Viagens

Histórias em hostels

Estava lendo o post Não seja um babaca de hostel que a Angie fez (inclusive vão lá ler, muito bom!) e lembrei de situações diversas que já passei em hostels, umas engraçadas, outras de dar raiva, mas que no final das contas rendem umas boas histórias pra gente lembrar depois.

Ficar hospedado em um hostel tem seu lado bom e ruim, mas no geral eu gosto muito e desde que comecei nessa vida de viajante independente eu sempre tô a procura de um hostel legal. Muita gente reclama de ter que dividir quarto, da bagunça que pode ser, mas hoje em dia existem tantas opções e você pode ter privacidade sim nesse tipo de lugar, escolhendo um quarto só pra você e ainda curtir a atmosfera legal de um hostel. E fora que hostels são lugares que podem ser cenários pra várias histórias e começo de grandes amizades.

Resolvi compartilhar aqui algumas situações que já passei por aí nesses hostels pelo mundo.

1 – LONDRES, INGLATERRA (DEZ.2014) 
Lembro que quase não achei lugar em hostel nenhum, já que deixei pra última hora e era perto do natal. Consegui nesse hostel que não era muito bem assim tão a minha cara, mas era confortável, limpinho e eu iria pra la só pra dormir mesmo. Fiquei num quarto feminimo de 4 camas e no primeiro dia só tinha eu e mais uma chinesa. Conversamos um pouco, ela parecia bem legal, mas bem na dela.

Passei o dia inteiro fora passeando e quando voltei pro hostel eu só queria tomar um banho e cair na cama. Quando abri a porta do quarto veio aquele cheiro MUITO esquisito! Estava a chinesa lá deitada na cama comendo uns negocios em conserva, acho que era picles, não sei direito, era algo chinês pela embalagem.. e aquilo tinha um cheiro muito forte. E detalhe, a única janela que tinha no quarto tava fechada, acredito que ela já tava umas boas horas ali trancada com os picles garantido que esse seria o aroma oficial do quarto. Eu quase caí pra trás, peguei minhas coisas correndo pra tomar banho e sumi do quarto.

Quando voltei ela estava lá ainda, junto com aquele cheiro e eu só queria estar morta. Sério.. pra que comer dentro do quarto, me diz? Eu fiquei com raiva, já que né… bom senso é bom e não faz mal a ninguém! Ela poderia muito bem ter ido comer na cozinha, lembrem-se sempre dessa regrinha: não comer no quarto e ainda mais algo de cheiro forte, o cheiro até pode ser bom pra você, mas você tá dividindo quarto com pessoas de outros países que não estão acostumados com tais coisas. No final das contas eu fiquei lá tentando dormir e rindo de mim mesma naquela situação, só com os olhos pra fora do cobertor. Ó, vida!
tumblr_o3f1npiGpD1r7eta3o1_500

 

 

 

 

2.  REYKJAVÍK, ISLÂNDIA (DEZ.2014)
Essa foi a vez que dividi o quarto com o maior número de pessoas, éramos em 16, quarto misto entre homens e mulheres, gente de tudo quanto é canto e foi uma experiência maravilhosa, já que a grande maioria se deu muito bem e éramos como uma ‘família’, de tão amigos que ficamos.

E lá me aconteceu aquele famoso caso do ‘ sou legal, não tô te dando mole’. Eu conversava com todos numa boa, como disse, todo mundo ficou muito amigo mesmo! Aí tinha esse americano, que por alguma razão levou a minha ~simpatia~ pra outro nível e começou a ficar interessado em mim, mas ele era muito tímido e ficou na dele. Certa noite eles queriam sair pra um lugar, mas eu fui fazer outras coisas e acabei voltando mais cedo do que eles. Estava já toda quentinha na minha cama, dormi na parte de cima de uma beliche e por alguma razão desconhecida demorei um tempo pra ficar realmente quentinha e cair no sono. Ouvi o barulho deles quando chegaram, todos muito bebados, mas mesmo assim com bom senso, já que ficaram lá na cozinha (que era ao lado do nosso quarto) sem atrapalhar quem tava dormindo (euzinha) 🙂

Gente muito tímida quando bebe se solta, e meu querido amigo americano achou que essa seria uma ótima oportunidade de abrir seu coração e dizer que ele queria me dar uns beijo! HAHAHA

Ele entrou no quarto sozinho, escalou minha beliche e pulou na minha cama… IMAGINEM MEU SUSTO??!!!! Eu dei um pulo, tava toda quentinha e esse ser tava la fora, naquele inverno islandês e parecia mais um cubo de gelo enorme caíndo na minha cama. Eu comecei a tremer de frio, e ele não falando coisa com coisa, não tentou fazer nada, apenas ficou falando que gostou muito de mim, mais que amigos e se ele poderia me dar um beijo…

Oh God.. nope!
tumblr_inline_o5fpwllTTU1qj3s9r_500

 

 

 

 

 

 

Falei que ele tava bem doido e confundiu as coisas, que eu via ele apenas como amigo, que no outro dia a gente conversava, eu só queria dormir e ele estava deixando minha cama virar uma geleira, eu ia demorar pra dormir de novo até aquela cama ficar quentinha!

Ele voltou a sí e ficou me pedindo mil desculpas.. eu so falei ‘tá bom, tá bom, só desce daqui plmdds, vai dormir, criatura!’ E nisso, todo resto do pessoal entra no quarto, antes dele começar a descer da beliche… todo mundo fez aquela cara de ‘HUUUuummm’ e ja falaram ‘Opa, desculpa atrapalhar’! E saíram um empurrando o outro pra fora do quarto e eu lá só ‘Nããããão é naaaaada diiiiiissssoooo’. Mas daí já era tarde demais!

No outro dia tive que encarar as olhadinhas e todo mundo passou um tempo achando que estávamos em um rômance secreto! HAHAHA  O engraçado depois foi a cara das meninas quando eu contei o que realmente tinha acontecido e elas: ‘ele é meio doidinho mesmo, nos disse uma vez que os escoceses eram os egípicios do norte, passamos uma boa parte da noite pesquisando a veracidade disso na internet’ 😀 😀

Pérolas, muitas pérolas!

3. KOLN, ALEMANHA (JAN.2016)
Nessa viagem eu não estava sozinha, fui com a Lari e dividimos um quarto misto de 8 camas. Chegamos no hostel já meio tarde e mega perdidas, no nosso quarto tinham mais 4 pessoas e só uma delas estava acordada (e as outras pareciam que estavam dormindo, ou pelo menos tentando) e nem deu um ‘oizinho’ quando chegamos. O quarto tava escuro já e queriamos achar tomada pra carregar nossas coisas, mas duas meninas da beliche ao lado da nossa estavam usando a única tomada que era perto da nossa cama. A gente não podia falar alto e estávamos sussurrando e fazendo mímicas pra gente se entender ali naquela situação, andando na ponta do pé e tentando fazer o mínimo de barulho possível.

Fora que também os lockers ao lado da nossa cama estávam quebrados e não sabiamos o que fazer. Dentro do quarto tinha um banheiro e fizemos sinal uma pra outra pra gente ir conversar melhor lá dentro. Pegamos nossos carregadores e com sorte teria uma tomada ali também.

Ao entrar no banheiro, primeira coisa que eu faço é derrubar meu carregador no chão e já fazer aquele barulho, aí o desastre em pessoa abaixa pra pegar o troço e mete a cabeça numa prateleira de mármore!

Parabéns, Taís… parabéns!
tumblr_o5lohoPvDm1uabwwoo1_400
Nós, que estávamos tentando ser o mais cuidadosas possíveis e não fazer barulho, não tivemos outra alternativa em meio aquela situação a não ser explodir na gargalhada! HAHAHAHA SEM OR!

Começamos a falar normal lá dentro, pensando que ali estariamos ‘seguras’ até que a gente escuta um ‘SHIIIIIIUUUUU’
tumblr_nt1875CLdP1tq4of6o1_500

Aquilo significava que obviamente todo mundo no quarto ouviu tudo. Socorro! Saímos dali e ficamos um tempo na área comum pra carregar nossas coisas e depois ir dormir. No meio da madrugada, as mesmas duas meninas da beliche ao lado estavam de saída e fizeram o maior barulho, acredito que proposital. Lari ouviu elas falando em português, e se elas falavam a nossa língua, provavelmente devem ter ouvido que estávamos tentando fazer o mínimo de barulho e que  apenas um pequeno ‘acidente’ aconteceu no meio do caminho. 😀

>>> Qual história foi tua preferida? Já aconteceu algo parecido com vocês? Me contem aí nos comentários!

//You Might Also Like

//32 Comments

  1. Maki

    abril 14, 2016 at 10:11 pm

    Gente, hostels = melhor pessoa! Amo o clima, a bagunça, as camas de solteiro que sempre fazem barulho quando você se mexe e toda a galera que entra e sai o tempo todo! Acho que a história de hostel mais bizarra que eu tenho é de quando estava em Praga e no nosso quarto tinha um cara BIZARRO que ficava encarando todo mundo. Rolou um medo e um pedido pra mudar de quarto ahuahauhau

    1. Taís

      abril 19, 2016 at 10:29 pm

      Siiiiiiiiiim, melhor pessoa! hahaha
      E poxa, ainda bem que deu pra trocar ja que o cara era bizarro 😀

  2. Marcelle

    abril 14, 2016 at 10:21 pm

    Menina, eu tô chorando com o segundo causo! HAHAHAHAHA

    1. Taís

      abril 19, 2016 at 10:47 pm

      HAHAHA foi foda!

  3. Gabi

    abril 14, 2016 at 11:40 pm

    Hahaha.. adorei esse post! Qualquer hora me inspiro e conto lá meus causos, mas acredita que também tive um em Koln? Só por dio!

    1. Taís

      abril 19, 2016 at 10:48 pm

      Sério? ai to curiosa pra saber dos seus causos, Gabi.. conta sim!!

  4. angie

    abril 15, 2016 at 12:50 am

    AEAHEAHEUAH RI HORRORES NA CABEÇA NA PRATELEIRA! Adorei as histórias e os gifs (pode por maaais, eu amooo, vc já deve ter percebido haueaheuah)
    obrigada por me citar guriaaa :***

    1. Taís

      abril 19, 2016 at 10:56 pm

      HAHAHAH essa cabeçada foi foda >.< Gifs deixam qualquer post melhor, como não amar? <3 E magina, tinha que ser citada mesmo! :*

  5. Lilian Moraes

    abril 15, 2016 at 12:00 pm

    Hahahhaha amei as suas histórias! Meu, eu teria falado algo para a chinesa, se tem algo que detesto é cheiro de comida, temperos e coisas assim. Eu já cogitei ficar em hostels, mas tenho muito medo, justamente por causa dessas coisas hahaha.

    Beijos
    http://orangelily.com.br/

  6. Katarina Holanda

    abril 15, 2016 at 4:58 pm

    Melhores gifs!! HAHAHAHAHA. Eu confesso que não tive muitas experiências boas em hostels, viu? 🙁 O único que curti foi um que fiquei em Copacabana com vários amigos, então preenchemos os dois quartos coletivos disponíveis. Ultimamente eu tenho priorizado airbnb se to com mais gente, porque acaba ficando o mesmo valor. E levando em conta meu histórico de péssimas hospedagens em albergues, não to arriscando. Mas é mesmo muito legal poder interagir com tanta gente diferente. 🙂

  7. Lorraine Faria

    abril 15, 2016 at 7:00 pm

    geeeente, que americano mais maluco!!! fiquei aqui imaginando sua cara de “OQ RAIOS TÁ ACONTECENDO AQUI?” tadinha!! nunca fiquei em hostel, aí não tenho muita história desse tipo, mas se alojamento de jogos estudantis valerem a lista começa a aparecer hahahaha

  8. Chell

    abril 15, 2016 at 7:51 pm

    DEZESSEIIISSSNEGONUMQUARTO??
    Eu não consigo, essa vida é de muito desapego pra mim hahahaha
    Eu não fiquei em hostel em Londres porque o preço que paguei no Ibis Budget foi mais barato e tinha banheiro no quarto, que é outra coisa tensa: dividir banheiro.

    Corajosa você rss

    1. Taís

      abril 19, 2016 at 11:18 pm

      Mas acredita que o quarto de 16 foi melhor que o quarto de 4? Quando são mais pessoas assim, os quartos têm beeeeeeeeeem mais espaço… os menores vc fica trombando nas pessoas toda hora.. hahaha

  9. Larissa Ayumi

    abril 15, 2016 at 10:14 pm

    Quantos causos hahahahaha! Mas acho que para mim o pior foi o primeiro, é tipo abrir cheetos num carro ou ônibus gente hauheauehuehaau! E nossa, que americano doido, mas a gente dá uma perdoada porque não aconteceu mais nada e ele deve tere morrido de vergonha depois haha!
    É bem o tipo de coisa que a gente dá risada depois que passa né?

    Eu só fiquei em hostel quando viajava com a faculdade, mas os quartos eram sempre com as minhas amigas, então era bem tranquilo. O único tenso era um que o banheiro era coletivo, eu não ligo de compartilhar quarto, mas banheiro eu realmente não consigo, quero peidar em paz poxa HAHAHAHA!
    Quando tiver mais histórias vem aqui contar, eu adoro esse tipo de post hehe!

  10. Cíntia de Melo

    abril 16, 2016 at 1:55 pm

    Gente melhor post!
    Eu tenho um trauma muito grande de pessoas que comem coisas “fedidas’ em lugares fechados, quando eu ia de fretado trabalhar tinha um cara que TODO DIA comia uma goiaba –‘ o fretado inteiro ficava cherando goiaba! haa

  11. Thayse

    abril 18, 2016 at 9:36 am

    Nossa, comer no quarto não dá, né? Eu até perdoo se for uma barrinha de cereal, as vezes pode acontecer dá pessoa estar com uma fominha mas não muita e com preguiça de sair do quarto, mas tem que ser coisa pequena, sem cheiro e que não faça farelo. Coisa fedida e estilo “refeição” nem pensar. Muita falta de noção :/ E que medo desse cara do “sou legal, não tô te dando mole”, vir pulando na sua cama assim do nada, ai, gente :~ mas até que tu lidou super bem, isso aconteceu comigo uma porção de vezes e nunca soube lidar pra pessoa entender que eu não tava afim sem ter que ser super grossa :T as vezes eles acham que estamos tentando “nos valorizar” e não “parecer fáceis” na primeira tentativa.
    Gostei muito do post, o bacana é que as histórias pra contar ficam pra sempre (e são engraçadas depois que passam kkk)


    Beijos
    Brilho de Aluguel

  12. Camila Faria

    abril 18, 2016 at 3:33 pm

    Oi Taís, eu nunca fiquei em quarto coletivo nos hostels que fiquei hospedada. Sempre tento conseguir um quarto privativo para dividir com o namorido. Mas lembrei de uma pérola aqui: em Santiago, no Chile, ficamos hospedados num hostel e conhecemos um norueguês simpático que, quando descobriu que éramos brasileiros, começou a nos contar que tinha sido O PRIMEIRO norueguês a pegar dengue (numa viagem ao Brasil) e que ele tinha se tornado uma espécie de “celebridade” na cidade dele por causa disso. Hahaha! E o melhor: ele dizia “não posso nunca mais voltar ao Brasil, porque se pegar dengue de novo eu posso morrer!”. E a gente: “peraí migo, não é bem assim não”. Hahaha! Figura!

  13. Thay

    abril 18, 2016 at 7:26 pm

    HAHAHAHA, minha nossa, quanta experiência maluca! A mais assustadora, certamente, foi o do cara pulando na sua cama. Acho que eu não teria conseguido ser tão delicada, provavelmente sairia batendo no folgado (sou dessas, pavio curto inclusive). Mas no fim o que fica é sempre isso, né? As memórias das ciladas divertidas, digamos assim. Beijo!

  14. Tany

    abril 20, 2016 at 1:59 am

    Hahahaha, eu ri demais! Eu nunca fiquei em muitos hostels mas os que fiquei também acabei pegando histórias engraçadas tipo o de um americano que chegou bebasso e quando eu vi ele dormindo apagado no beliche dele o pau dele ainda tava duro. Foi horrível! hahaha

  15. Bela

    abril 20, 2016 at 2:49 am

    Hostels! E eu amando ler suas histórias já que estou próxima de vivenciar minha primeira HAHAHA
    Definitivamente a história com o americano embreagado de cubo de gelo (?) é a melhor HSUIHAUIHSUIH BRINCADEIRA. AHSUIHAUISH
    | A Bela, não a Fera || Turma da Mônica e o Escotismo|| FB Page A Bela, não a Fera|

  16. BA MORETTI

    maio 3, 2016 at 12:33 am

    caramba HAHAHA super me vejo nessa tua experiência de ~não vou fazer barHAHAHAHAHAHAHAHACARAI~ HAHAHAHA super

  17. KARINE

    maio 3, 2016 at 2:38 am

    HAHAHAHAH rindo demais! essa última situação sou muito eu, sério! sou ótima em não querer fazer barulho e acabar causando desastres, que causam barulhos, HAHAHAHAHA. mas a história do americaninho apaixonado foi muito engraçada, imagino você no dia seguinte morrendo de vergonha XD

  18. Naiara Back

    setembro 16, 2016 at 9:56 am

    Adoro ficar hospedada em hostel pq sempre rende Boas historias. A minha preferida é da do americano cubo de gelo. Hahah. Era gatinho pelo menos?

  19. Matheus Crespo

    setembro 16, 2016 at 5:03 pm

    hahahaha gargalhei muito aqui com as histórias, morei na China e entendo bem seu desespero na primeira história. Hostels e as pessoas que os habitam e sua capacidade de irritar a gente e depois tornar a viagem mais divertida hahaha. Adorei o post.

  20. Débora Resende

    setembro 16, 2016 at 7:51 pm

    hahahaha amei demais esse post! Adoro ler essas histórias e ver que não sou só eu que passo por algumas situações bizarras nas viagens. Morri de rir com o americano tímido, rs. E se eu entrasse no quarto e tivesse cheiro de picles acho que eu juntaria minhas coisas e pediria pra trocar de quarto, pq eu morro de nojo de picles hahaha Quando fiz intercâmbio na Sérvia, as meninas da Tunísia que dividiam o quarto comigo sempre cozinhavam uma carne enlatada no quarto e eu odiava o cheiro também.

  21. Escolho Viajar

    setembro 16, 2016 at 9:37 pm

    Hostels sempre rendem histórias, sejam elas de tragédia ou pura felicidade. Essa do “bloco de gelo” caindo em sua cama foi de mais. Que cara folgado! Podia pelo menos ter se esquentado para ir lá te pedir uns beijos. Assim o susto não teria sido tão grande.

  22. Murilo Pagani

    setembro 17, 2016 at 10:21 pm

    Rindo demaissss com suas histórias!!!!

    Posso falar!? Quando a pessoa me diz que não gosta de hostel já fico desconfiado!
    ahahahahaha

    Nem me lembro da última vez que fiquei em um hotel!

    Abraço

  23. Edson Amorina Jr

    setembro 18, 2016 at 9:32 am

    Adoro essas histórias! Rindo bastante aqui com tudo.
    Abs
    Edson

  24. Lidiane

    setembro 18, 2016 at 5:40 pm

    Fico com a maioria: o cubo de gelo na sua cama!! hahahahaha Só fiquei em hostel uma vez e foi tranquilo. Hoje em dia não sei se conseguiria, mas sem dúvida é uma experiência pra guardar muitas histórias!!

  25. Dayana

    setembro 18, 2016 at 6:43 pm

    Caraaaaambaaaa! Cada história… hahaha… essa do “sou legal, não to te dando mole”… não sei se fiquei com mais pena de você ou do garoto. kkkk

  26. Cristina e Renato

    setembro 18, 2016 at 6:46 pm

    Haha, muito legal! Ficar em Hostel com certeza enrique as nossas viagens! Muito interessante essas experiências. Parabéns pela criatividade do post. Abraços, Cristina e Renato – Blog Pegadas na Estrada.

  27. Cynara Vianna

    setembro 18, 2016 at 9:01 pm

    Só nos hospedamos num hostel uma vez até agora e foi na Áustria. Começamos a viajar mais tarde (mais de 30 anos), então nosso estilo de viajante é diferente, mas confesso que independente da idade não encararia um quarto com 16 pessoas kkkk. Suas histórias são bem engraçadas, quando ficamos no hostel o quarto era para 8 pessoas, mas ficamos apenas meu marido e eu.

//Leave a Reply