América do Sul, Viagens

Em terras peruanas

Depois do nosso passeio rápido em Arica, já compramos nossas passagens para o próximo destino: Arequipa. Foi meio estranho, o trajeto não era só de ônibus e fomos de táxi até passar a fronteira e chegar em Tacna (Peru). Coisas da empresa que compramos as passagens, mas confesso que não sei dizer se todas fazem o trajeto assim ou se tem alguma que realmente seja só ônibus.

Não fomos sozinhos no táxi, tinha uma peruana doidinha que morava no Chile, uma chilena também doidinha e um equatoriano muito misterioso e que não descartava a possibilidade de ser doidinho também. Caminho tranquilo, sentindo a brisa do mar! Quando chegamos na fronteira Chile/Peru o motorista que nos levou  ajudou a fazer todo o procedimento, até pra sair do Chile foi chatinho (como na imigração para entrada)… Não revistaram, mas a mulher do nosso guichê demorou muito pra liberar todo mundo.  A chilena esqueceu que sua identidade estava vencida, olha que louca! Ela teve que voltar, não deixaram sair do país com documento vencido.

Seguimos nós para a imigração peruana, lá sim tiramos todas as malas e eles passaram no raio-x… É bem chatinho todo esse procedimento nas imigrações, você tem que preencher papéis com seus dados, dizer quanto tempo vai ficar e blábláblá.. Seja por terra ou ar, os papéis são os mesmos e estão nos idiomas inglês e espanhol, se não souber o que significa é bom perguntar e não sair escrevendo qualquer coisa.
O motorista nos levou até a rodoviária de Tacna para pegar o ônibus, ali nos separamos da peruana que iria pegar ônibus pra Lima, o equatoriano foi com a gente.

Na rodoviária aproveitamos para trocar dinheiro para a moeda peruana: soles. E foi lá também que começou (de verdade) a preocupação no sentido pessoas. Quando estávamos sentados esperando a hora da saída do ônibus, uma senhora peruana toda assutada chegou e  falou que era pra eu não desgrudar dos meus pertences, porque tinha um cara rondando a gente. Confesso que fiquei assustada, mas eu já tinha reparado que um cara estava olhando nossas ‘mochilas de mão’ (as grandonas você sempre já manda pros caras guardarem quando o ônibus chega) e já fiquei esperta! A mulher chegar e falar, só foi mais uma prova de que realmente não era coisa da minha cabeça e que o cara queria fazer alguma maldade. É sempre bom você não desgrudar nenhum segundo das suas coisas e sempre ficar atento quando você  perceber alguma coisa estranha no ar.

peru

Logo que entramos no ônibus colocaram os  hits do verão pra tocar e o Michel Teló não ficou de fora. Musiquinha infernal que estava bombando no Peru. A viagem foi um pouco cansativa, no caminho passou alguns filmes e entre eles estava o ‘El dorado, a cidade de ouro’, não resisti e comecei a ver. O filme tem todo aquele clichê sobre o tema, foi interessante pelo fato de estarmos em terras peruanas e logo nós iriamos mergulhar em histórias e lugares da época dos Incas.

Finalmente, quando chegamos em Arequipa você já consegue ver o lindo símbolo da cidade, o vulcão Misti. Não poderia deixar de dizer como a cidade é caótica, a preferencia no trânsito é pra quem chega primeiro e os pedestres que se cuidem! Foi meio chocante pra gente, já estávamos acostumados com a calmaria das cidades anteriores.. Foi como se estivéssemos voltando pra nossa cidade caótica.

Assim que acertamos o Hostel fomos até a Plaza de Armas, era umas duas quadras. A Plaza é lindíssima, ficamos de boca aberta! Infelizmente não rolou de fotografar, ficamos com um pouco de medo e o taxista tinha falado que era uma região um pouco perigosa. Encontramos alguns turistas fotografando normalmente, mas não arriscamos.
Achamos na Plaza de Armas uma agência de turismo muito boa a Peru Bolivia Expeditions, lá acertamos o tour pelo Valle del Colca, trocamos dinheiro e também compramos passagens (com a melhor cia de ônibus do Peru) pro nosso próximo destino, Nazca! O serviço da agência é muito bom, super recomendo.

Depois de sairmos super satisfeitos da agência encontramos um mercado e fizemos a festa, compramos várias besteiras pra comer no passeio do dia seguinte. Nossa, sensação muito boa de encontrar um mercado grande! E para ficarmos mais felizes ainda, o restaurante que paramos servia um Ají de Gallina (prato peruano) maravilhoso, fico com água na boca só de lembrar. E não esquecer das sorveterias espalhadas pela Plaza.

Felicidade de Arequipa: entradas do Valle del Colca, a agência super boa e o mercado grande!

Chegamos no hostel super satisfeitos e já deixamos avisado com o carinha do turno da noite  que às 2  e meia da manhã iriam nos buscar para fazer um tour (outra coisa muito boa, a agência te pega no hostel já que a saída é muito cedo – é uma longa viagem até o Valle).
Na Tv estava passando um documentário sobre as Linhas de Nazca, assistindo já comecei a ficar ansiosa, era o nosso próximo destino e também um dos lugares que estava na minha lista ‘não posso morrer antes de conhecer’…Mas, deixando a euforia de lado eu precisava me concentrar mesmo era no Valle del Colca que também era um dos principais destinos do Peru e do nosso mochilão.

//You Might Also Like

//4 Comments

  1. fabio hide

    abril 13, 2012 at 4:00 am

    Arequipa, umas das cidades que mais fiquei com um pé atrás, caos total. Carros, gente, barulho, sujeira.
    Queimou um pouco o filme do Peru, mas tirando isso, suas paisagens são sensacionais!
    Arequipa foi uma experiéncia diferente e agradável! 🙂

  2. Bianca Moraes

    abril 13, 2012 at 6:54 pm

    Recebi o comentário sim! ^^

    Então.. pensei em algo que acho que seria legal!
    Me passa o seu e-mail? Que aí combinamos melhor por lá, ao invés de ficar comentando de um lado pro outro! O que acha? 🙂
    Ou se quiser me escrever direto, pode enviar pra bdmavila@gmail.com que eu já respondo logo por lá também! ^^

    ;*

  3. Thay

    abril 14, 2012 at 12:31 am

    A cada novo post seu minha vontade de viajar só cresce! Pena que minhas férias estão longe – e eu preciso do seu post de guia pra poder começar a pensar em algo! Legal a atitude da mulher em avisar vocês do cara sinistro rondando. Deve dar um medinho básico mesmo, ainda mais estando em um país desconhecido. Mas que bom que nada de ruim aconteceu! Beijo, bom final de semana!

  4. .mi.

    maio 4, 2012 at 7:26 am

    "A chilena esqueceu que sua identidade estava vencida, olha que louca! Ela teve que voltar, não deixaram sair do país com documento vencido." ~dei muita risada imaginando a cena, sou má? hauhauahua mas depois fiquei com dó sei lá, deve ser muito chato você esquecer algo que não deveria numa viagem e ter que dar meia volta e ai ~pesadelo isso~

//Leave a Reply