muito legal ver a cidade do seu ponto de vista, mesmo que só por um dia. Não sabia desse lado veg-friendly da cidade.
    Quando eu fui, o foco era história da guerra e nazismo. Museus, campos de concentração e muitas memórias discretas pela cidade. Tudo muito interessante (e triste).

  8. Veronica Serpa

    dezembro 18, 2016 at 3:47 am

    Amei o post, Taís! Muito legal você ter feito couchsurfing, sempre quis experimentar. É outra coisa se hospedar e conhecer uma cidade com um local, né?
    Uma das coisas mais bonitas de viajar é que você passa a respeitar e tolerar novas culturas. Se as pessoas viajassem mais, o mundo seria bem melhor… Mas gente mal educada tem em qualquer lugar, não tem jeito.
    Não sei como eu me sentiria visitando o Memorial ou os campos de concentração, deve ser bem angustiante. A Europa tem disso: por onde a gente passa tem essa sensação de “nossa, tanta coisa já aconteceu aqui”! Me senti muito assim quando estive em Portugal.
    Beijo!

  9. The Reader's Tales - A Swiss Lifestyle blog

    dezembro 18, 2016 at 9:05 am

    Taís, I ADORE your photos and am glad to hear that you loved Berlin (I love it too).
    Hope you’re having a lovely festive season so far!
    PS: How strange you couldn’t access my blog – I hope nobody else has encountered this problem… That said, I’m glad it’s okay now.

  10. Juliana Almeida

    dezembro 18, 2016 at 12:49 pm

    O bom do couchsurfing é ter essa experiência mais completa, com um local que pode te mostrar coisas bem fora do circuito turístico.
    Fiquei encantada com essas fotos da paisagem de outono, que cidade fotogênica! <3
    E deve ser fascinante estar num lugar onde já aconteceu tantos fatos históricos marcantes… Sobre o memorial do holocausto, deve ser bem triste e tenso, imagina visitar um campo de concentração, não sei se eu conseguiria.
    Berlim está entre as cidades que eu mais quero conhecer na europa, muito bom seu post.

  11. Bela

    dezembro 18, 2016 at 1:14 pm

    Spoiler alert: arrumei a host perfeita. Cara, quando fomos pra Amsterdam eu falei que queria conhecer Amsterdam, não os pontos turisticos, então ficamos em hotel longe do centro, numa vizinhança longinha, pedalavamos 6km pro centro pra conhecer dentro do bairro, fomos até uma praia/costa de trem bicicleta.
    O Antti foi pra Polonia em um campo de concentração com a escola!!! IMAGINA QUE LOUCO: nós em sp vamos no zoologico e eles vão em campo de concentração!!! Ele me mostrou algumas fotos e fiquei bem na badzinha. Na casa de Anne Frank eu me senti bizarramente estranha, passando pelos passos dela e vendo o mesmo que ela e definitivamente, não conseguiria ir em um campo. Até mesmo no memorial do Holocausto. Eu sou muito sentimental e meu espírito não aguenta pisar em lugares com certa carga de sofrimento, não sei explicar.
    Tô aqui batendo palmas pela sua experiência, pelas fotografias e esperando pela nossa viagem juntas xD
    Espero que esteja tomando as vitaminas. Eu tô na base de 4 já xD
    A Bela, não a Fera blog | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

  12. Josiane Bravo

    dezembro 18, 2016 at 8:00 pm

    Uauu, depois que mencionou que Berlim é super veg friendly fiquei com mais vontade ainda de conhecê-la. Acho que ia conhecer cada restaurante da cidade rs, tenho um sonho de algum dia fazer uma viagem só para conhecer restaurantes vegetarianos, e tá na listinha algumas cidades da Europa, e claro, a primeira cidade vegetariana do mundo na Índia. E que legal sua host em querer mostrar a cidade, por isso que amo couchsurfing 🙂 Beijos

  13. Vickawaii

    dezembro 18, 2016 at 8:08 pm

    Eu estou ficando com expectativas de VOCÊ conhecer outras cidades haha, você sempre traz postagens maravilhosas, cheias de fotos e experiências <3 Legal a sua opção por conhecer "a verdadeira Berlin", aliás, acho super legal essas experiências de couchsurfing (coisa que eu morro de medo ashdiashdaui). Eu acho curioso Berlin ser uma cidade super moderna, bem desenvolvida, mas ter essa parte pesada da história…Se eu que vejo filme de Segunda Guerra fico mal só de pensar, imagina visitar o Museu do Holocausto ou, pior, algum campo de concentração. Mas é importante termos essas memórias vivas para a história não se repetir. No mais, adorei o post e fiquei encantada com o parlamento <3

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

  14. Flávia Donohoe

    dezembro 18, 2016 at 9:44 pm

    que demais Taís, deve ter sido realmente um máximo ficar em berlin pelo couchsurfing, ainda mais que a sua host é tão fofa e quis te levar pra conhecer vários lugares, aiaia Berlin tem um lugar cativo no meu , eu amei demais a cidade, e se eu pudesse era um desses lugares que queria morar pra fazer intercâmbio, tudo lá é tão estiloso e inspirador, sem contar nos inesgotáveis museus e história por toda a parte! Essa sua foto do memorial ficou impressionante, eu também fiquei chocada com alguns turistas rindo e fazendo poses no memorial, eu só ficava pensando nas vidas perdidas e como aquele lugar era significativo! eu assistia muito os videos de dois vloggers brasileiros que moram em berlin, eles faziam videos incríveis, caso queria ver é o adan e katz!

  15. Cíntia de Melo

    dezembro 19, 2016 at 1:18 pm

    eu acredito que meu proximo destino internacional seja a alemanha, por causa do meu primo que mora por lá.
    Fico feliz que você tenha encontrado uma host tão legal 🙂 e pena que você ficou só um dia =(

  16. Ju Garzon

    dezembro 19, 2016 at 2:58 pm

    Que sorte você teve de encontrar uma host disponível para te levar para conhecer os lugares. Não existe forma melhor de realmente conhecer um lugar.
    Entendo perfeitamente a sua “revolta” com os turistas no memorial… Senti a mesma coisa no World Trade Center. Ainda era Memorial Day, havia vários militares prestando homenagem e dezenas de turistas tirando selfies e fazendo pose. Pode ser caretice minha (não tiro nem foto dentro de igrejas por achar falta de educação), mas acho que não combina com a memória pesada e triste.

    Beijo,
    Ju
    http://madamebr.com

  17. Camila Faria

    dezembro 19, 2016 at 4:47 pm

    Morro de vontade de conhecer Berlin Taís. Fui para a Alemanha, mas acabei não conhecendo a cidade (pode isso?). Mais uma desculpa para voltar, né?

  18. Brigadeiros e Barcelona

    dezembro 19, 2016 at 10:25 pm

    To que nem a Camila. Fui só pra Munich, rapidinho e cada dia minha vontade de voltar pra Berlim cresce mais (ainda mais com uma penca de conhecidos que moram lá).
    Bjs!

  19. Vy

    dezembro 20, 2016 at 12:05 am

    Fui em maio e me apaixonei! Queria ir pra Praga e Budapeste, mas tava sozinha e achei que a Alemanha era mais segura pra mim. Fiquei 4 dias e ficaria mais, com certeza! Fiz um tour a pé free que foi excelente pra entender um pouco da história da cidade, bem legal, ótimos guias =). Não sou vegana, mas como morava com um na época reparei mesmo que é uma cidade super friendly. Alias, a comida lá é excelente! Também amei o chocolate alemão, acho que é um dos meus favoritos! Fiz o tour de Oranienburg no campo de concentração, mas até que achei bem sussa… Um ano antes fui pra Hiroshima e achei aquilo bem mais pesado. No fim, dos campos não sobrou quase nada.

  20. Katarina Holanda

    dezembro 20, 2016 at 7:18 pm

    Deve ser muito legal conhecer a cidade pelos olhos de uma moradora assim. Fico babando nas fotos e relatos de Berlim e doida pra ir! O Memorial do Holocausto me arrepia só de olhar. :/ 2 dias deve ter sido só o gostinho mesmo, imagina a quantidade de coisa linda pra conhecer nessa cidade! Amei tua viagem <3

  21. Laura Nolasco

    dezembro 23, 2016 at 1:40 am

    Eu acho que sairia tão absurdamente detonada emocionalmente desse memorial que nem sei! Visito lugares que já foram senzalas aqui e fico arrepiada/chorando o resto do dia. Como as pessoas podem não se tocar com coisas assim? É falta de noção demais!
    Parece ser uma cidade linda, e mesmo ficando pouquinho tempo você deve ter amado né? Muito legal essa coisa do veg-friendly… não sabia!
    Beijos!

  22. Elô Rodrigues

    dezembro 28, 2016 at 1:09 pm

    Taís! Já tem muuuito tempo que eu não aparecia para ver seu blog e já comecei com esse post maravilhoso! Só deu mais vontade de ver tudo que ainda não vi!
    Eu também acredito que ficaria totalmente desnorteada visitando o memorial, é de se arrepiar até daqui, somente com fotos! Que da próxima vez você consiga mais tempo e aproveitar mais essa cidade e possa nos mostrar tudo aqui. Beijos

  23. Evana Izabely

    dezembro 28, 2016 at 3:44 pm

    Fiquei até com vontade de chorar lendo esse post…. Berlim é um dos meus lugares dos sonhos desde criança, um sonho que está pertinho de se realizar! *_* Amei as fotos e o teu relato. Espero que em breve você possa voltar para aproveitar mais da cidade.
    Beijos

  24. Ana Jähne

    dezembro 28, 2016 at 4:29 pm

    que post delicioso.
    eu entendo a tua decepçäo com as pessoas no memorial… mas ao mesmo tempo acho que isso é um pouco da cara de berlin: a presença täo impactante do passado, mas que näo deixa a cidade deixar de olhar pra frente e de ser täo moderninha.
    berlin é um dos meus lugares favoritos no mundo… é bobear que eu tô dando um pulinho por lá.

  25. Stephanie Vasques

    dezembro 28, 2016 at 8:14 pm

    A CIDADE DO MEU BLOG!!! Hahahahahahaha. Adorei as fotos e o seu roteiro. Não acredito que você conseguiu conhecer tudo isso em um dia só!!! Pra mim também seria muito difícil visitar os lugares e museus que guardam memórias tão tristes como as daquela época, mas Berlim é uma cidade lindíssima e eu morro de vontade de conhecê-la. Espero conseguir em breve <3

    Com amor,
    Steph • Não é Berlim

  26. Os encantos de Leipzig, na Alemanha - Nýr Dagur

    janeiro 20, 2017 at 4:36 pm

    […] sei que me apaixonei por Colônia, por Berlin e agora me vejo apaixonada por outra cidade […]

//Leave a Reply