Europa, Viagens

Minha EuroTrip no verão

Que viagem mais incrível que foi essa, meus amigos? Fica até difícil descrever como foi. Clichê, né? Mas é verdade!

A última e primeira vez que fiz uma viagem longa (1 mês pra mim é bastante tempo viajando), foi em janeiro de 2012 quando fiz um mochilão pela América do Sul. E desde então, eu estava inquieta querendo repetir a dose.

Não posso reclamar porque fiz viagens maravilhosas mesmo que curtas nesse meio tempo, seja de 1-2 semanas ou até mesmo só no final de semana. Mas viajar por um mês direto é uma outra pegada de aventura e planejamento – e era exatamente isso que eu estava sentindo falta!

A grande viagem planejada pra 2017 por aqui, era ir fazer uma roadtrip no Canadá agora no verão. O plano não deu certo e não pensei duas vezes pra colocar meu outro plano em prática. Os fatores dinheiro e tempo foram moldando o que eu tinha em mente e o que dava pra fazer.

A logistíca de viajar no verão europeu é meio complicada. Preços altos e muita gente, fora o calorão que chega a fazer em determinados países. Com isso em mente, fui me preparando psicologicamente pra ter muita paciência durante essa viagem. Seja pelo número de turistas que eu iria encontrar em todos os lugares ou o clima.

Depois de 4 anos vivendo no clima irlandês sem ter tido a experiência de um verãozão mesmo, o fator muito sol na cabeça era algo a se considerar. Mas quer saber? Era as férias que eu tinha e eu iria tentar aproveitar o máximo que desse (coberta de muito protetor solar, é claro!).

Processed with VSCO with hb1 preset

COMO EU DECIDI O ROTEIRO?

O roteiro foi decidido baseado nos meus desejos antigos de visitar certos países (alguém lembra dessa lista aqui que eu fiz há 3 anos?). No começo, considerei fazer uma viagem só pela região dos Balcãs, mas eu queria mais, queria também os Alpes! Pensei então, vou fazer os Alpes italianos e descer pros Balcãs. E quando vi, eu estava traçando um roteiro que iria da República Tcheca até a Albania, porque sou dessas querendo abraçar o mundo.

Eu não queria fazer as coisas correndo ou visitar um país só por um dia pra falar que estive ali. Fui lapidando aos poucos o meu roteiro e vendo o que faria mais sentido fazer. Tirei a Eslovênia e a Albania do roteiro com a maior dor no coração, principalmente a Eslovênia que eu sou enlouquecida pra conhecer. Mas, esses dois países fariam mais sentido em um outro planejamento.

No final das contas, meu roteiro ficou da seguinte forma:

República Tcheca: Praga – Český Krumlov/České Budějovice
Austria: Salzburg – Hallstat
Alemanha: Munique – Bamberg –  Nuremberg – Fürth
Itália: Lago di Garda (Peschiera del Garda, Sirmione, Malcesine) – Veneza
Croácia: Dubrovnik – Split – Hvar – Korčula – Šibenik (Krka) – Plitvice – Zadar
Montenegro: Kotor – Budva – Sveti Stefan -Perast – Tivat
Bósnia e Herzegovina: Mostar – Blagaj – Počitelj – Kravice

Algumas observações a serem feitas: não terá posts sobre České Budějovice, Fürth e Tivat, foram lugares que apesar de ter me hospedado ou passado algum tempinho não tenho conteúdo pra post. Na minha passagem pela Austria considerei ir fazer trilha em Berchtesgaden, fica na Alemanha mas bem pertinho de Salzburg, mas não rolou. Bamberg foi adicionado de surpresa no meu roteiro pela querida Ana. Na Itália, o roteiro original era ter ficado mais nos Alpes e ter conhecido as Dolomitas, mas acabei mudando completamente e indo parar no Lago di Garda. E também, por conta de ter passado mal com o calor na Itália deixei de visitar certos lugares que estavam no meu roteiro. A sequência nos Balcãs ficou Croácia (Dubrovnik), Montenegro, Bósnia e Herzergovina e depois de volta na Croácia completando o resto.

Mesmo com uma mudança aqui e outra ali, posso dizer que amei demais esse roteiro final. Tô de parabéns, viu, porque foi um lugar mais incrível que o outro. Quando eu estava me recuperando da beleza de um lugar vinha outro pra me deixar doidinha.

Processed with VSCO with hb2 preset

COMO FOI MINHA LOCOMOÇÃO?

Foi um pouquinho de tudo, ônibus, trem, avião, carro, uber, balsa.. Mas, o que mais utilizei mesmo foi ônibus. Todas as cidades tinham uma conexão boa com transporte, o que também levei em conta ao montar esse roteiro. Minha lógica era ir pela opção mais barata e também a que fizesse mais sentido. Na maioria dos casos os ônibus acabavam sendo a melhor opção. Os preços dos ônibus foram baratos, principalmente entre regiões próximas como foi no caso da primeira parte da viagem (República Tcheca, Austria e Alemanha).

De Salzburg pra Munique eu iria de ônibus, mas acabei deixando pra comprar na hora porque não sabia ao certo quanto tempo iria ficar na cidade, queria ter essa flexibilidade de decidir na hora. E no último minuto, a opção de ônibus não era viável e tive que pegar um trem e paguei caro por isso. Na Itália só usei trens por ser bem barato e rápido, foi a melhor opção pra mim por lá. E também utilizei ônibus de linha pra me locomover pelo Lago di Garda. Já pra segunda parte da viagem, peguei um voo de Veneza pra Dubrovnik, seria mais rápido e também o preço foi bem ok. Dentro dos Balcãs foi praticamente tudo de ônibus, só pras ilhas o transporte foi a balsa. Em Montenegro alugamos carro, o que também seria mais proveitoso pra ver mais lugares no nosso tempo. Já na Bósnia e Herzegovina, foi o único lugar que compensou pegar um tour pra visitar alguns lugares que eu queria.

Dentro das cidades eu andei muito, muito mesmo. E em alguns lugares utilizava bastante Uber porque era bem barato, como foi o caso lá na Croácia.

DIFICULDADES E FRUSTRAÇÕES

Quanto mais longa a viagem, mais as chances dos perregues acontecerem, certo? Teve perrengue sim, não foi tudo exatamente perfeito, mas o saldo final foi muito mais positivo com certeza!

Foram vários países com línguas diferentes e até que a barreira da linguagem não foi tão problema assim, visto que a grande maioria das pessoas falam inglês. Os problemas com linguagem surgiram com outros problemas que tive em relação ao transporte. Na Alemanha, saindo de Nuremberg pra ir pra Munique, tive um problema de atraso com o ônibus. Não tinha pra quem perguntar que fosse alguém do terminal de ônibus, então tive que perguntar pra outras pessoas que estavam esperando também, pra ver se alguém estava na mesma situação que eu. Pro meu azar, só encontrei pessoas de outros países por lá e que só falavam suas línguas nativas e o alemão. Bateu um desespero, nem o motorista de outro ônibus soube me explicar. O ônibus chegou atrasado, mas com sorte não perdi meu próximo ônibus que iria pra Itália que saia de Munique.

Processed with VSCO with a6 preset

Na Croácia também tive um problema com ônibus, dessa vez foi porque venderam mais passagens do que a capacidade do transporte e deu overbooking né. Acontece que o motorista era um croata bem ranzinza que não falava inglês. Imagina entender o que realmente estava acontecendo só com ele bufando pra todos os lados e não deixando ninguém embarcar. Sorte que tinha uma outra senhora ajudando ele, que com um inglês mais ou menos conseguiu explicar e resolver o problema. Só que essa confusão toda, mais a demora que foi na imigração entre Croácia -Montenegro, atrapalhou um pouco o roteiro em Montenegro.

Já na Itália foi frustante por ter sido o primeiro país que o calor começou a pegar de jeito. Passei bem mal, não consegui aproveitar o tanto que gostaria, fora também que fiquei frustrada com a simpatia (ou a falta dela) da grande maioria dos italianos que precisei de ajuda. No hostel que fiquei foram super solícitos e muito amorzinhos, já em lojas, na rua, pra pegar um ônibus ou pedir alguma informação, mesmo eu começando a conversa em italiano e sendo educada obviamente, foram bem grossos. Infelizmente isso me deixou bem chateada, ainda mais que era coice atrás de coice. Mas, vida que segue e espero voltar pra Itália e ter uma experiência melhor.

Em relação a comida, tive mais dificuldade na região dos Balcãs, mas até que fui encontrando opções boas pra mim. Se você não quiser comer só pizza vegetariana (ou macarrão com molho de tomate) a viagem inteira, pode ser um pouquinho chato pra achar opções boas vegetarianas. Veganas então, mais difícil ainda! Em restaurantes que não são veg, quando eles tinham um prato vegetariano dava até vontade de chorar. Era basicamente meia duzia de pimentão, tomates, pepinos e berinjelas picadas no prato, e ainda se pagava caro por isso. Mas fui pesquisando e encontrando opções vegetarianas e veganas boas ao longo do caminho e anotei tudinho pra compartilhar aqui nos posts sobre os lugares. Alguns restaurantes que não tinham opção sem carne (nem na salada), chegaram a fazer uma pasta ou risoto diferentes pra mim. Foi chatinho comer por lá, mas no final deu tudo certo e não morri de fome não.

Agora o calor… merece até um tópico só pra ele!

Processed with VSCO with a5 preset

LIDANDO (OU NÃO) COM O CALOR

Eu não sei se vocês acompanharam notícias, mas essas últimas semanas teve uma onda de calor muito forte em alguns países da Europa. Estavam em alerta total, porque o negócio foi tenso. Chamaram essa onda de calor de Lucifer e achei super apropriado, porque olha, a sensação era de estar no inferno abraçando o capeta.

Entre os países que estavam em alerta, eu iria visitar 3 deles, a Itália, Croácia e Bósnia e Herzegovina (Montenegro também não ficou muito de fora não). Mas quando planejei essa viagem, não tinha a menor ideia de que eu iria enfrentar Lucifer, risos. É um calor que não dá pra aproveitar, é muito quente pra fazer qualquer coisa, ainda mais não estando mais acostumada com temperaturas passando dos 25. As temperaturas ficavam entre 35-40 graus todos os dias, era meia noite e ainda estava 28-30 graus. Até na sombra você suava por tudo quanto é parte do corpo, desesperador! Lembrando que a sensação térmica tinha dia que era bem mais.

Pra dormir, era o A/C ligado sempre, não tinha como dormir sem. Minha primeira noite em Dubrovnik que no quarto do hostel ainda estava muito quente mesmo com A/C ligado (acho que não tava funcionando direito pra ser sincera), tive que dormir com uma toalha molhada em volta do pescoço, tenso assim!

A logística da viagem é outra, não dá pra simplesmente ficar andando, tem que ir na calma, fazer as coisas no mais estilo slow travel possível e tomar os devidos cuidados. Sempre na hora de sair era aquele ritual de tomar um banho de protetor solar e ir repondo ao longo do dia. Água, muita água sempre. Como comentei, na Itália foi o lugar que sofri mais, foram os primeiros dias de calor intenso. Em Veneza, por exemplo, eu não consegui conhecer a cidade direito, eu travei. Andei por um tempinho e comecei a passar muito mal, tive que abortar missão, ainda mais que eu estava sozinha e fiquei com receio de desmaiar no meio da rua.

A temperatura mais alta que peguei foi em Mostar, na Bósnia e Herzegovina, 41 graus! Descobri da pior maneira que Mostar é uma das cidades mais quentes dos Balcãs. Mas esse dia de 41 graus, foi bem mais tranquilo que os 35 que peguei em outros lugares. Fiquei indoors ou nadando pra refrescar.

Processed with VSCO with a6 preset

Foram umas duas semanas e meia vivendo acima dos 35 graus quase todos os dias. Na última semana choveu um pouco e refrescou os ares dos Balcãs pra nossa alegria.

Com certeza o calor intenso foi a maior dificuldade dessa viagem!

ALGUNS DOS MELHORES MOMENTOS

Com tanto lugar incrível que eu visitei é impossível escolher um favorito. Foram tantas experiências sensacionais que não consigo separar por país, foi um combo de muitas coisas maravilhosas, um pouquinho em cada canto que pisei.

Mas separei aqui apenas 6 dos meus vários momentos favoritos dessa viagem.

  • Subir no topo do Monte Baldo na Itália

Processed with VSCO with hb2 presetPegar o cablecar e subir até o topo do Monte Baldo foi com certeza meu momento favorito na Itália. Enquanto lá embaixo o calorão era intenso, lá no topo batia aquele ventinho fresco dos Alpes italianos. Vocês sabem que eu amo uma montanha e ver os lugares de cima, então não é segredo que eu amei demais estar ali! ♥

  • Visitar a vila mais linda da Europa: Hallstat

Processed with VSCO with a6 presetFrequentemente se vê essas listas das vilas mais bonitas da Europa e Hallstat sempre tá no topo. O lugar não me decepcionou e realmente é essa gracinha toda que a gente vê nas fotos. Até o cemitério desse lugar é a coisa mais fofa. Parece até que é tudo de mentira, que alguém vai lá e monta a vila pros turistas e depois desmonta tudo, que é tudo de ”brinquedo”. Tudo muito bonitinho pra ser real. Ai, Austria! ♥

  • Visitar a família Schuller

Processed with VSCO with a6 presetA razão de eu ter incluído Nuremberg no meu roteiro foi pra ir visitar/desvirtualizar essa família super querida. A Ana do blog This German Life é essa pessoa linda que só de conhecer pela internet eu já sentia uma conexão muito grande. Seja por sermos parecidas em vários aspectos, por gostarmos de trilhas, natureza.. Aquele tipo de pessoa que a gente já tem um carinho enorme mesmo sem precisar estar perto. Foi com certeza um dos highlights dessa trip poder ter passado um tempinho com a Ana e sua família. Não tenho nem palavras pra agradecer a tamanha hospitalidade e os momentos tão legais que passei com eles. Ana, Thomas e Killian, meu muito obrigada! Não vejo a hora de poder encontrar com vocês de novo. ♥

  • Nadar no mar Adriático

Processed with VSCO with a5 presetQuer dizer, eu não sei nadar, mas foi bom nadar no maravilhoso mar Adriático, cês me entenderam, né? Eu fico na parte que é segura pra mim e já foi tão sensacional. Como eu não sei nadar, eu não me aventuro no mar, mas não tinha como ficar longe dessas águas, seja pelo calorão ou pela beleza surreal do Adriático! ♥

  • A mistura de culturas diferentes

Processed with VSCO with a6 presetNão dá pra dizer que a Bósnia e Herzegovina é um país mulçumano por completo, mas o islamismo é a religião predominante do país, um pouco mais da metade da população, se eu não me engano. Foi a primeira vez que eu tive um contato maior com essa cultura tão diferente do ”meu mundinho”. Visitei mesquitas pela primeira vez (e ter que me cobrir com lenços pra visitar uma delas), ouvir a chamada pra orações ao caminhar pelas ruas… E gostei de ter uma experiência tão diferente do que estou acostumada. A região que vistei não é uma região conservadora, até porque a outra metade da população do país se dividem entre católicos e ortodoxos. Uma mistura enorme de diferentes culturas, foi uma experiência muito interessante! ♥

  • Passar dois dias no Plitvice Lakes National Park na Croácia

F59D75A3-D2D9-41CC-8293-BD5125E4E204Que lugarzinho mais mágico que é esse national park. Pelas fotos já é algo absurdo de lindo, mas estar lá, caminhando por aqueles bosques ao lado de lagos com essa cor surreal é sem palavras! Fiz questão de passar dois dias visitando esse lugar, sabia que não iria me arrepender e se pudesse tinha passado é mais. Fazer trilha por lá com certeza entrou pra minha lista de trilhas favoritas ♥

//

Sei que o post ficou grande, mas foi um mês de viagens pra colocar o ”papo em dia”. Ainda quero fazer um post com dicas práticas pela região dos Balcãs e talvez um mais detalhado sobre o roteiro. Talvez eu esteja esquecendo de abordar algo importante, mas qualquer dúvida que tiverem sobre essa viagem, só perguntar que se eu puder ajudar vou responder com o maior prazer. Caso também queiram que eu faça algum post específico sobre algo mais detalhado sobre essa viagem, me mandem sugestões também! 🙂

>>E vocês, já viajaram por um mês ou preferem viagens mais curtas? Dos lugares que eu passei, qual vocês teriam mais vontade de conhecer?

(Logo mais posts sobre os lugares que eu visitei, stay tuned!)

//You Might Also Like

//29 Comments

  1. Paula A.

    agosto 24, 2017 at 9:42 pm

    AEEE VOLTOU! <3
    Chorando com essas fotos (olha essa águaaaaaa) e com seu resumão da viagem, que coisa incrível! Um dia quero ter sua capacidade de fazer roteiros, teu itinerário pareceu ótimo e com lugares mega interessantes de visitar.
    Você encontrou Lucifer – e, melhor ainda, a Ana! hahahah Acho que você trouxe um resquício dele consigo, ontem tivemos o quarto e último dia de calor do ano: 26 graus *risadas histéricas de tanto nervosismo pela falta de verão* xxD

    1. Taís

      agosto 24, 2017 at 10:53 pm

      VOOOLTEEI \o/
      Eu não sou muito boa em várias coisas nessa vida, mas se tem uma coisa que eu me orgulho é montar roteiros <3 hahaha
      O berro que eu dei aqui com o ''Você encontreou Lucifer - e, melhor ainda, a Ana" HAHAHA <3
      Precisamos de um encontrão todas juntas, sem Lucifer, de preferência xD

  2. Ana Beatriz

    agosto 25, 2017 at 1:06 am

    Eu já fiz uma viagem de quase 4 semanas, e gostei muito, porque com o tempo dá a sensação que aquele lugar totalmente novo é onde a gente vive (parece estranho, mas eu tive esse sentimento!). Eu estava morrendo de saudade dos posts no blog, adorei a volta. <3 A viagem parece ter sido muito boa e eu tô doida pra saber outros detalhes.
    Não sabia que os italianos eram meio grossos, eu sempre ouvia falar mais dos franceses! :/
    Essa última foto da Croácia, nem parece real de tão linda! 😮

    1. Taís

      agosto 31, 2017 at 10:24 pm

      Obrigada por esse carinho, Ana!! Aos poucos to me organizando pra ir liberando os posts, fico cheia de felicidade de ouvir que vc ficou com saudade dos posts por aqui <3

  3. Laura Nolasco

    agosto 25, 2017 at 5:20 am

    Achei TÃAAO amor você, Ana e Thomas hahahah… acompanho ela também e amo o blog e a overdose de fofura que é o insta dela!
    Não sei nem o que falar, não dá pra descrever o tanto que fiquei louca com essa viagem…Quero todos os posts possíveis sobre ela! hahahah
    Acho que desses países tenho mais vontade de conhecer Itália, Áustria e Alemanha. Mas seu roteiro ficou tão incrível que nem sei, quero tudo hahahah
    Ia ter a mesma dificuldade que você com calor.. faz um ano que passei 20 dias em Salvador e peguei 40ºc lá também… De noite fazia 32ºc! Eu passei 20 dias sem conseguir comer NADA além de açaí e frutas. Quando senti fraqueza de só comer isso fui pro shopping comer comida de verdade e fiquei lá por umas horas pra “aliviar” no ar condicionado… O que é chato porque né, to na Bahia indo pra shopping? Mas era isso ou desmaiar com pressão baixa. Ou eu tava no mar ou eu tava debaixo do ventilador hahah
    Já fiquei louca com as fotos desse post e com as do insta, tudo tão lindo!
    Beijos!

    1. Taís

      agosto 31, 2017 at 10:42 pm

      Um calor desses é arrasador mesmo, não dá pra aproveitar e também não dá pra se culpar por querer ficar só no ar condicionado.. E tem que se cuidar, porque tem essa de pressão baixar e tals, é um perigo!
      E todos esses lugares do meu roteiro valem a pena visitar, faz bem em querer tudo! haha
      Beijos!

  4. Gabi

    agosto 25, 2017 at 10:55 am

    AHH QUE DEMAIS! Que delícia de viagem, Taís! Destinos incríveis, pessoas (e pessoinhas, né Thomas) lindas, foi demais acompanhar você pelo insta nesse mês. Eu acho que nunca fiz viagem mais longa que 20 dias, menos por preferência, e mais porque não podia tirar férias mais longas. Mas hoje já nem sei se consigo, sou daquelas que tem saudade de casa hahaha… Sei que to doida pra ler tudo que você escrever sobre hahaha.. pq adoro viajar na viagem dos outros, e essa foi incrível!
    Beijos!

    1. Taís

      agosto 31, 2017 at 11:00 pm

      Obrigada por acompanhar, Gabi, fico feliz que tenha gostado! E pode deixar que vou ir escrevendo tudo que der.. também sou dessas que adoro viajar na viagem dos outros hahaha
      Beijos!

  5. Camila Faria

    agosto 25, 2017 at 3:23 pm

    Que roteiro mais maravilhoso Taís! O único desses países que conheci mais “a fundo” foi a Croácia, que é uma coisa de outro mundo, né? Incrível demais. Queria morar dentro de Plitvice Lakes. Hahaha! Eu fui em setembro, então não peguei um calor assim tão arrasador.

    Quero ver mais fotos dessa sua viagem linda! E tem umas fotinhos da minha viagem pela Croácia aqui: https://www.flickr.com/photos/milaesergio/albums/72157623267360697 Fui em 2009, depois me conta se esse tanto de anos já mudou o país de alguma forma. Beijo, beijo :*

    1. Taís

      agosto 31, 2017 at 11:19 pm

      Siim, a Croácia é muito demais! Acredito que desde 2009 pra cá tenha mudado algumas coisas sim, principalmente os preços. Na época que você foi a Croácia não era tão turística como é agora.. muito mais gente visitando o país!

  6. Stéfhanie

    agosto 25, 2017 at 3:37 pm

    Que viagem mais incrível Tais! Estava acompanhando pelo instagram e super ansiosa para ver os posts aqui também.
    Vi as noticias sobre a forte onda de calor e só pensava em você! Um amigo esteve na Itália também e disse que passou maior sufoco.. Um dia quase desmaiou e teve que abortar maior parte do roteiro. Mas acontece, né?

    Quero posts sobre a Itália e Áustria e os restaurantes vegetarianos que conheceu por lá.

    Beijo

    1. Taís

      agosto 31, 2017 at 11:27 pm

      Obrigada por ter acompanhado, Sté! Realmente, o calor que fez foi cruel, o jeito é pegar leve do que sair fazendo milhoes de coisas e passar mal. E pode deixar que vou ir falando dos restaurantes vegetarianos sim!
      Beijos :*

  7. Ana

    agosto 26, 2017 at 6:55 pm

    Que demais a sua viagem! Estou louca para conhecer muitos lugares da sua lista (especialmente a Croácia) e estou ansiosa pelos próximos posts! <3

    1. Taís

      agosto 31, 2017 at 11:41 pm

      Cada lugar lindo, Ana! Com calma vou liberando os pots por aqui <3

  8. Stephanie Vasques

    agosto 28, 2017 at 3:03 am

    UAUUUU, QUE SONHO DE VIAGEM, TAÍS! Você conheceu lugares maravilhosos, com certeza. Amei demais esse roteirão! Uma pena que a onda de calor tenha atrapalhado um pouco a sua eurotrip, mas ainda bem que você conseguiu aproveitar muitas coisas ainda assim. Tô apaixonada por essas fotos, e já tô na espera de mais posts sobre essa viagem, viu??? Hahahaha A minha maior viagem foi uma roadtrip de 20 dias pela California. Algumas coisas deram errado, mas foi tudo maravilhoso, de verdade! Eu sonho em conhecer a Itália e a Croácia, tomara que eu consiga realizá-lo em breve <3

    Com amor,
    Steph • Não é Berlim

    1. Taís

      setembro 1, 2017 at 12:41 am

      hahaa pode deixar que ainda terão mais posts sobre essa viagem toda! E to aqui na torcida pra você conhcer Itália e Croácia em breve!
      beijos, Stephanie :*

  9. Katarina

    agosto 28, 2017 at 5:08 pm

    Meu Deus, Taís!! Que post mais lindo ♥ Eu não via a hora de saber mais desse seu roteiro, ficou incrível. Nunca fiz uma viagem grande assim, mas tenho muita vontade! Das últimas vezes fiquei meio frustrada, achando sempre que to correndo sem curtir de verdade, sabe? Que bom que apesar dos perrengues e de salada com carne (what???) deu tudo certo e você viveu experiências tão lindas. Amei que você conheceu Ana e família ♥ Beijo!

    1. Taís

      setembro 1, 2017 at 12:42 am

      Pois é Kat.. meu roteiro foi corrido pra falar a verdade, mas eu consegui aproveitar bem o que atrapalhou mesmo foi o calor intenso. Alguns lugares eu passei ”mais tempo que devia” justamente pra não correr sabe.
      Beijoo :*

  10. Thayse

    agosto 28, 2017 at 6:19 pm

    Guria, eu fiquei super encantada com a tua viagem, apesar dos pesares, foi tudo muito lindo. Parabéns pela tua organização, determinação e paciência pra fazer tudo acontecer. Não é fácil viajar no calorão, cansa muito e a gente fica mal, mesmo. Mas, cara, acho que valeu muito, olha todas as coisas legais que tu pode aproveitar justamente porque estava calor! Eu amei teu roteiro, e acho que tu fez tudo de uma maneira muito “a tua cara”, aproveitando o que seria mais bacana pro teu estilo de viagem e as coisas que tu mais curtes fazer <3 Lindo de ver!

    Beijos <3

    1. Taís

      setembro 1, 2017 at 7:38 pm

      Ahh muito obrigada, Thay! Realmente eu quis deixar esse roteiro bem a minha cara e consegui hahaha e aproveitei bastante isso!
      Beijos :*

  11. Lilian

    agosto 30, 2017 at 5:16 pm

    Oi Thaís! Pois é, italianos do norte são muito antipáticos mesmo. Mas não é a regra, na região da Toscana eles são fantásticos e quanto mais pro sul você for mais as pessoas ficam gentis. Estranho mas é assim mesmo! É uma pena, um país tão lindo com pessoas tão desagradáveis. Mas, como disse, é mais no norte mesmo!

    1. Taís

      setembro 1, 2017 at 7:48 pm

      Sério? Não sabia dessa fama dos italianos do norte, mas se bem que pessoas que eu conheço que moram ou que já moraram no norte da Italia reclamam da mesma coisa haha

  12. Ana

    agosto 31, 2017 at 11:11 am

    Que viagem! Amei demais acompanhar o teu stories, as fotos e ter feito um pouco parte dela! Foi um prazer imenso te receber aqui na nossa casa. Nós é que temos que te agradecer pelos mimos e sobretudo, pelo carinho com o nosso Thomas. Espera que vamos aí te ver! Ansiosa pelos posts futuros!
    um beijo de nós três <3

    1. Taís

      setembro 1, 2017 at 7:50 pm

      Nem precisa agradecer, né Ana.. eu que agradeço por terem me acolhido no cantinho de vocês <3 E como não ter um carinho enorme por esse Thomas maravilhoso, me diz! hahaha
      Beiijos e venham logo pra cá sim <3

  13. As vistas de Praga - a capital da República Tcheca - Nýr Dagur

    agosto 31, 2017 at 9:29 pm

    […] a minha EuroTrip em Praga, uma das cidades que eu mais tinha vontade de conhecer no leste da Europa (Ou Europa […]

  14. KARINE

    setembro 2, 2017 at 6:22 pm

    ai meu deus, que viagem foda, ta! fiquei morrendo com suas fotos no instagram e agora vou morrer de amor com os posts por aqui. eu vi as noticias sobre a onda de calor na europa e lembrei de você viajando, pena ter perdido algumas coisas por isso, mas mesmo assim a viagem não deixou de ser incrível, né? amei essa seleção de melhores momentos (o que é aquela vista lá de cima dos alpes? sos). e a família Schuller maravilhosa, socorro <3333

  15. Fran

    setembro 6, 2017 at 3:20 pm

    Que fotos e lugares maravilhosos!
    Como foi ver tanto calor de uma vez só assim? estranhou? haha
    Acho que passar um mês viajando deve ser uma experiência pra lá de incrível… Mas, que exige paciência!

  16. Ana Jähne

    setembro 8, 2017 at 8:40 pm

    acompanhei um pouco dessa tua viagem pelo instamgram… e, meodeos, que fotos perfeitas!
    quanto ao calor… tb encontrei com Lucifer na Croácia. ele acabou com meus planos de fazer trilhas… mas com aquele marzäo azul num tenho do que reclamar! (mentira, tenho. acampei por lá… e num tem ar condicionado no acampamento. entäo já viu o problema pra dormir, né?!)

  17. Lago di Garda: Peschiera del Garda & Sirmione - Nýr Dagur

    outubro 23, 2017 at 7:35 pm

    […] Porem, essa viagem pra lá não foi como eu tinha esperado (foi na real, a pior parte da minha EuroTrip de verão) e vocês vão acompanhar minhas frustrações nesses posts que farei sobre minha passagem pela […]

//Leave a Reply