Irlanda

Ínis Oírr // The Aran Islands

 

Faz um tempão que estou querendo ir visitar as Aran Islands, estamos sempre ali pela costa oeste, em Clare, onde saem os barcos para ir até lá, mas acabava sempre ficando pra uma próxima, sabe? E acho que sempre fazemos isso com lugares próximos da gente, vamos deixando e deixando… só que agora em agosto foi meu aniversário de 3 anos aqui na Irlanda e achei que seria uma ótima ideia e oportunidade comemorar essa ocasião por lá.

As Aran Islands são um conjunto de 3 ilhas que ficam localizadas na costa oeste da Irlanda, em Galway bay, entre os condados de Galway e Clare. A maior ilha é chamada de Ínis Mór (Inishmore), a do meio é a Ínis Meáin (Inishmaan) e a menor é a Ínis Oírr (Inisheer).

Essas ilhas são conhecidas pela forte preservação da cultura irlandesa, o idioma irlandês ainda é falado muito bem por lá e os nativos das ilhas são bilíngues em irlandês e inglês. Além de serem incrivelmente lindas, também são conhecidas pelos seus altos cliffs,  paisagens de tirar o fôlego, fortes antigos, relíquias pré históricas… essas ilhas com certeza não podem ficar de fora da sua aventura em terras irlandesas!

IMG_9143Para chegar até as ilhas você pode ir de barco, que sai de Connemara em Galway e de Doolin em Clare (próximo aos Cliffs of Moher). Mas aí também depende de qual ilha você quer ir, Ínis Mór fica mais próxima de Galway e aconselho quem for pra lá pegar o barco saindo de Connemara, já quem for visitar Ínis Oírr é melhor pegar em Doolin, pra Ínis Meáin tanto faz, já que ela fica literalmente no meio.  E há também a possibilidade de pegar um voo de Connemara até as ilhas.

Eu fiquei na dúvida em qual eu gostaria de ir, fomos de bate-volta e teriamos apenas um dia para explorar a ilha, sendo assim a ilha maior ficou de fora porque precisaríamos de mais tempo por lá e ela é sempre a mais cheia também. Quando fomos ao Doolin Pier ver a disponibilidade nos barcos, falaram que já estava tudo cheio (alta temporada) e só tinha vaga pra Ínis Oírr, como ela é a ilha mais próxima de Clare, é mais fácil ir e voltar então eles sempre têm barcos indo pra lá. Quero visitar todas as três ilhas, as outras duas vão ficar pra uma próxima, mas eu já estava muito feliz de começar por Ínis Oírr.

Se eu não me engano a passagem ida e volta de barco custa em torno de 20 euros, nós não pagamos, não sei se já comentei aqui no blog sobre isso, mas nessas comunidades pequenas acontece algo que eu amo: como todo mundo se conhece, eles não cobram essas coisas turísticas de locais ou dão um mega desconto, seja pro local ou seus convidados.  ♥

De Doolin até Ínis Oírr é mais ou menos  30 – 40 minutos, e lembrando que, os barcos só saem se o tempo estiver bom, por isso fica tudo ~bombando~ pelas ilhas durante o verão quando o tempo colabora mais.

img_9133 img_9136(An Ghaeltacht = Irish speaking region)

Como já disse, Ínis Oírr é a menor das ilhas, com cerca de 250-300 habitantes e ela é uma extensão do The Burren tendo o mesmo típo de paisagem, rica em flora, fauna, ninhos de áves …. Um paraíso pra quem gosta de natureza!  Lá eles também se orgulham muito das suas raízes irlandesas, através da língua e da música, e claro, gostam de ostentar o título de ter uma das praias mais bonitas da região.

Alguns dos pontos mais interessantes da ilha:  castelo do século 15, túmulos datados da Idade do Bronze, návio naufragado e um faról construído em 1857.

A melhor opção pra aproveitar bem tudo que tem na ilha e ver mais coisas é alugando uma bicicleta, tem varias trilhas ao redor da ilha e fazê-las de bike é muito melhor (ao menos que você seja sedentário ao extremo e prefira ir de carroça, siiim, tem carroça de opção). Alugamos a nossa e com um mapa em mãos fomos explorar Ínis Oírr.

map-photo-960x677(Mapa da ilha com as trilhas e principais atrações)

Nossa primeira parada foi para ver os túmulos e dentro desse pequeno cemitério tem as ruínas da igreja de Saint Caomháin, o padroeiro da ilha. Eu adoro ruínas e fico fascinada com essas coisas, é muito comum ter cemitérios em igrejas, mas assim desse jeito ”enterrada’ no meio foi a primeira vez que eu vi, coisa mais linda!
img_9149IMG_9151img_9157 img_9158 img_915920160815_112407 20160815_112556

O dia tava muito lindo, bem ensolarado e destacando mais ainda a beleza do local. O oceano Atlântico Norte brilhando e contrastando com o verde da ilha, não poderia ter escolhido lugar melhor pra celebrar meu terceiro aniversário irlandês.

Nós esquecemos de levar protetor solar e foi a pior burrada que fizemos, eu me queimei muito e peguei insolação, o Lindo ficou de blusa com manga longa, porque ele sem protetor é uma morte horrível, no final das contas eu que me ferrei mais que o ruivo. Eu diria que é errando que se aprende, mas eu sou mestre em esquecer protetor solar e ficar sofrendo depois, então, amiguinhos, por favor nunca esqueçam o protetor solar e não subestimem o sol irlandês no verão.

img_9160 img_9161 img_9163 img_9164 img_9165 img_9166 img_9168 img_9169 img_9171

De lá também dá pra ver os Cliffs of Moher e a vista não poderia ser menos que linda ♥

img_9178 img_9182 img_9185

Nossa próxima parada foi no navio naufragado, o MV Plassy, que carregava whiskey, vitrais e material têxtil (tudo a ver, né? hahaha) e foi pego por uma tespestade bem forte na região em 1960. Os locais salvaram os tripulantes e algumas semanas depois teve outra tepestade que acabou trazedo o návio pra terra firme, exatamente no local que está hoje e acabaram deixando ali mesmo como atração turistica.

Só sei que assim que vi o navio não parei de cantar na minha cabeça ‘to wreeeeeck, did I build this ship to wreck?’ (entendedores entenderão).

img_9173 img_9191 img_919220160815_121310

Essas horas minhas pernas já estavam chorando das pedaladas, principalmente porque teve umas subidinhas, mas ainda tinha o farol lá na ponta da ilha e como boa viciada em farois não poderia deixar de ir até lá. Para ir foi muito gostoso, só descida, só que chegando lá demos de cara com um portão: propriedade privada.

Achei que dava pra entrar no farol ou pelo menos chegar mais perto, só que estava fechado, então o jeito foi apreciar de longe mesmo.

img_9201 img_9208 img_9218 img_9220 img_9222

Pedala e pedala mais, voltamos a região da praia e para subir o morro pra ver as ruínas do castelo datado do século 15 e o forte de pedras. E lá desse morro ficamos um bom tempo descansando e foi nossa pausa pra um lanchinho também. A ilha é muito bem estruturada, tem restaurantes, mas preferimos levar nossa própria comida (leia-se salgadinhos e cookies).

bikeinisoirr img_9245

A vista de lá é de tirar o fôlego, olha esse mar, essa praia, essas casinhas… essa ilha maravilhosa! Ai, Ínis Oírr, como não ficar perdidamente apaixonada por você?

img_9224 img_9226 img_9230 img_9231 img_9235 img_9237 img_9266

Os nativos da ilha têm muito que se gabar mesmo por ter uma das praias mais lindas da região, porque de fato é. Eu só cheguei a colocar os pézinhos na água geladérrima desse Atlântico Norte, mesmo com o calorão que estava fazendo não me arrisquei a entrar, quem sabe no próximo verão?

A costa oeste é a parte mais chuvosa da Irlanda, mas quando o sol aparece… não precisa nem explicar, pelas fotos vocês já percebem como é. Como já ouvi de irlandês por aqui, se eles tivessem esse clima com mais frequência eles não precisariam ir viajar todo ano lá pros lados do Mediterrâneo. Irlanda.. que paraíso! ♥
img_9239 img_9252 img_9272 img_9274 img_9275 img_9279

Eu sempre fico fascinada por essas ilhas e lugares mais remotos (quero visitar todos possíveis), como deve ser a vida lá, como eles preservam tanto o idioma irlandês, aparentemente o irlandês falado lá é um pouco diferente e eles têm seus próprios dialétos e jeitos de falarem as coisas, acho que isso deixa a coisa toda muito mais única também.

Não fomos até o outro lado da ilha, o sol estava matando e ficamos muito cansados, descansamos um monte lá pelo castelo e quando vimos já era quase o horário da volta do nosso barco, o jeito foi encerrar nosso passeio por essa lindeza de praia.

Todas as ilhas são muito bem estruturadas, com opções de acomodação e lugares pra comer, ótima opção pra passar um final de semana ou até mais dias.

Essa é a ilha de número 4 que já visitei por aqui, confiram as outras também: Inishbofin – Achill Island – Omey Island

//You Might Also Like

//23 Comments

  1. Katarina Holanda

    setembro 12, 2016 at 5:42 pm

    A cada post eu me apaixono mais. <3

    1. Taís

      setembro 13, 2016 at 11:00 am

      A Irlanda é muito apaixonante <3

  2. Gabi

    setembro 12, 2016 at 5:53 pm

    Que coisa mais linda, Taís! Sério, que encanto. Eu adoro ver cemitérios, esse de frente pro mar é lindo, com essas cruzes de ferro. Muito simbólico! Essas fotos me dão uma vontade danada de pegar um avião e conhecer a Irlanda correndo.

    1. Taís

      setembro 13, 2016 at 11:06 am

      Veeeeeem, Gabi!!! <3

  3. Marii Guedes

    setembro 12, 2016 at 7:48 pm

    Que lugar mais maravilhoso! Sério, a Irlanda saiu de um conto de fadas, né? Um lugar onde até o cemitério é bonito.
    Quero destacar que: esquecer o protetor é sempre uma morte terrível / não consigo parar de cantar essa música da Florence mentalmente agora / nunca vi uma pessoa tão ruiva quanto esse menino da última foto / gente, eu nem sabia que irlandês era idioma!
    Maravilhosas as fotos!

    1. Taís

      setembro 13, 2016 at 11:10 am

      hahaha também fiquei impressionada com o ruivinho, até parece que eu editei a cor do cabelo dele, mas era real, fiquei chocada e apaixonada hahaha <3
      E pois é, irlandês é um idioma sim! <3

  4. Juliana Almeida

    setembro 12, 2016 at 11:22 pm

    Que lugar lindo, Tais! <3 Parece coisa de cinema!
    E muito fofa essa atitude do pessoal da comunidade de não cobrar ou dar desconto pra quem mora ai, é um bom incentivo para conhecer os pontos turísticos!

    Juny // http://www.junypelomundo.com.br/

    1. Taís

      setembro 13, 2016 at 11:11 am

      Super concordo, é uma boa forma mesmo de fazer as pessoas conhecerem mais o lugar em que vivem <3

  5. KARINE

    setembro 13, 2016 at 4:15 am

    morrendo aqui com as fotos desse paraíso, SOS. meldeus, Ta! que maravilhosa essa ilha, esse lugar, essa água azul… pra morrer de amor <3 e tb lembrei das praias do mediterrâneo, que tem essa cor maravilhosa… hahaha

    1. Taís

      setembro 13, 2016 at 11:12 am

      Siiiim, parece mesmo!! É um azul tão lindo que não dá pra acreditar! <3

  6. Ana

    setembro 13, 2016 at 9:12 am

    Relato delicioso de ler Taís! Deve ser muito bacana viver uma experiência de contato com os moradores, fiquei aqui imaginando!
    Pelas fotos dá uma vontade imensa de pular nessa água azul clarinha, mas putz tem que ter coragem mesmo. O garoto da foto já deve ser acostumado hehe.
    Preciso ir pra Irlanda, sem mais. A cada post seu fico só aqui com meus botões pensando em quando finalmente vamos conseguir ir!

    1. Taís

      setembro 13, 2016 at 11:18 am

      Eu fiquei com vontade de dar um mergulho, Ana.. mas só de colocar o pé eu congelei, mudei de ideia rapidinho, não tive coragem hahaha
      E vocês vão conseguir vir um dia sim e ver todos esses lugares maravilhosos, vai ser lindo ter vocês por aqui! <3

  7. Brigadeiros e Barcelona

    setembro 13, 2016 at 4:22 pm

    Gente! Cenário de filme, né?
    Eu super te entendo sobre os lugares próximos de onde a gente mora. Foi só agora, depois de dois anos morando aqui que eu descobri que tem praias ótimas perto de Barcelona e que ninguém precisa ficar na Barceloneta disputando espaço com os turistas farofeiros!
    Enfim, a gente vai aprendendo, né? hehe
    Bjs

  8. nnt

    setembro 14, 2016 at 3:35 pm

    Tenho um amor também por ruínas… E que lugar lindo, me apaixono a cada dia mais pelas suas fotos.

    Um abraço.

  9. Camila Faria

    setembro 14, 2016 at 9:26 pm

    UAU, que lugar Taís. Quando eu li “Aran Islands” eu sabia que já tinha ouvido falar desse lugar antes… aí me lembrei de um filme que assisti na época da faculdade, uma espécie de narrativa documental/ficcional do Robert J. Flaherty, justamente sobre esse lugar. O nome do filme é Man of Aran (de repente dá para encontrar no YouTube, já que o filme é um clássico dos anos 30).

  10. Wanila

    setembro 15, 2016 at 4:33 pm

    Fiquei sem fôlego com essas fotos. Que lugar!

  11. Clayci

    setembro 15, 2016 at 7:55 pm

    Eu me senti dentro de um jogo rpg ohando essas fotos.. sério
    OLHA ESSE CÉU
    As fotos parecem pinturas.. estou apaixonada

  12. Alessandra Fratus

    setembro 22, 2016 at 12:58 pm

    Incrível! Não dá pra não se emocionar! Ainda mais quando lembro do documentário do Flaherty, como a Camila citou. Fiquei encantada com as imagens, e já entrou pra lista!

  13. Cristina

    setembro 22, 2016 at 9:06 pm

    Que jeito mais maravilhoso de passar o aniversário de Irlanda, rs. Achei o máximo o lugar. Sou fascinada por ilhas. Por algum motivo isso me lembrou alguns vilarejos do norte da Islândia. Muito lindo mesmo 🙂 abraços, Cristina – Blog Pegadas na Estrada

  14. Trekking a cavalo pelas montanhas de Wicklow - Nýr Dagur

    dezembro 8, 2016 at 1:10 pm

    […] trilhas caminhando, só que ao longo do tempo abri espaço pra outras opções. Como foi o caso em Ínis Oírr, que fizemos uma trilha de bike. Só que, não me passava pela cabeça em fazer uma delas a […]

  15. Scheyla

    março 8, 2017 at 7:40 pm

    Achei esse blog através do Hello Lolla, procurando sobre Reino Unido. Tenho verdadeira fascinação pela Irlanda, Inglaterra, Escócia, desde pequena, e depois que uma amiga foi fazer intercâmbio em Dublin a minha vontade de conhecer esses lugares só aumentou.
    Estou amando cada um dos posts! Que linda essa ilha!! Tb adoro faróis hahaha
    Estive em Laguna, no Farol de Santa Marta, e aquele cemitério na montanha com vista para o mar me deu uma nostalgia… agora olhando estas fotos chega a arrepiar. É como se sentisse saudade de lugares que não visitei…. mas um dia ainda vou!!
    Parabéns pelo blog, lindo!

    1. Taís

      março 9, 2017 at 11:43 am

      Oi Sheyla, obrigada pelo seu comentário! Fico feliz que tenha achado o blog e gostado das minhas postagens. Sei muito bem esse sentimento de sentir saudade de um lugar que nunca visitou haha e um dia você vai estar aqui pela Irlanda vendo todos esses lugares.
      Beijos!

  16. Paula

    abril 18, 2017 at 11:22 pm

    Oi, Taís.
    Vou passar um dia em Galway e tô querendo fazer o passeio pra Aran Islands + passeio de barco pelos Cliffs of Moher por baixo + Cliffs of Moher por cima. Vi algumas agências oferecendo esse passeio, mas incluem sempre a ilha menor. A ilha maior não é mais interessante? Aquela paisagem com os murinhos e o campo verde por onde se percorre de bicicleta não é mais própria da ilha maior? Tenho a opção de fazer o passeio por conta também, alugando carro, mas não sei se dá pra contratar direto lá de Doolin, ou mesmo de Galway, um transfer até a ilha maior + o passeio dos Cliffs por baixo… Você sabe se há essa opção? Porque aí depois seguiria de carro até os Cliffs por cima.

//Leave a Reply