Juta: trilha no norte da Georgia

Foi muito difícil escolher uma trilha pra fazer nessa região norte da Georgia. São muitas opções maravilhosas! Optamos por fazer trilhas curtas e assim escolhemos a trilha que sobe pra Gergeti Trinity Church em Kazbegi. Mas não contente com uma, eu queria fazer duas. Fiquei muito na dúvida entre Truso Valley ou Juta, ambos lugares dava pra ir saindo da vilinha de Kazbegi. Queria ter tido muito mais tempo pra aproveitar todos esses lugares, mas no fim escolhemos ir pra Juta.

A vila de Juta fica no município de Kazbegi, perto da fronteira com a Russia e é considerada uma das vilas mais altas da região. São em torno de 24km de Kazbegi até lá, numa estrada pavimentada e depois a maior parte em uma estrada de terra.

Para chegar lá tívemos duas opções: ir com uma agência bem cedinho e esperar o número mínimo de pessoas pra lotar o transporte ou ir um pouco mais tarde com algum motorista no centro de Kazbegi. Eles ficam esperando com uns carros (os taxis) e você pode negociar com alguém de te levar para alguma das trilhas. Como estávamos muito cansados do dia anterior, preferimos dormir um pouquinho mais e pegar a segunda opção. Foi um pouquinho mais caro, mas valeu a pena mesmo assim.

O primeiro contato para negociar o preço foi com um cara que falava um pouco de inglês. Ele nos levou com o seu Lada até uma parte do caminho e depois trocamos de carro. O próximo motorista não falava nada de inglês e teve que usar um tradutor online e mimicas, para nos dizer que ele ficaria esperando a gente voltar pro carro na vila de Juta. Ele nos deu um prazo de 4 horas para fazer a trilha.

No caminho a gente passa pelo Sno Valley e sua vila, se você não presta atenção pode até passar despercebido de tão pequena que a vila é. Lá tem uma igrejinha, uma fortificação do século XVI e também uma estátua do rei Vakhtang Gorgasal, o fundador da capital da Georgia que foi canonizado pela Igreja Ortodoxa Georgiana.

O caminho pela estrada de terra já faz a gente ficar sem fôlego, paisagens incríveis. Essas vilas remotas no inverno recebem muita neve e ficam completamente isoladas. O acesso até lá fica bem complicado. Muitas famílias têm que se mudar nessa época para outros lugares, mas ainda assim algumas ainda ficam. Queria muuuuito mesmo saber falar russo, andar pelas vilas ali e quem sabe conversar com algum local. Fico muito curiosa pra saber como é a vida nesse lugar, uma realidade bem diferente da minha.

A vila de Juta é o ponto de partida de várias trilhas incríveis. Não daria tempo de explorar mais a fundo a região, então o que eu queria mesmo fazer era andar pelo vale e ver a montanha Chaukhi. Sem seguir uma trilha específica.

A vila de Juta e o começo da trilha

Quando chegamos na vila mantemos à direita e fomos subindo o morro. Essa parte foi a mais difícil, é uma subida bem íngrime, mas não é muito longa. A recompensa depois de passar essa parte e chegar num lugar que você até desacredita que existe de tão magnífico que é, vale cada suor derramado.

Tem uma área bem legal de camping ali e encontramos famílias com crianças pequenas. Fiquei morrendo de vontade de acampar também! Pareceu ter uma estrutura bacana e um pouco mais a frente encontramos um chalé que oferecia comidas e bebidas.

Lugar dos sonhos!

Foi bem fácil depois caminhar pela trilha, o caminho todo era praticamente plano depois que você passa do acampamento.

Você escuta o barulho das cigarras e da água que escorre das geleiras, formando um riacho pelo vale. Uma sensação enorme de felicidade, de poder viver um momento tão bonito assim na natureza.

Juta é carinhosamente chamada de ”Dolomitas georgiana”, já que a montanha Chaukhi se parece bastante com as dolomitas italianas. Nunca fui pra lá, apesar de ter muita vontade, mas pelas fotos e comentários de outras pessoas que já tiveram, os dois lugares realmente se parecem.

Era verão, mas mesmo assim se via resquícios do inverno, seja nas montanhas ou mesmo no vale. Tivemos que subir um bloco enorme de gelo para atravessar o rio.

Como nosso tempo era curto, ficamos só pelo vale. Mas se você continuar adentrando o lugar, pode ver também três lagos alpinos, cada um de uma cor diferente (verde, azul e branco). Esse é o caminho da trilha que leva até a vila de Roshka, são dois dias de trilha, começando em Juta e passando pelo Chaukhi pass. Parece ser incrível completar o caminho todo, quero muito fazer numa próxima oportunidade. Razões pra voltar mil vezes pra Georgia não faltam!

Voltamos antes do combinado pra poder dar tempo de comer e pegar a última marshrutka de volta a Tbilisi . Na volta, passando pelo Sno Valley, uma vaca pulou na frente do nosso carro. Foi um baita de um susto, mas nem nós e a vaca se machucou, ufa. Cheio das emoções esse dia, chegando em Kazbegi não tinha mais transporte público pra voltar e os particulares queriam cobrar o dobro pra levar a gente. Depois de muita canseira e discussões, conseguimos voltar pra Tbilisi pra pegar o trem rumo à Armenia – o trem atrasou, fizemos novos amigos e passamos pela situação mais engraçada e stressante em uma travessia de fronteira (história pra um outro post).

O norte da Georgia foi muito especial. Deixei um pedaço enorme do meu coração nesse país, que se tornou um dos meus favoritos. Voltamos pra casa cheio de saudades e com muitas histórias pra contar.

Obrigada, Georgia, obrigada! ♥

Comments

  1. Taís, porque você faz isso comigo?! Sempre que eu entro aqui e vejo suas aventuras, eu só quero sair do meu trabalho e viajar o mundo! rs

    Apaixonei nesse camping ♥ realmente não parece um lugar real! Espero que na sua próxima visita à Georgia você acampe e mostre aqui pra gente (já que eu provavelmente continuarei no meu trabalho…)

    Ah e suas fotos estão lindas como sempre!

  2. Caramba lugares de deixar sem fôlego mesmo!!! Lindo ♥
    Imagina se a vida dessas pessoas já é diferente da sua imagina da minha? Hahaha que loucura pensar que existem esses lugares.
    Deve ter sido uma experiência maravilhosa!
    Como sempre adoro seus posts e suas fotos, lindas demais.

    heyimwiththeband.com.br

  3. taís, que dica preciosa. confesso que jamais tinha pensando em trilhas na geórgia, mas há uns dias atrás sonhando alto as próximas viagens com o marido, ele sugeriu o leste. lembrei logo de você e tuas fotos convenceram o moço.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Notice: genesis_footer_creds_text is deprecated since version 3.1.0! Use genesis_pre_get_option_footer_text instead. This filter is no longer supported. You can now modify your footer text using the Theme Settings. in /home/jw1nrhfa/public_html/wp-includes/functions.php on line 4716

© 2019 Nýr Dagur · by MinimaDesign