Irlanda

Cleggan Bay (Part II) – e arredores

Todas as atividades e o rumo que essa viagem teria dependiam quase que totalmente do tempo. Na entrada da casa tinha uma bandeira do condado de Galway e desde que chegamos lá até o momento que fomos embora, a bandeira não parou de voar enlouquecidamente. Era só olhar pela janela e ver o movimento dela que já sabiamos o quão forte o vento estava lá fora.
Na minha inocência eu achava que o vento em Dublin já era forte, até conhecer o vento da costa oeste e mudar completamente minha opinião. Sabe aquele vento que faz os músculos do seu rosto mexer ou até músculos que você nem sabia que existiam? Poisééé, é nesse nível o vento que rola por lá, agora imaginem com chuva.

 

Dos 7 dias que ficamos em Cleggan, só 2 deles estavam ensolarados e sem sinal de chuva, o resto ou chovia o dia inteiro ou chovia em algum momento do dia, mais o vento forte em todas essas ocasiões.
O que mais fizemos foi explorar a região sempre que o tempo colaborava (ou melhor dizendo, sempre que a chuva estava mais fraca), seja caminhando ou de bike. Nessas caminhadas juntei um monte de conchas do mar, estão aqui guardadas e ainda estou pensando o que fazer com elas (sugestões?).
Eu ficava sempre atenta, olhando o mar a todo o momento pra ver se econtrava alguma Selkie. Com aquela sensação de estar vivendo um desses contos, chegava perto do mar e chamava baixinho pelas focas de Donegal. E não é que elas escutaram meu chamado? Não consegui fotos (apenas uma filmagem bem ruim), mas foi um momento tão especial, elas aparecerem e mais de uma vez!

 

Em Claddaghduff, uma vila bem pertinho de Cleggan, fica a Omey Island. Ela é classificada como tidal island, dessas que quando a maré está baixa você pode ir caminhando até lá, mas que quando está alta cobre tudo, possibilitante o acesso apenas de barco.

Eu nunca tive uma experiência assim, de poder ir andando pra uma ilha, fiquei bem ansiosa com a ideia. Ficávamos sempre de olho nos horários de quando a maré estaria baixa ou alta pra conseguirmos ir até lá. Infelizmente nunca os horarios batiam, mas uma vez passando por ali, vimos que a maré estava baixa e tinha pessoas atravessando.

Como a maioria das pessoas estavam voltando já, e a água aos poucos estava subindo novamente, decidimos ir com o carro rapidinho e voltar (olha o medo de ficar presos na ilha e não consegui voltar mais hahaha). Foi bem rápido mesmo, nem consegui tirar fotos na pressa toda, apenas uma ficou boa, mas foi legal do mesmo jeito. A ilha é bem pequena e tão bonitinha, de lá a vista é linda e quando chegamos na ponta avistamos um outra ilha por perto, não dá pra ver direito, mas tem uma casinha lá. Fiquei imaginando quem seriam os moradores e como seria a vida num lugar assim.

As idas pra Clifden eram necessárias, normalmente cozinhavamos em casa, na vila de Cleggan tem coisas pequenas como mercadinho, restaurantes e pubs, mas para mais opções não tem jeito, tem que ir até Clifden! É uma cidadezinha bem gostosa, adorava quando íamos lá pra comer e se enfiar num dos pubs locais pra ouvir música tradicional irlandesa.

E ahhh, como era lindo voltar de Clifden, depois de uma dia chuvoso e se deparar com um por do sol maravilhoso às 10 horas da noite, coisas que só um verão irlandês pode te proporcionar….

E o clima gostoso que ficava na praia à noite, focas apareciam, Inishbofin ao fundo, aquela sensação boa de não querer estar em outro lugar.

//You Might Also Like

//10 Comments

  1. iana lua

    setembro 22, 2015 at 7:56 pm

    lindas as fotos!! não conhecia essas tidal islands. imagina se um desavisado fica preso por lá!? hehehe. beijo!! :**

    1. admin

      setembro 24, 2015 at 8:54 pm

      haha é verdade, por isso que tem sempre que saber os horários certinhos das marés xD

  2. Lidia Aluada

    setembro 24, 2015 at 5:54 pm

    Gente, como o mundo é grande é lindo… Queria ter asas para voar ao redor dele inteiro! <3
    Beijos!

    1. admin

      setembro 24, 2015 at 9:02 pm

      Ai, Lidia.. é uma coisa que eu super queria também, ter asar pra voar esse mundo inteiro o quanto eu quiser e quando eu quiser 🙂

  3. Larissa Ayumi

    setembro 27, 2015 at 5:03 pm

    Adoro conchinhas! Mas eu também nunca sei o que fazer com elas.
    E gente, repito: que lugar bonito. E essa vegetação rasteira florida? *-*

    Eu tenho problemas com ventos fortes, lá em Londres tinha lugar que se você não colocasse o peso do seu corpo para frente, você não andava simplesmente, nem imagino como seja por aí, acho que não sairia do lugar HAHAHAHA!

    E que lindo esse pôr-se-dol as 22h. Sei que eu sempre falo que tudo é lindo, mas é porque é mesmo.

  4. Ana Jähne

    outubro 1, 2015 at 12:08 pm

    como eu adoro e sinto falta do mar. mesmo esse mar gelado de ventania e chuva. täo lindas as fotos

  5. Alessandra

    outubro 1, 2015 at 8:13 pm

    Imagina morar numa ilha! Tem que ser muito desapegado de tudo viu. Eu também ficaria curiosíssima para saber quem são as pessoas ou a pessoa que mora numa casinha isolada numa ilha.

  6. BA MORETTI

    outubro 15, 2015 at 8:01 pm

    eita mundão lindo ♥
    dá vontade de conhecer cada pedaço

  7. Kylemore Abbey – Nýr Dagur

    outubro 2, 2016 at 4:32 pm

    […] meio aos dias chuvosos da nossa estadia em Cleggan (posts 1 e 2), fomos conhecer a Kylemore Abbey, um dos lugares mais visitados na costa oeste da […]

  8. Ínis Oírr // The Aran Islands - Nýr Dagur

    outubro 16, 2016 at 8:11 pm

    […] Essa é a ilha de número 4 que já visitei por aqui, confiram as outras também: Inishbofin – Achill Island – Omey Island […]

//Leave a Reply