Irlanda

Craggaunowen – um Museu ao ar Livre

Este não é um passeio recente, mas sim um que fiz há mais de um ano e acabou ficando no esquecimento. Antes tarde do que mais tarde, venho aqui relatar como foi a experiência de visitar o Craggaunowen, um castelo e um museu arqueológico ao ar livre, que fica localizado na costa oeste da Irlanda, em Kilmurry no Condado de Clare.

Apesar de ter visitado apenas 2 museus nesse estilo open-air, é uma experiência que eu acho muito legal e que pretendo visitar mais. Existem mais alguns outros museus assim espalhados pela Irlanda e assim que tiver oportunidade vou ir lá conferi-los.

O Craggaunowen fica bem perto da Quin Abbey e super vale a pena visitar os dois no mesmo dia.

IMG_4829Na época eu tirei fotos do local com a minha câmera e o meu celular, mas as fotos do celular eu não faço a mínima ideia de onde foram parar. Uma pena, já que tirei foto de alguns detalhes e lugares com o celular e vão ficar faltando pra ilustrar o post.

O Craggaunowen The Living Past Experience é uma atração meio fora da rota túristica, o museu é bem interessante, tanto pra adultos quanto pra criança, vale a pena! É como entrar em um portal e viajar no tempo, amantes de história e cultura celta não podem deixar de visitar se estivem por essa região da Irlanda.

Na entrada ganhamos um mapinha com as atrações númeradas e seguimos essa trilha parando pra ver cada uma, é uma caminhada bem gostosa pela natureza. A nossa primeira parada foi no castelo Craggaunowen, que é um castelo do século 16 e você pode visitar ele por dentro, é bem legal e do topo dá pra ter uma vista dos arredores (e que eu vou ficar devendo fotos, sorry! Só tem uma de um pedacinho do castelo).
IMG_4846IMG_4827 IMG_4819O principal de Craggaunowen também é mostrar como os celtas viviam,  fazendo com que os visitantes tenham uma compreensão melhor sobre como era a vida naquela época, suas moradias, como cozinhavam e seus costumes. No museu temos exemplos da Idade do Bronze e antigas construções irlandesas.

Os Celtas viviam em um Crannóg, que é uma ilha artificial onde eles construíam suas moradias, normalmente em lagos,  que era uma forma também de se protegerem de clans inimigos ou invasões. Esses Crannógs são mais encontrados aqui na Irlanda (acredita-se que devem ter mais subsmersos), mas também eram comuns na Escócia, em uma escala menor.

Em Craggaunowen eles recriaram esses Crannógs e é bem legal de ver, entrar, sentir um pouquinho como era viver nesses tipos de moradias e mergulhar na história celta da Irlanda. Fiquei de olhinhos brilhando tendo essa imersão cultural, ainda mais por ser uma cultura que é muito fascinante pra mim (já fui celta em outras vidas, só isso explica hehe).

IMG_4834IMG_4837 IMG_4839 IMG_4841 IMG_4842 IMG_4843A area toda é bem bonita, o que deixa a experiência toda muito mais legal, do que simplesmente ler sobre o assunto em algum museu comum.  Ali além de você poder ver tais construções, você caminha pela natureza e é como ser realmente transportado pra época abordada.

E pelo meio dessa caminhada, tem um exemplo de um Fulacht Fiadh, que era um local utilizado para cozinhar. Eles cavavam um buraco no chão em formato retangular e colocavam água, fazendo uma mini-piscina. Historiadores acreditam que eles esquentavam pedras na fogueira e jogavam elas fervendo nessa água ou usavam madeiras também pra ajudar, assim ferviam a água pra cozinhar. Hoje com a praticidade dos fogões é meio surreal pensar no modo como povos antigos faziam pra cozinhar.

Um exemplo de Fulacht Fiadh protegido com madeiras em volta – e a atmosfera gostosa do museu.

IMG_4855IMG_4852IMG_4850IMG_4853

Outras atrações importantes e que não tenho muitas fotos é um Dolmem, um Ringfort (com reproduções de casinhas de fazendeiros do séculos 4 e 5 na Irlanda) e o Brendan Boat.

IMG_4861 IMG_4864 IMG_4865Dá pra ver só um pedacinho do barco (Clique aqui para ver inteiro) – O Brendan Boat, foi um barco que Tim Sverin em 1976 usou para recriar a viagem que St. Brendan fez da Irlanda até os Estados Unidos. Ele consultou os manuscritos que descreviam o barco, recriou e assim com seus tripulantes se aventurou a fazer o mesmo caminho que o santo irlandês fez. Acredita-se que St Brendan foi o primeiro a chegar na América do Norte, descobrindo a América antes de Colombo (Fora a história do islandês Leifur Eiríksson que também dizem que chegou antes). E tem a história também dos monges irlandeses que descobriram a Islândia antes dos Vikings. Esses irlandeses viu.. danadinhos, né? ♥

Uma pena eu não ter tirado fotos melhores pra mostrar mais do lugar, mas espero que tenham gostado de conhecer um pouquinho!

O Craggaunowen só está aberto a visitação de mais ou menos na época da Páscoa entre Março-Abril até a metade de Setembro. Fica fechado  nos meses de frio, para mais informações visitem o site.

+ Leia também a minha visita a um outro museu ao livre, lá em Lund, na Suécia

E vocês, já visitaram algum museu nesse estilo?

//You Might Also Like

//32 Comments

  1. Mafê

    fevereiro 16, 2017 at 8:55 pm

    Que lugar mágico! Único museu que conheci ao ar livre foi o de Inhotim, em Minas Gerais. A experiência é idescritível.

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:25 pm

      Quero muito conhecer esse de Inhotin um dia 🙂

  2. Katarina Holanda

    fevereiro 16, 2017 at 11:42 pm

    Antes tarde do que mais tarde é o meu lema, hahaha. Que lugar lindo. Quando eu conhecer esses lugares da Irlanda (amém!) vou ficar muito deslumbrada!

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:26 pm

      hahaha melhor lema viu!
      E vai conhecer esses lugares sim, Kat <3

  3. Claudia Hi

    fevereiro 17, 2017 at 11:44 am

    Nunca visitei um museu ao ar livre. Achei bem interessante, as paisagens são lindas!

    Suas fotos ficaram lindas, não tem o que sentir pena não Taís! rs

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:26 pm

      Awn, obrigada, Claudia! 🙂

  4. KARINE

    fevereiro 17, 2017 at 3:49 pm

    eu nunca visitei um museu aberto assim, deve ser uma experiência incrível mesmo, tô doida pra conhecer Inhotim (em minas) ♥ achei esse lugar muito maravilhoso, Ta!

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:27 pm

      É muito legal, Kah! E também queria muito conhecer esse de Inhotim 🙂

  5. Thayse

    fevereiro 17, 2017 at 6:38 pm

    Ah, que delícia deve ser rever um passeio assim e descobri que ele ainda tem que ir pro blog, é muito bom relembrar e ter um conteúdo tão bacana pra compartilhar mesmo que já tenha algum tempo. Gostei muito do lugar, tem um clima meio misterioso e com tanta história *-*


    Beijos

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:29 pm

      Sim, Thay! É legal de ver quando ainda tem coisa bacana pra entrar no blog, mas as vezes fico me perguntando porque diabos eu demoro tanto pra postar algumas coisas hahaha
      Beijos!

  6. Camila Faria

    fevereiro 17, 2017 at 8:02 pm

    Taís, você é a minha referência para atividades maravilhosas ao ar livre. Só passeios maravilhosos! Sempre saio daqui com vontade de fazer as malas e viajar. Beijo, beijo :*

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:30 pm

      Ai, Cá.. fico até sem palavras você dizendo que sou tua referência. Ai que amor! Fico feliz que eu consiga te inspirar e ter vontade de sair por aí explorando também <3 Beijo!

  7. Vickawaii

    fevereiro 17, 2017 at 9:51 pm

    Gente você só vai em lugar legaaaaaaaaal <3 Nunca fui em nenhum museu nesse estilo, quando li o título do post fiquei pensando se era obras de arte ao céu aberto ou o quê hueiheuiehuie. Muito legal mesmo <3

    E ah, eu tenho que te agradecer porqueee…Finalmente fiz minha primeira trilha! Acho que desde que comecei a ler suas postagens estou dizendo "um dia eu vou fazer" e nunca faço ahsudiahsudia Mas dessa vez fiz e achei muito legal <3 Espero que tenha sido a primeira de muitas!

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:35 pm

      Que demais, Vicky!!! Sério, fiquei bem feliz aqui que você fez a tua primeira trilha e veio aqui me agradecer, que fofa! Eu li la teu post e adorei, espero que seja a primeira de muitas mesmo. Beijo
      🙂

  8. Lívia Bonilha Bonassi

    fevereiro 18, 2017 at 1:28 pm

    Nunca entrei em nenhum castelo! Na minha próxima visitinha à Europa essa é uma “falha” que quero consertar heh
    Adorei essa idéia de um museu a céu aberto! E que gostoso imergir assim na cultura celta (que conheço muito pouco mas já considero pacas!).
    Tô encantada aqui com a atmosfera do lugar… uma viagem ao passado…
    Um beijo!

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:36 pm

      Livia, trate de entrar em um castelo mesmo, sou suspeita pra falar porque amo, mas é muito legal, tens que conhecer sim!
      🙂

  9. angela sant anna

    fevereiro 18, 2017 at 2:28 pm

    muito interessante esse lugar, principalmente como eles conseguiram recriar as construções celtas, já que não deve ter tanto material histórico assim (além do que está submerso aheuahe) maaaaas não entendi direito se eles faziam diques ou construiram coisas em cima de algo como fazem lá no Titicaca (to meio perdida) pra poder ficar no meio do lago e se proteger dos inimigos

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:39 pm

      Angie, eu acredito que eles tiveram bastante material histórico sim pra se basear e aí tem mais que deve tá submerso. Pra ser sincera eu não lembro muito bem se eu vi como que eles faziam essas construções, mas eu acredito que seja algo parecido lá com o que tem no Titicaca, só que esses eles faziam umas pontes também, não ficava totalmente flutuando que nem as ilhas la no Peru

  10. Flávia Donohoe

    fevereiro 18, 2017 at 11:02 pm

    fico de boca aberta com seus passeios pela Irlanda, são lugares que eu nem imaginava que existiam, esse museu a céu aberto é de detalhes impressionantes! A natureza, tudo fica tão encaixado, adorei! Também quero conhecer Lund =)

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:40 pm

      Essa Irlanda tem cada coisa que a gente fica de boca aberta mesmo haha E também super achei que a natureza envolta combinou com a atmosfera do museu 🙂

  11. Stéfhanie

    fevereiro 19, 2017 at 11:10 pm

    Ahh, que legal! Vendo as fotos já deu pra sentir um pouquinho o clima e essência da cultura celta. Espero ter a oportunidade de conhecer um dia.

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:41 pm

      Venha conhecer um dia sim 🙂

  12. Juliana Almeida

    fevereiro 20, 2017 at 1:01 am

    Que lugar incrível! Muito bom poder ter uma experiência mais próxima de como era a cultura celta!
    Quando eu for para a Irlanda com certeza vou querer conhecer <3

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:42 pm

      Sim, é bem legal Juny.. venha conhecer! 🙂

  13. Marcia Picorallo

    fevereiro 20, 2017 at 1:30 pm

    Taís, sei nada sobre os celtas (só que as músicas são uma delícia!), mas me apaixonei por uma série de livros chamados As Brumas de Avalon, já ouviu falar? É uma mistura de Rei Arthur com druidas e tem as mulheres como pano central: o conhecimento de ervas, a intuição, a força do pensamento. Faz muitos anos que li, mas estão na minha estante entre os preferidos. Tenho certeza que eu ia pirar nesse passeio. Obrigada pela dica!

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:45 pm

      Já ouvi falar sim, Marcia, mas nunca li esse livro! A cultura celta é muito interessate, espero que tu venha um dia aqui pra esses lados conferir 🙂

  14. Paula Abud

    fevereiro 20, 2017 at 2:51 pm

    Adoro lugares cheios de histórias pra contar e adoro os seus posts que reúnem sempre uma história com imagens lindíssimas da Irlanda.
    Eu estou encantada com esse país após conhecê-lo através do seu blog, Taís!
    Beijos.

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:47 pm

      Ahh que legal, Paula, e venha pra Irlanda um dia! 🙂

  15. Klécia

    fevereiro 20, 2017 at 8:12 pm

    Achei o lugar tão incrível que só acho uma palavra pra definir: mágico! Quanto mais historia, pra mim melhor! Esse é cheio de coisas legais!

    1. Taís

      fevereiro 20, 2017 at 8:48 pm

      Super concordo, mágico é uma palavra boa pra descrever esse lugar 🙂

  16. Barbara

    fevereiro 22, 2017 at 7:55 pm

    Amo, amo, amo museus desse tipo. Parece lindo esse!

  17. BA MORETTI

    março 14, 2017 at 5:12 pm

    o lugar é lindo mesmo, já dá pra ter uma ideia pelas fotos 🙂 e uma coisa que eu acho DEMAIS por esses lados é que é condado pra lá e condado pra cá, condado everywhere e isso faz eu me sentir no filme do hobbit HHHAHAHAHA AMO ♥

//Leave a Reply