Minha primeira vez na Ásia (Coreia do Sul & China)

A Ásia é o maior continente do nosso planeta, tanto de tamanho quanto de população. Tem muitos países interessantes pra visitar nessa parte do mundo, vários lugares lindos e diferentes da nossa realidade ocidental. Eu estava explodindo de felicidade com a oportunidade de finalmente explorar um pouco desse continente.

Com tantas opções maravilhosas, fica difícil escolher o que visitar primeiro. Nos meus sonhos, o meu primeiro país asiático seria o Japão. Mas nem sempre as férias, o dinheiro e os esquemas de voos se alinham pra fazer as coisas acontecerem conforme a gente quer. O que tá tudo bem também, porque isso dá oportunidade pra outras coisas maravilhosas acontecerem.

E assim, a Coreia do Sul entrou nos nossos planos pra viagem de fim de ano em 2018. Pela época do ano, estávamos mirando mesmo na Índia e Sri Lanka, mas o que encontramos mesmo foi uma promoção ótima com a Finnair saindo de Varsóvia para Seoul (com uma escala rápida em Helsinki). O que seria ótimo já que eu tava indo passar o natal na Polônia. E também, nas nossas pesquisas de voo, vimos que essa promoção ficava ainda melhor com a volta vindo por Beijing e não pensamos duas vezes em fechar esse combo.

Seoul

Foi uma experiência bem diferente pra mim desde o começo do planejamento, ver informações e aprender um pouco mais sobre a Coreia e a China. Ver quais seriam as melhores formas de visitar lugares, o que fazer e etc. O boy já esteve na China, o que facilitou na hora da gente fazer o planejamento porque ele sabia dos esquemas por lá.

Só pelo fato de ambos países não usarem o Google (o que facilita muito nossa vida de viajantes) e a China ter uma internet bloqueada, já era algo fora do que estamos acostumados a lidar. Foi bem interessante aprender e se adaptar com os serviços deles e buscar opções pra facilitar nossa vida nesses dois países.

Mesmo com suas particularidades e uma cultura diferente, a Coreia do Sul é um país relativamente fácil pra nós ocidentais visitar. Já a China, foi um desafio desde o planejamento até a hora que chegamos lá.

Em ambos países vimos poucos turístas ocidentais, principalmente na China. Acho também pelo fato de termos ido na baixa temporada. E como resultado, sempre ficavam olhando muito pra gente, éramos a atração das criancinhas. No metrô em Beijing, chegaram a nos parar pra tirar uma selfie, foi engraçado!

Essa viagem me marcou tanto, que depois que voltei, passei 1 semana tendo sonhos de que eu ainda estava na Coreia ou na China. Isso nunca tinha acontecido antes, pelo menos não que eu me lembre.

Seoul

Minha alimentação e a diferença de horário eram duas coisas que me preocuparam pra essa viagem.

Sabia que daria um pouco mais de trabalho achar opções vegetarianas e veganas, mas pesquisando com calma fui vendo que dava pra se virar. Eu só tinha que checar antes quais lugares eu poderia ir. Na Coreia também foi mais fácil, já que eu iria encontrar uma amiga e iriamos fazer couchsurfing (sempre bom ter gente falante da língua local pra ajudar nessas horas). Só que tinha o porem de que as comidas coreanas são normalmente um pouco mais apimentadas. Eu gosto de pimenta só que num nível moderado, mas estava empolgada também pra provar o que as comidas veg’s da Coreia tinham a oferecer. E bem, o resultado foi que eu amei! Muitas comidas deliciosas e adorei provar coisas novas.

Comi coisas de nível leve à moderado (pelo menos pra mim) no quesito pimenta e gostei muito!

Já na China, a minha preocupação era ainda maior, mas deu tudo certo. Segui no mesmo esquema de procurar antes, porque entrar em qualquer lugar não era opção. Antes disso, quando fui pra Bélgica, conheci umas meninas super fofas de Singapura que falavam chinês e elas escreveram pra mim várias frases e nomes de comidas pra me ajudar. Só que, eu esqueci esse papel em casa e não levei pra viagem. Ai que raiva! Mas o HappyCow me ajudou um monte e comi coisas boas lá também.

Sobre o horário, eu tinha muito medo do jet lag me afetar e eu acabar não aproveitando muito nos primeiros dias. Essa seria minha primeira vez viajando pra um lugar com uma diferença de horário muito grande. Só das vezes que fui pro Brasil e voltei pra Irlanda, eu sinto a diferença, mesmo que nem seja tão grande assim.

Tivemos sorte que os horários dos voos tanto na ida quanto na volta ajudaram nesse quesito. Na ida, eu tinha que tentar dormir o voo todo, a chegada em Seoul era pela manhã. E até que deu certo sim, consegui dormi até que bem e aproveitei sem ficar com sono no meio do dia. Mas quando era 9 horas da noite eu já estava esgotada. Dormi cedo, acordei de magrugada sem sono nenhum, voltei a dormir mais um pouquinho, mas ainda assim 6-7 horas da manhã eu já estava ligadona. Só que com o frio que tava, sair essa hora de casa nem era opção. haha

E assim foram os dias por lá, eu dormia super cedo entre 9-10, acordava de madrugada, voltava a dormir e 7 horas já era o máximo, não conseguia dormir mais. Pra mim isso é totalmente fora da minha rotina, porque o meu normal é sempre dormir depois da meia noite. Tenho sérios problemas em dormir cedo, porque é isso que acontece, se eu dormir cedo eu sempre acordo no meio da noite. Mas estando lá, meu corpo simplesmente desligava e as 10 horas da noite eu já estava capotada. O curioso foi que, mesmo se eu desse uma segurada pra dormir um pouco mais tarde, eu sempre acordava cedinho do mesmo jeito.

Na volta, foi o contrário. Eu não podia dormir no voo, pra poder ter sono pra dormir assim que chegasse na Irlanda. Foi uma volta muito longa. Beijing até Helsinki, depois Helsinki pra Berlin e por fim, Berlin pra Dublin. Funcionou direitinho e aconteceu a mesma coisa, passei 1 semana dormindo super cedo (agora já zuou tudo). Fiquei feliz porque na verdade o jet lag não me atrapalhou e sim ajudou, meu sono ficou regulado, sem essa de dormir em horários super loucos. Brinquei que preciso ir pra Ásia mais vezes, porque só assim pra eu ter uma rotina de sono normal. haha

Seoul

A Coreia do Sul era o foco maior dessa viagem, foi onde passamos mais tempo (praticamente 1 semana). Nosso roteiro se fixou mais em Seoul, cogitei a possibilidade de quem sabe ir pra uma outra cidade também, mas no fim ficamos mesmo em Seoul, tem tanta coisa pra fazer! Fiquei morrendo de vontade de passar pelo menos 1 mês na Coreia. Explorar mais coisas na capital e ir ver outras cidades. É um país muuuito interessante e cheio de parques nacionais pra visitar.

Além de visitar Seoul, queria também ir até a fronteira da Coreia do Norte, fazer alguma trilha (Seoul é cheia de montanhas, se não me engano tem umas 20 ou mais) e também visitar um jardim fora da cidade, que no inverno acontece um festival de luzes e fica tudo iluminado. Conseguimos fazer tudo isso, acredito que aproveitamos bastante (também teve o ano novo). Mas, ainda tinha vários outros lugares legais pra visitar e isso só nos deixou com mais vontade de um dia voltar pra Coreia. Se possível, durante a primavera, porque enfrentar o inverno coreano uma vez já está de bom tamanho.

Durante nossa semana por lá, só pegamos temperaturas negativas. Enfrentamos sensação térmica de -18 na cidade e o mais quente que vimos nossa previsão do tempo marcar foi -3, por umas duas horinhas no meio da tarde já no fim da viagem. Viajar com temperatuas baixas assim quando se quer andar bastante nos lugares, pode ser bem problemático. Não dava pra ficar o dia inteiro batendo perna. Não é um frio gostoso de aproveitar, é doído! haha

Seoul – Sempre encolhida e toda empacotada

O meu eu da adolescência pirou muito em estar em Seoul. Mesmo que hoje em dia eu não acompanhe e nem escute Kpop como eu fazia aos 16 anos. Fiquei bem nostalgica! E também, fiquei doidinha com o tanto de coisa fofa que tem na Coreia. Por um lado, fiquei feliz que essa viagem não incluiu o Japão, se não eu certamente teria ido a falência comprando tudo.

Normalmente eu não sou de fazer compras em viagens, mas em Seoul eu tive que me controlar muito. Acabei pegando umas coisinhas, mas a compra mais especial mesmo, foi a minha câmera nova, a Kimchi. Tudo que eu via que tinha uma embalagem fofinha, eu já queria pra mim mesmo sem saber o que era.

E acho que como todo mundo que chega na Ásia pela primeira vez e se depara com certas tecnologias, fiquei besta com certas coisas, como as privadas com botões. Elas aquececem sua bunda, joga água pra limpar etc. achei maravilhoso. Outra coisa que gostei foi o chão que é aquecido. Duas coisas que nunca tinha visto antes.

Embalagens fofas (essa era uma bebida alcoólica bem fraquinha, mas muito gostosa)
Myeong-dong, uma região muito popular de compras em Seoul

Essa passagem na Coreia ficou ainda mais especial por conta das pessoas que encontramos. Pude reencontrar uma amiga muito querida que morou comigo em Dublin, uns 5 anos atrás. Coisa que a gente pensou que nunca aconteceria, não na Coreia pelo menos. Que felicidade poder visitá-la em seus país.

Também fizemos Couchsurfing e nosso host, que ser humano incrível e cheio de histórias que nos emocionaram. Uma delas foi sobre o tempo que ele fez serviço militar (na Coreia é obrigatório para todos os homens entre 18-28 anos). Resumindo: ele trabalhou na DMZ e eles recebem ordens pra atirar se virem alguém tentando atravessar a fronteira, já que podem estar carregando bombas e colocar em risco a vida de todos os soldados ali. Ele viu duas pessoas vindo da Coreia do Norte, mas ele simplesmente não conseguiu atirar. No fim das contas ele acabou salvando a vida delas, mas ele e a equipe inteira tiveram uma punição, porque ele colocou todo mundo em risco. Ficamos sem palavras.

Pelo Couchsurfing encontramos outro coreano super interessante, apaixonado por várias culturas e música brasileira. Nos juntamos com ele e nosso host uma noite, ele nos levou pra um restaurante típico pro boy provar o korean bbq e além disso, teve todo cuidado em pedir coisas vegetarianas pra mim. Passamos horas conversando e comendo muito. Foi bem legal!

Como esses encontros são especiais e como eu fico cheia de amor e felicidade em fazer amigos de todos os cantos do mundo, com culturas e histórias tão diferentes da minha realidade.

Presente que a Irlanda me deu ♥
Unidos pelo Couchsurfing ♥

Foi muito difícil deixar a Coreia, passamos coisas tão lindas por lá que vão ficar pra sempre na nossa memória. Deixei um pedacinho de mim e trouxe a Coreia guardadinha num canto especial do coração.

Chegando na China, foi lá que bateu aquele choque cultural maior. Passamos 4 noites em Beijing, sendo que o primeiro dia foi basicamente perdido com burocracias e alguns perrengues que acho que merecem até um post. Fora outras coisas que me incomodaram bastante, outras diferentes de todos os países que já visitei, mas vou me aprofundar sobre isso uma outra hora.

Ou seja, 3 dias em Beijing é muito pouco, a cidade é enorme. Mas conseguimos pelo menos ver dois dos lugares que eram os principais pra gente, a Cidade Proibida e a Muralha da China.

Beijing é uma cidade muito grande e muita doida, tem muitos lugares incríveis pra visitar, mas sinceramente não me conquistou. Tem várias coisas que pra mim são muito difíceis de engolir sobre a China. O controle do governo, alguns comportamentos sociais dos próprios chineses e claro, a falta de leis de proteção animal que proíbam maus tratos. Acho que todo mundo sabe que, por exemplo, testes em animais pra cosméticos ainda são obrigatórios por lá (salvo algumas poucas exceções).

Esperando o trem pra Badaling

E tenho que concordar quando dizem que: a China não é pra todo mundo. Realmente, é difícil viajar pra lá somando burocracia e diferenças culturais. Fora que tem muita gente, é tudo muito cheio. Então acredito que sim, não é um país que vá te conquistar fácil (ou se é que vai). Mesmo lendo e me informando sobre a China em vários aspectos, rolou aquele susto. Não quero nem imaginar pra quem chega lá desavisado.

Perguntei pro boy qual foi o lugar favorito dele por lá, já que ele também visitou Shanghai numa viagem anterior. Pra ele, em questões de cidade, ele prefere Shanghai, disse que é menos burocratica também. Em questões de atrações pra visitar, prefere Beijing. Perguntei pra ele se a China é um país que ele gosta, visto que ele teve oportunidade de ter estado lá duas vezes (tirando as visitas pra Hong Kong e Taiwan que são diferentes) e a resposta foi: no comment. Mas que ele gosta do fato de que é sempre um desafio. hahaha

A China é um país com uma história riquíssima e com lugares muito impressionantes pra se visitar, foi esse o meu foco. Não amei, mas teve momentos muito legais, principalmente estar na Muralha da China.

Tínhamos em mente tentar ver também o Exército de Terracota e lugares lindíssimos na natureza em Chengdu, mas a China é um dos maiores países do mundo e a locomoção demora, fora também as restrições por conta do visto. Quem sabe numa próxima.

Mas a Muralha da China foi inesquecível e valeu tudinho pra poder estar lá.

Ainda é difícil de acreditar que vi esse lugar com meus próprios olhos, que estive realmente lá. Foi incrível fazer essa trilha, desses lugares que a gente demora um pouco pra absorver o que tá acontecendo, surreal!

A viagem foi o que eu esperava e muito mais. Conhecer um mundo totalmente diferente do meu, aprender, conhecer e evoluir!

Não vejo a hora de poder voltar pra Ásia e conhecer mais tantos lugares incríveis, me surpreender com esse mundo gigantesco!

Comments

  1. A Ásia é incrível! É um universo completamente diferente. Só estive na Tailândia, mas lembro de chegar em Chinatown e ficar até meio high, de tanto estímulo sensorial, auditivo, visual, etc. E eu imagino Seoul assim também, é?! Agora a China, imagino bem isso que você descreveu, um lugar difícil. Tenho vontade de conhecer, mas tenho preguiça rs… preguiça do povo que não entende fila, que cospe no chão, e tal. É como eles são, e ok.. só não sei se é pra mim. Doida pra ler os posts dessa viagem!

    • Sim, Gabi.. Seoul tb tem toda essa informação auditiva e visual, mas é uma mistura muito interessante do moderno com o tradicional.
      E pois é, isso é o que eles são e pra gente é um choque cultural, desses dificeis de relevar pq né.. mas valeu o esforço pra ver uns lugares fodas por lá! haha

  2. Que shooooowww! Acompanhei a viagem pelo Insta e adorei cada foto/stories, tenho muita vontade de ir pra Ásia também! Assim como você, meu foco é o Japão, mas desde que eu perdi uma oportunidade única de fazer um intercâmbio na China (sim, a oportunidade era única. não, não consegui), tenho muita, muita vontade de conhecer, mesmo com toda a burocracia e esse lado ‘difícil’ que você narrou no post. E Seoul parece ser uma baita cidade <3 Vi o episódio do Pedro pelo Mundo em Seoul e adorei hehe

    • Espero muito que vc consiga visitar a Asia, Victoria! Uma pena que não rolou o intercambio, mas quem sabe outras oportunidades legais não venham pra vc 🙂
      E Seoul é uma cidade muito interessante! <3

  3. Confesso que nunca tinha imaginado visitar a Coreia do Sul, mas depois das suas fotos e desse post até que deu uma vontadezinha!! rsrs..Mas tenho medo kkkk Meu inglês não é lá essas coisas e ainda sem nosso querido Google? Acho que não estou preparada pra isso. E acho que realmente pra fazer uma viagem dessas vc precisa estar preparada emocionalmente, fisicamente, socialmente….tudo! Mas um dia vou programar essa viagem =)
    Agora a China….quero muito conhecer a Muralha….mas e o desânimo pra passar por essa burocracia e ter esse choque cultural? Muito preparo tbm…mente livre pra “engolir” tantas coisas, né???

    Beijos,
    Gábi

    Blog @gabrielaer
    Ig: @gabrielaer

    • Gábi, mesmo sem ter muito inglês, essa viagem é mto possível.. até pq a maioria tb não fala, então mesmo se vc falar inglês acho que dá na mesma haha
      Eles não usam o Google (eles têm outro site), mas na Coreia funciona (menos o mapa), na China é que é total bloqueado mesmo e só com VPN pra acessar.. Então ainda dá pra tentar usar o google tradutor na Coreia 🙂
      Espero que um dia vc consiga planejar uma viagem pra lá tb 🙂

  4. Ahh que viagem maravilhosa Taís *-* eu também quero muito visitar o outro lado do mundo, imagino que seja uma experiência completamente diferente do que estamos acostumadas aqui na Europa mesmo… e doida pra ler todos seus posts, especialmente o de perrengues na China, haha! Nao é um país que tenho muuuuita vontade de ir, mas lógico que bate aquela curiosidade né? Beijos!

  5. Esse foi um dos posts que eu mais estava aguardando no blog, confesso! Acompanhei pelos stories a sua viagem, e adorei saber mais sobre a Coreia. Também fiquei pensando como você sobreviveu a essas temperaturas extremas demais! O máximo que eu já peguei em viagens foi -5, e olha, foi um desafio e tanto! Fico imaginando -18!
    Tenho super curiosidade de saber mais sobre a China e também os desafios da viagem, acredito que é sempre interessante.

    • Ah, Ana.. que amor! <3
      E quero compartilhar sim essas coisas pq tb acho super valido. E olha, foi fácil não aguentar o frio quando a gente queria sair andando por tudo, mas nosso corpo pedia socorro hahaha

  6. Confesso que ao longo do post, senti diversas emoções! Você sabe que o meu maior sonho é ir pra coreia, então basicamente, li tudo que você escreveu tomando notas no meu cérebro, tipo “meu deus preciso pesquisar restaurantes vegetarianos, ah, sim preciso fazer isso, meu deus também preciso fazer isso, e isso, e isso.” Eu fico muito feliz que a Coreia tenha te conquistado, e que você tenha se sentido um pouco nostálgica relembrando os tempos de kpop da adolescência, agora só faltava ver uns doramas, quando sentir saudades da coreia. Recomendo fortemente, my mister. (♥). Brincadeiras a parte, acho que essa entrega e conhecer pessoas locais, rever uma amiga especial para você, poder experimentar e vivenciar uma cultura tão diferente da sua, um clima frio, é uma coisa inigualável. Estava lendo um livro da TAG, que se chama existo, existo, existo, ele é de uma escritora, que viaja muito, e curiosamente morou na china também, em uma parte do livro ela explica que existe um estudo cientifico que fala como o nosso cérebro expande quando viajamos. É bem legal, lendo seu post, me fez lembrar dessa parte do livro.

    Imagino o quão difícil tenha sido a viagem para a China. Estou lendo as boas mulheres da china e me é um livro tão difícil. Já chorei tanto, acho que ficaria um pouco impactada, com uma viagem para lá. E, de fato essa paisagem da muralha da china, é surreal.

  7. Eu nunca tinha pensado em viajar para a Coreia, mas agora acho que é um lugar para se considerar 🙂 meu marido já foi pra China a trabalho e a universidade onde ele foi dar um curso organizou tudo pra ele, então ele não sofreu com tanta burocracia assim (pelo menos ele não me falou). Quero visitar a Ásia, mas não sei se a China é um lugar pra mim. Também li o post sobre os perrengues e fiquei com muito nojo pensando nos cheiros e nas pessoas cuspindo assim do nada (se bem que às vezes o cheiro no transporte público de Berlim também é triste).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Notice: genesis_footer_creds_text is deprecated since version 3.1.0! Use genesis_pre_get_option_footer_text instead. This filter is no longer supported. You can now modify your footer text using the Theme Settings. in /home/jw1nrhfa/public_html/wp-includes/functions.php on line 4716

© 2019 Nýr Dagur · by MinimaDesign