Irlanda, Trilhas

Croagh Patrick Mountain

No começo do mês fomos para Mayo ir passear pela Achill Island mas os planos também incluiam fazer uma trilha/escalada até o topo da montanha Croagh Patrick, que também fica ali no condado. Quando o Lindo deu a ideia eu já logo aceitei, opa, montanha é comigo mesma, mas nem fui conferir o nível de dificuldade e nem quantos metros essa belezinha aí tinha. E bem, foi a montanha mais alta que já cheguei até o topo, pelo menos a que eu realmente tive que andar o caminho todo, já que Chacaltaya, na Bolívia, a maior parte do trajeto a van leva e o que resta pra andar não é tão longe assim, apenas difícil.

Ao se aproximar da montanha me questionei se eu realmente conseguiria terminar esse desafio, Lindo perguntou várias vezes se eu tinha certeza e eu sempre respondia que eu era uma tough girl e que iria até o topo sim, mas as chances de ter que chamar o guincho também eram grandes. A verdade é que eu sempre tô duvidando da minha capacidade de fazer as coisas e no final das contas eu sempre me surpreendo.  O segredo é se jogar, se não como vou saber se realmente consigo?

A montanha tem 764 metros de altura e foram devidamente conquistados pela minha pequena pessoa, foi extremamente difícil, mas consegui!

Até então o maior desafio que tinha encarado subindo eu mesma todo o trajeto foi lá na montanha Wayna Picchu, que fica em Machu Picchu, e pasmem, eu sem preparo nenhum, não era acostumada a fazer trilhas assim sempre quanto mais hillwalk, com mochila pesada nas costas, altitude dando aquele abraço, achando que iria morrer a qualquer momento, cheguei até o topo, mesmo que fiquei sem andar direito e morrendo de dores pelos próximos 5 dias (ou mais), eu consegui e me orgulho muito disso.

Hillwalk não é moleza não e requer um condicionamento físico muito bom. O meu não é lá essas coisas mas eu meto as caras (as pernas. no caso) mesmo assim!

IMG_7585Croagh Patrick é conhecida por ser uma montanha sagrada aqui da Irlanda.
Dizem que St. Patrick, o padroeiro do país, subia lá pra converter e batizar as pessoas (e ficou de jejum lá por 40 dias, algo assim), isso explica o nome da montanha. Lá no topo tem uma igrejinha e muita gente sobe até lá por motivos religiosos como forma de peregrinação. E tem gente que até sobe aquilo tudo lá descalço!!! Só de imaginar já me dá uma dor imensa nos pés. E parece que já bem antes, os pagões também subiam lá para comemorar a época da colheita.

No começo eu parei muitas vezes, muitas mesmo, eu olhava aquilo tudo lá e eu nem tava na metade da metade, era desesperador. Estava um dia quente, o que também não ajuda muito e eu não parava de beber água. Só levamos uma garrafinha pequena cada um pra não carregar muito peso, mas tinham falado pra gente até levar mais, porque vai muita água mesmo. Achei que ia acabar com tudo e ficar morrendo de sede depois, ou fazendo xixi nas calças pelo caminho, mas deu tudo certo, ainda bem.

Não tirei muitas fotos do percurso porque eu precisava focar quase que 100% no meu caminho e tinha muita gente lá também.

Essa escalada tem duas partes, a primeira é super longa, bem íngrime e com aquele terreno chato de pedrinhas que vão escorregando, mas de acordo com o Lindo, aquela era a parte mais fácil, achei até que ele tava zoando com a minha cara e que a segunda parte seria mais tranquila, olha a inocência.

Quando já estava terminando essa primeira parte, o meu ritmo começou a melhorar bastante, eu já não fazia tantas paradas e tava caminhando super bem, me livrando das pedrinhas, só alegria. Acho que no final das contas eu só estava me ‘aquecendo’, porque realmente o gás que me deu depois foi impressionante, eu quase não parava.

IMG_7641

Entre a primeira e segunda fase, tem uma parte plana, que é um alívio enorme pras pernas, eu não quis saber de parar pra poder aproveitar que tava tudo fluindo bem, mas quando eu avistei o que era a segunda parte do negócio eu quis chorar preferi fazer uma parada maior pra descansar um pouco e me preparar pro que estava por vir.

A subida era mil vezes mais íngrime que a primeira e com muito mais pedras, assim, milhaaaaares de pedras, de todos os tamanhos! E não eram aquelas pedras que você vai escalando de boas porque elas estão grudadas no solo, são daquelas que conforme você pisa, ela se movimenta e você vai escorregando junto, maravilha, não? O cuidado precisa ser redobrado por ali, é muito fácil cair e torcer o pé. Acho que parei umas duas vezes nesse trajeto, porque até pra parar ali é complicado por causa do terreno… e como todo final de reta, parecia que não chegava nunca.

Foram 2 horas e 15 minutos de subida muito sofrida, mas chegar no topo, ver aquela paisagem sensacional de lá de cima, aquela sensação maravilhosa de conquista e de desafio superado é sem palavras sabe? É por isso que eu amo subir montanhas, não importa o quão difícil sejam. Parece que quanto maior o desafio melhor.

A descida fizemos em 1h45, demorei muito nessa segunda fase que na descida vira a primeira, parece que fica mais difícil e você vai surfando pra descer, as vezes parece que é até melhor você deixar ir escorregando mesmo. Eu estava com medo de cair e me machucar feio, então fui devagar e prestando atenção em cada pedra que eu pisava. Meu pé foi todo pra frente do calçado e o jeito que eu tava pisando fez meus dedos começarem a doer muito, olha que eu estava de bota e com o pé super protegido, magina ir descalço ou com um calçado inadequado?

IMG_7643 IMG_7646 IMG_7647Vendo minha situação ali, passa um casal escocês super simpático e o cara me pergunta se eu não quero usar o bastão dele pra descer (HAHAHAAHA pausa pra mentes maliciosas, desculpa), já que a mulher dele já tinha o dela e o que ele tava usando era pequeno demais pra ele.

Eu nunca usei esses bastões de trilha mas na situação que eu tava aquilo foi um presente dos deuses, porque no final das contas me ajudou muito. O bastão te ajuda a manter o equilibrio e sua performance melhora bastante, principalmente ali na descida achei que serviu muito bem, pra subida ir sem até que é bem ok e inclusive eles vendem/alugam bastões lá na base da montanha no centro de visitantes pra quem não tem um.

Na descida eu não parei, fui direto mesmo que lenta em algumas partes por conta da dor nos dedos do pé. E também eu e o Lindo fomos recolhendo as garrafas plásticas que esse povo sem noção jogava pelo meio do caminho, é frustante isso, mas tô pensando em levar sempre um lixinho extra nas próximas trilhas pra ir limpando, sei que não é problema meu e que cada um devia fazer sua parte, mas já que esses imbecis não cuidam do nosso planeta, não consigo passar por esse monte de lixo e não sentir uma dor no coração, vou fazer minha parte e a dos outros também porque não dá pra ficar só assistindo esses idiotas poluirem o meio ambiente assim e não fazer nada.

No total foram 4 horas tudo e eu fiquei bem contente, acho que fui muito melhor do que eu esperava, claro que dá pra fazer em menos se você tiver um condicionamento físico super bom, mas só de ter completado tudo e não ter ficado morrendo pelos cantos nos dias seguintes já é uma conquista e tanto.

O Lindo já fez essa escalada em 2 horas, sim, o homi subiu e desceu isso aí que nem um trem bala, não parou uma vez, só no topo rapidinho e já desceu. Um dia ainda chego nesse condicionamento invejável que ele tem. Oremos.

E claro, tenho que mostrar a vista maravilhosa lá de cima!
IMG_7588IMG_7593 IMG_7597IMG_7598IMG_7599IMG_7622IMG_7623IMG_7587Será que rola mais montanhas até o final do ano? Espero que sim!

》》 E vocês, já chegaram no topo de uma montanha? Qual foi a mais difícil?

//You Might Also Like

//32 Comments

  1. Ana

    junho 30, 2016 at 11:04 am

    Fantástico, Tais! Super orgulhosa de você, pois eu já fiz trilhas desse tipo e sei como é desafiador. Parabéns, tough girl!!!
    E que visual mais lindo esse lá de cima. A recompensa é realmente impagável. Amo esse tipo de atividade e mal vejo a hora de partir pra minha próxima aventura 🙂
    Lindas fotos, lindo lugar! Keep hiking <3
    super beijo
    Ana

    1. Taís

      junho 30, 2016 at 8:50 pm

      Awnn, Ana, muito obrigada <3
      Eu ainda espero pelo dia que vamos fazer hiking juntas, viu?
      Beijo!

  2. Camila Faria

    junho 30, 2016 at 11:07 pm

    Chocada que tem gente que faz essa escalada descalço. Impossível gente! Só para pagar uma promessa muito grande mesmo. Hahaha! Eu já usei bastão quando escalei uma montanha bem pedregosa assim em Torres del Paine. Ajuda MUITO mesmo, especialmente na descida.

  3. Luiza

    junho 30, 2016 at 11:08 pm

    Condicionamento físico nível: fiquei cansada só de me imaginar na subida! hahaha.

    Nunca subi uma montanha, pelo menos nenhuma que seja nem 1/3 dessa, mas adoraria fazer qualquer dia desses. Adoro essas aventuras e desafios, mesmo sabendo que vou quase morrer.

    Já tava achando a montanha linda, mas olha, essa vista lá do topo… ♡

  4. Katarina Holanda

    julho 1, 2016 at 5:58 pm

    GO GIRL! Parece mesmo ter sido super difícil, feliz que você conseguiu!! 😀 E como valeu a pena, né? Que lugar mais lindo ♥

  5. Lorraine Faria

    julho 1, 2016 at 11:04 pm

    Eu tô chorando com a beleza dessas últimas fotos Taís! E só de pensar em mais de 2h de subida meu pé, perna e costas ja doeram aqui! Parabéns pelo esforço viu??? Porque pela exuberância desse lugar deve ter sido uma experiência incrível!

  6. Bárbara

    julho 3, 2016 at 3:47 pm

    Que fotos incríveis Taís! Me perdi na profundidade delas, deu vontade de viajar!

    Beijinhos no coração!
    http://barbaradoblog.com/

  7. Brigadeiros e Barcelona

    julho 4, 2016 at 1:49 pm

    O lugar é bem incrível, mas confesso que me deu um pouco de desespero olhar a galera escalando. Medinho de altura!!!! hehe
    Bjs!

  8. Thayse Stein

    julho 5, 2016 at 10:33 am

    Gente, que vista maravilhosa de meldels, tô apenas chocada. Tens muito que fazer um quadro com uma delas, imagina! Sensacional. Não sabia que esses bastões ajudavam tanto assim pra fazer trilha, na verdade nunca tinha pensado muito sobre eles, mas que bom saber que eles podem ser super efetivos. Acho que valeu super a pena todo o esforço, Ta, que experiência maravilhosa *-*


    Beijos
    Brilho de Aluguel

  9. Liduh

    julho 8, 2016 at 6:09 am

    Puxa! Fiquei sem fôlego só de olhar, Taís… tô fora de forma 😉 O visual é encantador e maravilhoso, vale a pena o “sacrifício”. Ah, achei engraçada a história do escocês heheh 😉
    Bjs e bom fim de semana!

  10. Laura Nolasco

    julho 9, 2016 at 3:46 am

    Que lindeza, Taís!
    Deve ter sido realmente incrível perceber que você consegue fazer coisas assim, né?
    Eu só de pensar em descer um chão de pedrinhas super ingreme, me dá agonia… Tenho a patela solta e só imagino ela deslocando no meio do caminho :/ hahahah… Mas nossa, vale a pena demais esse esforço todo, né? Lindas as fotos, o lugar parece incrível!
    Amei o post!
    Beijos!

  11. The Reader's Tales

    julho 9, 2016 at 8:55 am

    Olá Tais, tu és mesmo uma tough girl 🙂 Bravo! Em 4 horas, eu apesar de ser muito desportista não sei se conseguiria…hahaha. Bom fim-de-semana.

  12. Larissa Ayumi

    julho 12, 2016 at 1:09 am

    Taís, muito obrigada pelas fotos, porque se eu fosse aí, ia desmaiar na primeira metade. HAHAHAHAHA! Ok, eu ia conseguir (talvez) mas ia demorar umas 6h, na moral aheuaheuaheuaheua! É muito difícil andar em pedras soltas e mais difícil ainda descer em pedras soltas, imagino como seus dedos e pés devem ter ficado destruídos D:
    Mas uma coisa é certa, a vista é linda e junto com o sentimento de superação deve ser a melhor coisa! Parabéns Taís, que venham mais hillwalks!
    E sobre o lixo, infelizmente a gente tem que ser consciente por nós e pelos outros, porque só assim as coisas vão andar =/

  13. Nicas

    julho 13, 2016 at 10:26 pm

    “nem fui conferir o nível de dificuldade e nem quantos metros essa belezinha aí tinha” —> a gente nunca confere

    Bastão de trilha ajuda DEMAIS! Eu não me imagino subindo um troços desses sem um (mas também não imagino como apoia no meio de TANTA pedra). Eu andei 100km, mas não andava isso aí, de boa.

    Mas que é lindo, é lindo. É lindo demais!

  14. KARINE

    julho 15, 2016 at 5:11 am

    Ta, que aventuraaaaaaaaa! É MUITO alta essa montanha, mddc! Eu imagino aquela segunda parte com todas aquelas pedras, deve ter sido muito difícil. Mas que bom que deu tudo certo e você ainda ganhou aquela vista linda! <3 obs: na hora de descer eu tb iria bem com calma e morrendo de medo pra n sair rolando, haha

  15. Thay

    julho 16, 2016 at 10:59 pm

    Miga, cê é muuuuito maravilhosa e incrível por ter subido isso tudo! Não sei se eu teria fôlego para uma subida dessas, haha, provavelmente ficaria com medo de tropeçar e sair rolando morro abaixo. Mas como você mesma disse, a gente tem que tentar pra descobrir até onde consegue ir – e a recompensa no final, essa visão maravilhosa, não poderia ser melhor. Quero ser como você quando crescer! <3

  16. VANESSA BRUNT

    julho 18, 2016 at 2:25 pm

    Quanta coragem! Ai, inspiração maravilhosa! Deve ser incrível passar por uma experiência linda assim e deve ser uma caminhada de autoconhecimento incrível através do esforço. Isso me impulsiona a fazer mais atividade física, porque às vezes em uma caminhadinha besta, se aparece uma ladeira, no meio já estou morrendo, rs.

    http://www.semquases.com

  17. Cíntia de Melo

    julho 18, 2016 at 3:08 pm

    Estou aqui morrendo de inveja! As ultimas fotos estao lindas demais,com aquela agua limpinha e cristalina! que sonho <3

  18. Mayara Anjos

    julho 25, 2016 at 3:41 pm

    Nossa, às vezes é difícil de acreditar que lugares lindos assim fazem parte desse mundo. A gente vive tanto na correria que não consegue parar para ver essas grandes belezas da natureza. Realmente eu teria dificuldades de escalar uma montanha sozinha, talvez eu deva começar pelas pequenas primeiro.

  19. Lilian Moraes

    julho 28, 2016 at 12:13 pm

    AMO fazer trilhas! Eu ia adorar esse passeio, fora que a vista lá de cima é incrível né? As fotos ficaram lindas <3.

    Beijos
    http://orangelily.com.br/

  20. Viviane

    novembro 4, 2016 at 12:11 pm

    Uau… Paisagens incríveis e fotos lindas!!! Parabéns pelo post e pelo blog… Adorei!!!

  21. Eloah Cristina

    novembro 4, 2016 at 12:38 pm

    Lindas fotografias! Fiquei apaixonada.

  22. Cristina e Renato

    novembro 4, 2016 at 12:56 pm

    Uauuuu, a vista é maravilhosa! Você agiu super bem, vai no seu ritmo, mas vai. No final você percebe que tudo valeu a pena. Adoramos hiking nas montanhas! Parabéns pelo post e pela trilha também! Abraços, Cristina.

  23. Alexandra Pozes Joia de Souza

    novembro 4, 2016 at 2:16 pm

    Realmente esta trilha é p os fortes. O caminho das pedras é super difícil. Mas a recompensa foi a visual, lindo.

  24. Camila Lisbôa

    novembro 4, 2016 at 6:34 pm

    Me vi subindo essa montanha!

    Eu sou igualzinha! Vou subindo toda concentrada… esqueço total das fotos! (depois chego em casa pra fazer o post e quero bater a cabeça na parede, rs).

    E valeu demais… a vista é espetacular!

    (e do lixinho… sim, a gente tem que fazer a nossa parte e a dos outros mesmo… paciência!

  25. Mariana Bueno

    novembro 4, 2016 at 7:49 pm

    Menina, que loucura!!! Que aventura!!! Mas pelas fotos incríiiiiveis dá pra ver que super valeu a pena, né?

  26. Ana Carolina Miranda

    novembro 5, 2016 at 9:45 am

    Ana parabéns por não ter desistido. Acho que deve ter sido uma experiência maravilhosa! Que vista, amei!!!

  27. Itamar Japa

    novembro 5, 2016 at 1:39 pm

    “montanha é comigo mesma” Logo de cara já simpatizei! rsrsr! … Por mais que a maior parte do trajeto do Chacaltaya seja de van, aqueles metros finais são intermináveis, me lembro que quando cheguei lá no cume não consegui levantar as mãos pra tirar foto… Literalmente falta ar! No Wayna Picchu não senti tanto… Quanto a esta montanha, CROAGH PATRICK, que experiência incrível eim! Fiquei alucinado pelo visual do cume! Parabéns por mais esta conquista!

  28. Alessandra Maróstica de Freitas

    novembro 5, 2016 at 1:49 pm

    Um super desafio. Parabéns por ter conseguido! Fiquei de boca aberta com as fotos. Que vista incrível!!!

  29. Alyssa

    novembro 6, 2016 at 6:09 pm

    Taís, confesso que eu li o seu relato pensando “nossa, que empenho só para subir uma montanha” MAS OLHA ESSA VISTA!!! Coisa incrível! <3 E realmente, é muito bom superar desafios, especialmente aqueles que achamos que não vamos conseguir! Parabéns pela superação e pelas fotos lindas!!

  30. Carla

    novembro 6, 2016 at 9:39 pm

    Nossa que visual!!
    Minha subida mais difícil, dificílima, foi o vulcão villarica no Chile….Ele estava nevado e por isso foi muito hard! Não cheguei ao cume, mas caminhei das 6 da manhã até 13h….parei na metade…rs. Mas o que vale é tentar, não é mesmo?

//Leave a Reply