Europa, Islândia, Nordic Vibes

Ég sakna Ísland

E já faz 1 ano que realizei o maior sonho da minha vida e estou aqui toda nostalgica lembrando  e sentindo falta de absolutamente tudo, até dos banhos com cheiro de enxôfre.
Se você me conhece pelo menos um pouquinho deve saber que eu sou dooooooida por esse lugar. Eu fiz um post chamado Eu e a Islândia contando um pouco a nossa história de amor, temos essa conexão que ultrapassa qualquer entendimento, é difícil tentar explicar pras pessoas esse amor, ninguém entende muito bem e tenho certeza que muita gente me acha doida, até porque não passo um dia sem algo que seja de lá, seja com as músicas ou lendo as notícias do que está rolando na ilha.

 

Foi muito tempo esperando pra um dia poder pisar nesse país e ver com meus proprios olhos tudo aquilo que eu sonhava, mas que só tinha visto pela internet. Tinha dias que chorava assistindo aos videos, documentários, vendo fotos… e sentia aquela saudade enorme rasgando meu peito, uma saudade que não dava pra explicar de um lugar que eu nunca tinha visitado. E minha realidade não me permitia largar tudo e sair correndo pra lá o mais rápido possível.
Eu achei que visitando a Islândia iria dar uma acalmada nesse sentimento todo, mas eu estava muito enganada. Depois de ter ido pra lá, parece que o negócio ficou pior ainda. Como é que para de pensar nesse lugar depois? Não dá, é impossível!
E foi por isso que eu vim aqui fazer uma listinha (acompanhada de fotos que tirei com o celular) de 12 coisas  aleatórias que me fazem morrer de saudade de lá. São 12 meses longe da minha terrinha então tem uma coisa pra cada mês que se passou.

 

1. Ouvir islandês nas ruas – vocês não têm ideia de como eu ficava sorrindo que nem boba só de ouvir alguém falando em islandês pelas ruas, meus olhinhos brilhavam e se eu pudesse ficava horas ouvindo os dialógos das pessoas mesmo sem entender nada. Um dia aqui em Dublin ouvi duas pessoas conversando no idioma, quase chorei e sai correndo pra abraça-las. Idioma mais lindo desse mundo ♥
2. Sentir aquele ar puro e gelado do norte –  estive lá  em dezembro, no pico do inverno e quando o país estava enfrentando pelo segundo ano consecutivo um inverno bem tenso que não aparecia por lá em anos, eu sinto falta até daquele ar gelado e de não sentir minhas mãos.
3. Achar Skyr no supermercado – o iorgute islandês mais delicia da vida, eu tinha medo de me decepcionar e achar ruim quando finalmente o provasse, mas eu amei e tive uma overdose de Skyr de vários sabores. Cadê Skyr aqui na Irlanda? 🙁
4. Ir ao supermercado – eu tive que falar separadamente sobre ir ao supermercado, porque olha.. cada dia era um novo desafio. Uma simples tarefa como ir comprar comida vira uma aventura e tanto quando você adiciona o idioma islandês no meio. Sorte que tanto as pessoas que trabalhavam lá como os proprios islandeses fazendo suas compras ajudavam nessa tarefa difícil e ao mesmo tempo divertida que era comprar comida.

 

5. Encontrar músicos que eu gosto andando pelas ruas – o país é pequeno e não é de se assustar que todo mundo conhece todo mundo e os músicos andam pelas ruas da capital sem maiores problemas, pra gente fã de música islandesa isso é um paraíso poder ‘conviver’ no meio desse tanto de gente talentosa que a gente admira e acompanha de longe, fora que são super simpáticos e vão te tratar super bem se você resolver aborda-los.
6. A concentração para andar na neve – dias antes de ir e durante minha estadia na Islândia o país foi atingido por várias tempestades de neve e tinha neve por tudo quanto é canto. Se você não está acostumado a andar na neve, os primeiros dias podem ser um pouco difíceis e tem que se concentrar pra não cair! Quando a neve ta fresquinha e fofa é até mais fácil, o que foi complicado  era quando tinha muita acumulada e cobria teu pé inteiro ou até mesmo chegava no joelho, e ao caminhar parecia que você tava aprendendo a andar hahaha,  mas o que complica mesmo é quando ela começa a formar aquela camada de gelo e a as ruas ficam super escorregadias. Eu fiz um belo trabalho  na parte da concentração e não caí nenhuma vez, mesmo sendo super desastrada. Só sei que dá a maior saudade de pequenos detalhes como esses.

 

7. Kex Hostel – essa foi minha ‘casa’ durante o curto tempo que fiqui lá, um lugar que eu sonhava em poder me hospedar antes mesmo de pisar em solo islandês e eu simplesmente amei tudo, dá até saudade da aventura que era achar uma roupa na escuridão do quarto (e tem post sobre o Kex aqui)

8. A água – sem exagero nenhum, mas a água da Islândia foi a água mais maravilhosa que eu já tomei na vida! Você abre a torneira (deixando escorrer um pouco da água quente com cheiro de enxôfre) e pode tomar numa boa porque a qualidade da água lá é incrível, coisa de outro mundo mesmo. Uma água gostosa e super pura, que tanto nas torneiras como em qualquer lugar no meio da natureza são apropriadas para consumo (já falei um pouco sobre isso nesse post)

9. As casinhas coloridas em Reykjávik – e tem como não amar e sentir a maior saudade das casinhas? É de ficar babando e sonhando em morar em uma dessas casas coloridas que deixam a cidade ainda mais linda. Não posso ver casinhas nesse estilo que o coração já bate mais forte e cheio de saudade.

10. Os bares e cafés – em Reykjavík os bares e cafés são uma atração a parte, tem que ir! É um mais gracinha que o outro e cada um tem sua ~vibe~ diferente, que dá vontade até de morar ali dentro, e nada como ir se esquentar em um deles após uma caminhada gelada pela capital.

 

E fica o aviso: ‘If you are racist, sexist, homophobic, or an asshole… Don’t come in!
11. A simpatia do povo islandês  – a simpatia desse povo é de deixar a gente de boca aberta, o tanto que eles te ajudam e ficam super feliz quando você sabe algo da cultura deles, aí que eles vão amar e ficar super empolgados pra falar do país, magina que eu não amei, né? Logo no meu primeiro dia eu tive problemas pra trocar dinheiro, não quis fazer isso no aeroporto e tentei resolver lá no centro (e me ferrei), problema que já cheguei no horário que os bancos estavam fechados e foi aí que uma menina suuuper simpática de uma dessas casas de informações turisticas viu o meu desespero, eu não teria como trocar dinheiro por pelo menos mais 2 dias. Ela  na boa vontade mesmo trocou o máximo  de dinheiro que ela tinha lá pra me ajudar, não era problema dela, mas ela simplesmente salvou minha vida! haha
 
12. Aurora Boreal – não posso ver foto ou ouvir falar de Aurora Boreal que meu coração acelera de uma tal maneira, já logo me faz lembrar do momento incrível que vi esse fenômeno e que nunca mais sairá da minha cabeça, só vendo pra entender o quão especial é um momento desses. Fico arrepiada só de lembrar e com aquela saudade gigantesca. Ai Aurora, quero muito te ver de novo! ♥
Esses foram apenas 12 motivos que me fazem sofrer de saudade. É um amor que apenas cresceu e bate aquela ‘homesick’ inexplicável de um lugar que na realidade nem é a minha casa.
Ég sakna Ísland e espero que nosso reencontro seja em breve!

 

//You Might Also Like

//27 Comments

  1. Bruna Matos

    dezembro 15, 2015 at 10:58 pm

    Posso imaginar seu brilho nos olhos ao falar sobre esse país. Acho que sentirei algo parecido quando conhecer o japão <3
    Tenho vontade de ver a aurora boreal, deve ser uma visão incrível!
    Meu blog: http://www.umavidaemandamento.blogspot.com/

    1. admin

      dezembro 17, 2015 at 11:15 pm

      Ai, o Japão deve ser incrível tb, espero que tu conheça um dia! E a Aurora é sem palavras <3

  2. K arine

    dezembro 16, 2015 at 1:35 am

    Que post lindo, Ta!
    Todo mundo torcendo pra você conseguir voltar logo pra essa sua casa nórdica <3 porque lendo tudo que escreveu dá pra sentir todo esse seu amor por esse lugar, acho ate meio impossível ter quem não entenda, sério, hahaha!

    1. admin

      dezembro 17, 2015 at 11:20 pm

      Kah, sua fofa.. eu tb espero muito voltar logo pra esse lugar ♥

  3. Dan

    dezembro 16, 2015 at 5:13 am

    Que lindo seu sentimento por esse lugar, acho que te entendo, perfeitamente, tenho o mesmo sentimento pela Itália, não conheço mas parece que sempre fui de lá, sensação de metade, de vazio, de falta, só de não estar lá, estranho, né?rsrs Amei te ler, cheguei agora aqui e estou me divertindo muito! Obrigada,rs beijocas!

    1. admin

      dezembro 17, 2015 at 11:35 pm

      Awn, muito obrigada, seja muito bem vinda por aqui <3
      é um sentimento doido esse de nunca ter ido a um lugar e ao mesmo tempo sentir aquela coisa de pertencer lá, não é?

  4. Camila Faria

    dezembro 16, 2015 at 12:43 pm

    Impossível ver algo relacionado a Islândia e não lembrar na hora de você Taís! Como é a aceitação de estrangeiros por lá? Muito complicado? Porque apenas acho que você deveria morar lá (pelo menos por um tempo). 🙂

    1. admin

      dezembro 17, 2015 at 11:38 pm

      Awnnn, Ca <3
      É complicadinho ir pra lá ficar mais de 3 meses, menos que isso não precisamos de visto com o passaporte brasileiro, entao seria tranquilo ir pra morar planejanto um curto prazo, caso seja mais que 3 meses não sendo europeu é complicado, visto de trabalho não é fácil, estudar lá é muito caro.. etc. Mas tem opção de fazer voluntariado, mas tem que se planejar pra levar uma grana pra se manter… quem sabe um dia! *.*

  5. Thayse Stein

    dezembro 16, 2015 at 1:32 pm

    Eu quero muito conhecer a Islândia. Eu tenho uma certa fascinação pelo país, mas isso aflorou muito em mim no começo deste ano, quando comecei a ver mais coisas e pesquisar mais sobre Reykjavík. Acho tão incrível essas paisagens e sou completamente apaixonada pelo inverno e pelo frio, mas claro que sou super destrambelhada e não conseguiria não cair e escorregar e afins hahahah
    Amei esse post, já fui até ver o site do hostel e seus posts relacionados, estou num relacionamento sério com eles <3

    Beijão!
    brilhodealuguel.com

    1. admin

      dezembro 17, 2015 at 11:49 pm

      Thayse espero que um dia você vá conhecer esse lugar porque é incrível demais, lugar mais lindo do mundo e super especial! Fico feliz que goste e quem sabe esses posts te ajudem ou inspirem você mais ainda a ir pra Islândia <3

  6. Ana S.

    dezembro 16, 2015 at 4:07 pm

    Que relato mais lindo sobre você e a Islândia! Acho que já comentei em algum texto seu que a Islândia é o meu sonho de viagem. Até me vi em alguns trechos do seu relato. Eu também namoro fotos, me imagino fotografando todos aqueles lugares onde não há mais nada, além da natureza crua na sua forma mais bonita. Sigo vários perfis no instagram sobre a Islândia. Espero muito que você consiga voltar e que eu consiga ir! Muito legal saber que compartilhamos a paixão pela fotografia e por esse país tão único! Enfim, experiências riquíssimas a serem trocadas!
    Um bjão

    1. admin

      dezembro 17, 2015 at 11:53 pm

      Sim, Ana, precisamos trocar essas experiências!
      Já imagino o tanto de foto maravilhosa que você vai tirar na Islândia, espero que você consiga ir logo sim!! Esse país é lindo demais e muito especial e não tenho dúvidas de que você vai voltar de lá ainda mais apaixonada, é muito mágico! ♥

  7. Wanila Goularte

    dezembro 17, 2015 at 1:04 pm

    Você definiu exatamente o que eu sinto quando vejo as fotos aqui do seu blog: saudade de um lugar em que nunca estive.

  8. Michelli B.E.

    dezembro 17, 2015 at 7:20 pm

    Aurora boreal ta na minha lista e coisas da vida, deve ser lindo. Agora, quero super esse iogurteeeeee =9

    1. admin

      dezembro 18, 2015 at 12:00 am

      Aurora é sensacionaaaal e tu precisa ver um dia Michelli <3

  9. ingrid

    dezembro 17, 2015 at 7:47 pm

    Aiii Taís tudo q eu vejo de Islãndia lembro de vc e puuuts com esse teu post até eu tive saudades do q nao conheci hahahaha tb com essa paisagem , tem q ter uma experiencia muito ruim pra nao sentir saudade. e menina explica o q era esse pootinho?!!? eu penso em manteiga, mas tem um porquinho…viajei kkkkk

    1. admin

      dezembro 18, 2015 at 12:08 am

      hahaha é verdade, eu não conheço uma pessoa que já foi pra lá e não sinta saudade! 🙂
      E no potinho era manteiga mesmo, tem o porquinho porque a marca era do supermercado, e o logo deles é um porquinho mesmo hahaha 😀

  10. Isabella Lessa

    dezembro 22, 2015 at 12:33 pm

    Gente que lindeza!
    Cada post amo mais AHAHAHHAHAHAHAH!
    Nas férias vou pegar com bastante calma e ler tudo por awui!

    Abração!

  11. Ana

    dezembro 24, 2015 at 5:30 pm

    Eu odeio frio, e mesmo odiando frio, com esse teu post me deu uma vontadinha de ir conhecer tudo lá. A foto de você na neve já fez pensar no meu pé caindo congelado.

    Abri teu post do hostel (hotel?) e que lugar DEMAIS. Tô completamente apaixonada. A única experiência com hostel que eu tive foi num em Amsterdam, em que eu e mais duas amigas dividimos o quarto com mais nove pessoas. Foi uma experiência bem estranha.

    Beijo!

  12. Marianne

    setembro 22, 2016 at 5:36 pm

    Que lugar lindo! Só com as fotos já dá vontade de conhecer. Com o seu relato cheio de amor e saudade então…

  13. Scheyla

    março 27, 2017 at 5:13 pm

    Estou revirando o blog!! hehehe Mto interessante cada relato seu da Irlanda, eu fico imaginando do mesmo jeito que vc imaginava a Islândia antes de conhecer…
    Engraçado que eu tb sinto o mesmo sentimento de saudade sem nunca ter conhecido, em relação à Irlanda, Escócia e o Reino Unido. Lembro de um programa no Multishow onde a apresentadora foi até Stonehenge e Hadrian’s Wall, e eu assistindo com minha mãe, começou a me dar uma vontade de chorar, um aperto no peito, como se já tivesse conhecido lá. Desde pequena tenho esse sentimento, lembro que tinha um livro que contava uma história de um homem com um setter irlandês e tinha fadas e seres imaginários, e isso me atraía de um jeito… adolescente quase fui wicca, por causa das tradições de celebrar estações e tudo o mais.. adoro vento e frio hahaha… sei lá, difícil de explicar. Legal ler esses relatos seus, vejo que não sou só eu que me sinto assim em relação a algum lugar.
    Adoro seu blog e estou pegando mta informação e dicas pra um dia que for lá pra esses lados 🙂

    1. Taís

      março 30, 2017 at 10:54 am

      Que lindo isso, Sheyla. Obrigada por compartilhar um pouco da sua historia também. Espero que você consiga realizar esse grande sonho de vir pra essas terras muito em breve. Qualquer duvida que vc tiver e eu puder ajudar, só perguntar. <3

  14. Camila

    abril 19, 2017 at 12:27 am

    Oi Tais, muito legal o seu blog! Estive na Islândia agora em março com meu marido, foi a viagem das nossas vidas. Alugamos um carro e fizemos a volta à Ilha, parando para dormir cada dia em um lugar! Caramba, super entendo a sua fascinação! Estou muito na fossa, vontade de morar lá. ..me identifiquei com muita coisa que relatou, o skyr, a água, os supermercados!!!etc…da para escrever um livro da nossa aventura! Beijos

    1. Taís

      abril 28, 2017 at 11:19 am

      Que demais, Camila!! A Islândia é um lugar muito especial mesmo e quando a gente volta parece que uma parte nossa ficou! Infelizmente eu não consegui fazer essa volta a ilha, mas quero muito fazer um dia.
      Obrigada pelo comentário e fico feliz que tenha gostado do blog. Beijos!

  15. cesar s. bairros

    maio 24, 2017 at 8:36 pm

    Tais você já conheceu o Blue Lagoon em Grindavík?

    1. Taís

      maio 24, 2017 at 11:34 pm

      Oi Cesar, conheci sim, tem um post aqui no blog sobre minha ida pra la: http://nyrdagurblog.com/blue-lagoon/

//Leave a Reply