Europa, Trilhas, Viagens

Parque Nacional da Suíça Saxônica

Dentre os vários motivos que tornam a Alemanha um país tão fascinante, um deles é o fato de ser um paraíso pra quem ama fazer trilhas. Como ainda não consegui fazer minha tão sonhada viagem de trilhas pelos Alpes alemães, nessa última viagem eu queria encaixar uma trilha no meu roteiro. E não pensei duas vezes em incluir o Parque Nacional da Suíça Saxônica nos meus planos.

Em alemão o nome é Nationalpark Sächsische Schweiz e apesar de ter Suíça no nome, o parque é localizado na fronteira da Alemanha com a República Tcheca fazendo parte dos dois países. Suíça Saxônica também é o nome dado pra parte alemã das montanhas de arenito Elbsandsteingebirge, no lado tcheco o nome do parque é Suíça Boêmia.

Um dos meus desafios pra essa hiking-trip era aprender a falar o nome das montanhas: Elbsandsteingebirge. E não é que eu consegui? Virou parte dos meus super poderes. haha!

Processed with VSCO with a6 preset

E por que será que esse lugar tem o nome de Suíça e não fica nem perto do país? Eu li que a região ganhou esse nome no século 18, após dois artistas suíços que moravam em Dresden começaram a chamar as proximidades de Suíça Saxônica. Para eles, as paisagens por ali eram similares as paisagens da Suíça. Assim ficou conhecida essa área das regiões da Saxônia na Alemanha e da Boêmia na República Tcheca. E tenho que concordar, passando pelas vilinhas ali também tive essa sensação de que lembrou o pouco das lindas paisagens que vi na Suíça.

COMO CHEGAR LÁ?
DSCF5522
A maneira mais fácil pra chegar é de carro, mas também dá pra chegar com facilidade usando o transporte público saindo da cidade de Dresden, capital da Saxônia. De lá tem opção de ir de trem e descer em uma das vilas próximas como Bad Schandau, Pirna, Stadt Wehlen, Kurort Rathen, Königstein etc. Tudo depende de qual ponto você quer começar a explorar a região e de qual trilha você escolher fazer. Também há opção de chegar lá de barco pelo rio Elbe.

Nós saímos de Leipzig e a viagem até Bad Schandau (nosso ponto de partida) demorou um pouco menos de duas horas de carro.Processed with VSCO with a6 preset

QUAL TRILHA FAZER?
Essa foi a minha maior dúvida, ao pesquisar eu via várias opções de trilhas com percursos diferentes e eu simplesmente não sabia qual escolher. Tem trilha fácil, moderada e super difícil, algumas com duração entre 2h30-4h e até algumas que são feitas por vários dias. Se eu tivesse mais tempo com certeza iria querer fazer uma longa pra poder ver mais dessa região. Tem muita coisa pra fazer e ver, dá pra ficar uns vários dias por ali, vendo as vilas próximas e vários pontos do parque, que é gigantesco.

Eu só tinha um dia e no final das contas deixei na mão dos meus amigos pra eles escolherem qual seria a melhor trilha pra gente. O ponto mais famoso do parque é a ponte Bastei, sendo assim, a trilha que leva até lá é a mais turística e movimentada de todas. Um dos meus amigos já fez trilha na Suíça Saxônica várias vezes e ele recomendou a gente fazer uma trilha fora dessa rota turística, começando em Bad Schandau. Estacionamos o carro ali e voltamos pra lá pela trilha também.

Apesar de que eu queria muito ver Bastei, deixei eles me guiarem e sabia que qualquer trajeto seria incrível do mesmo jeito!

IMG_0559 IMG_0560IMG_0568Na prática mesmo não seguimos uma rota oficial. E também, a maior parte do nosso caminho só tinha a gente na trilha, foi maravilhoso. Em um ponto a gente acabou cruzando com a trilha mais movimentada e realmente faz diferença ir pelo caminho mais tranquilo, você aproveita muito mais, o lugar era só nosso. Nessa parte que encontramos toda a galera da outra trilha, não pensamos duas vezes em querer voltar correndo pra nossa rota. Não vi  a tal famosa ponte Bastei, mas amei poder curtir a Suíça Saxônica ”só pra mim”.

É um lugar que eu com certeza vou querer voltar pra fazer mais trilhas, em uma outra oportunidade eu vou em busca da ponte. No site eles informam as opções de trilhas com os níveis de dificuldade e duração: link aqui

DSCF5523IMG_0564Processed with VSCO with a6 presetO drone nos acompanhou também nessa aventura, só que na reta final um dos guardas do parque veio falar que não podia voar o drone ali. Não sei explicar muito bem o motivo, já que ele conversou em alemão com os meninos, mas acho que tinha algo relacionado com a época do ano e os passáros de lá.

FOI DÍFICIL? 
Nossa trilha durou 5 horas e meia! Obviamente paramos várias vezes pelo caminho pra comer, tirar fotos, voar o drone e relaxar. A parte mais puxada foi o começo que era só subida. Não era uma subidinha leve e com certeza mataria qualquer sedentário. Não sou a pessoa mais fitness do mundo, mas também não me considero tãão sedentária e já subi muito morro por aí, só que sim, cansou muuito!

Depois dessa primeira fase só de subida, o resto foi bem fácil em questões de esforço. O mais difícil era ficar atento com o terreno e olhar onde pisar. Umas partes do trajeto ficam nos barrancos e a passagem é bem estreita. O bom é que o local é todo preparado e nessas partes estreitinhas tinha onde segurar. Eles colocam uns apoios nas rochas e você segura nelas pra te dar equilibrio e não cair. Achei que seria perigoso fazer esse caminho em um dia muito chuvoso.

No dia estava chovendo um pouco pela manhã e várias partes do terreno estavam escorregadias, por isso tinha que redobrar a atenção. Tivemos sorte que o tempo melhorou e a chuva nos deixou terminar a trilha sem grandes problemas.

IMG_0574 IMG_0593 IMG_0587 IMG_0581Processed with VSCO with a6 preset

O QUE LEVAR E VESTIR?
Como nossa trilha foi longa era mais que obrigatório levar água e comida suficientes pra nos manter bem. Cada um de nós tínhamos uma garrafa de água e levamos também frutas, bolachas, chocolate e uns lanchinhos. Uns dos meus amigos também levou um gás desses de camping pra fazermos chá. Foi muito bom quando chegávamos no topo e batia um ventinho mais frio, poder tomar um chá quentinho feito na hora.

Foi muito maravilhoso poder sentar, relaxar e comer apreciando aquelas vistas de cair o queixo Não levamos comidas mais pesadas, já que o plano era depois da trilha ir comer algo com mais sustância (na verdade, nem é bom comer muito durante a trilha pra ficar estufado, prefira coisas mais levinhas mesmo). Inicialmente pensamos em ir comer algo na República Tcheca, já que é pertinho e bem mais barato, mas decidimos parar em Dresden mesmo pra ficar mais fácil de voltar pra Leipzig.

Nem precisa dizer que vestuário tem que ser confortável, né? Estávamos todos com roupas waterproof, calçados adequados e gorros pra proteger a orelha do vento. Não estava calor, mas também não estava um frio de morrer. Mas no topo de montanhas é sempre mais frio e é bom estar devidamente agasalhado. No caminho a gente ia tirando as blusas nas subidas quando ficava mais calor. Claro que o vestuário vai mudar de acordo com a estação do ano, mais leve se estiver no verão e mais em camadas no inverno. Fomos na primavera, mas a tempetura estava até que fria pra essa época do ano. Achei que foi ideal, porque seria tortura fazer no calorão, mas fiquei super tentada de ir no inverno pra ver tudo com neve!

DSCF5545IMG_0602 IMG_0605 IMG_0603Processed with VSCO with a6 preset

QUAL É A MELHOR ÉPOCA?
Acredito que as meias estações são a melhor época pra fazer atividades por lá, ir na primavera ou no outono. Acredito que no verão deva ficar abarrotado de gente e no inverno é sempre mais complicadinho fazer trilhas com temperaturas mais baixas e neve, precisa ter um preparo melhor.

Durante a semana deve ficar bem mais tranquilo de ir, independente de ser alta temporada. Fomos em um sábado e na nossa rota, como já tinha dito, só tinha a gente. Na outra mais turística, estava bem mais movimentada.

Processed with VSCO with a6 presetProcessed with VSCO with a6 presetProcessed with VSCO with a6 preset

FOI SIMPLESMENTE A MELHOR TRILHA QUE EU JÁ FIZ NA VIDA! 
Não vou economizar nos elogios porque o Parque Nacional da Suíça Saxônica é mesmo maravilhoso. As paisagens são de tirar o fôlego, como a natureza é incrível! Eu amei toda a estrutura pra deixar a trilha mais confortável e possibilitar o acesso à essas maravilhas, seja com lugares pra você se segurar, as escadas e tudo mais. Não tem nem o que falar, só elogios mesmo e super recomendo pra todo mundo sem pensar duas vezes. É impressionante as formações rochosas da região, faz a gente até se beliscar pra ver se é real mesmo tudo aquilo diante dos nossos olhos.

Valeu cada esforço e cada minuto de cansaço. No dia acordamos as 6 horas da manhã, pegamos estrada e andamos muito, por barrancos, subindo montanhas, escalando umas rochas… Foi o tipo de trilha que eu sempre quis fazer e fiquei muito feliz de ter conseguido realizar isso na Alemanha. Espero que seja a primeira de muitas trilhas pelo país.

E claro, a cia também foi incrível, foi muito engraçado fazer essa viagem com meus amigos, rimos o caminho inteiro e foi muito divertido!

DSCF5539IMG_0610IMG_0620 IMG_0626

Minhas expectativas eram altas pra conhecer esse lugar, principalmente depois de ver esse post da Ana. Tem lugares que pessoalmente não são tão grandiosos quanto nas fotos, mas esse não é um deles. É até difícil capturar e transmitir em uma foto a beleza desse lugar!

IMG_0653 IMG_0647 IMG_0645 IMG_0643IMG_0638Bate aquela maior saudade desse dia e a vontade de repetir tudo de novo. O legal também foi ter a recordação desse dia em vídeo, só sei que fiquei mais doida ainda por um drone pra fazer vídeos assim das minhas aventuras por aí.

O vídeo é bem curtinho, mas tão lindo que nem sei dizer, dá pra sentir um pouquinho como é incrível esse lugar! ♥ (vejam em HD que fica melhor!)

Vale a pena acordar cedo, largar a preguiça de lado, andar horrores, se sentir super cansada  ou com dores e superar seus limites pra ver essas riquezas da natureza? Ooooo se vale! É por isso que sempre agradeço por ter um corpo saudável que me permite fazer esse tipo de atividades. Estar em lugares como esse, que me faz sentir um grãozinho de areia perante essas grandezas todas. É um sentimento muito especial e por isso eu sempre recomendo: façam trilhas! ♥

//You Might Also Like

//29 Comments

  1. Wanila goularte

    junho 13, 2017 at 12:39 am

    CARAMBA. Eu tô sem palavras, sério. É apenas lindo demais, mas demais, de tirar o fôlego. Se eu tivesse grana, compraria minhas passagens agora, hahaha. Quem sabe na próxima primavera! Preciso confessar que fiquei vendo animais nas rochas? hahaha Juro que tem uma ali que se parece muito com um cachorro. Adorei o post, só pra variar. <3

    1. Taís

      junho 13, 2017 at 9:15 pm

      HAhahaha se acredita que agora eu to aqui olhando pras fotos pra tentar achar o tal do cachorro hahah 😀

  2. Laura Nolasco

    junho 13, 2017 at 2:07 am

    Como não morrer de amores por cada foto, cada comentário, cada lugar que você vai?
    Fiquei morrendo de vontade de fotografar um ensaio nesse lugar, imagina que lindeza?
    Amei o post, as fotos, tudo! Queria saber como fala esse nome gigante que você aprendeu hahahha
    Beijos!’

    1. Taís

      junho 13, 2017 at 9:17 pm

      Um ensaio aí seria incrivel mesmo! E o nome fica mais facil de pronunciar quando vc quebra em partes, pq na verdade tem umas 4 palavras juntas que formam uma, se eu nao estou enganada haha 😀

  3. Ana Beatriz

    junho 13, 2017 at 3:19 am

    Que lugar impressionante! Lindo demais, quantas fotos incríveis da natureza. Queria poder ver tudo isso de pertinho. Eu acho que eu não ia aguentar 5 horas (eu faço exercício mas eu me canso tão rápido), mas eu super encararia aquelas mais fáceis.

    1. Taís

      junho 13, 2017 at 9:18 pm

      Mas se vc ir parando, descansando… vc nem sente muito, sabia? 😀 Fiquei chocada que deram mais de 5 horas pq parece que o tempo passou tao rapido!

  4. Ana Beatriz

    junho 13, 2017 at 3:22 am

    Esqueci de comentar que o vídeo do drone ficou demais, muito show! <3

    1. Taís

      junho 13, 2017 at 9:18 pm

      Simm, ficou mto legal! *.*

  5. Gabi

    junho 13, 2017 at 9:17 am

    Que animal esse vídeoooo! Eu sempre vejo o povo com drone por aí e fico tipo “ta, e aí?” hahaha.. agora entendi. Lugar lindo e que baita recordação é esse vídeo 🙂

    1. Taís

      junho 13, 2017 at 9:19 pm

      Drone é só amor, Gabi!! hahaha <3

  6. Claudia Hi

    junho 13, 2017 at 2:23 pm

    A natureza é maravilhosa mesmo. Eu também fico pensando se é real quando vejo um lugar assim rs.

    Nossa Taís eu fiquei me perguntando o que será que os seus amigos estão conversando pra ficarem com essas caras haha parece que tomaram alguma bebida muito gelada e deu brain freeze!

    1. Taís

      junho 13, 2017 at 9:20 pm

      HAHAHA eles estavam zoando na verdade e fizeram aquelas caras proposital pra foto xD

  7. Camila Faria

    junho 13, 2017 at 9:18 pm

    Lindo, lindo! E a estrutura toda da trilha me pareceu ser MEGA profissional. Maravilhoso isso. Fiquei imaginando no inverno, ver tudo isso com neve, deve ser demais!!!

  8. Clara Rocha

    junho 14, 2017 at 7:01 pm

    Meu deus! Eu nem sei por onde começar. Primeiro, que maravilhoso. Que lugar incrível, que vista é essa ? Sensacional. É realmente quando vemos paisagens assim de tirar o fôlego que entendemos como o mundo é realmente maravilhoso. Como a natureza é exuberante e como vale a pena fazer esse tipo de passeio. Eu não tenho palavras, fiquei aqui que nem uma tonta apreciando todas essas paisagens. Querendo e desejando estar aí. Nossa, isso é demais. Sério! Estou sem palavras. As imagens do drone ficaram lindas. Uma pena não ter filmado mais, até entendo né? Não era a época para isso. Mas mesmo assim, ficaram sensacionais.
    Também fico muito feliz com as informações que compartilhou, como exemplo ter pego uma outra trilha, as vezes vale mais a pena porque sinceramente é mais gostoso estar com seus amigos fazendo e apreciando a vista, sozinhos sem os falatórios de outros.
    Amei demais!
    ia adorar ver mais vídeos seus aqui. ♥

    1. Taís

      junho 16, 2017 at 7:21 pm

      Ah, fico feliz que tenha gostado Clara! E realmente ter feito a outra trilha fez uma baita diferença, ainda quero voltar e fazer o resto das trilhas que tem!
      Eu até gostaria de fazer mais videos legais assim das viagens pra por aqui no blog, mas nao tenho um equipamento legal, quem sabe um dia! ♥

  9. Thayse

    junho 15, 2017 at 6:18 pm

    Que lugar lindo, confesso que no começo fiquei estranhando esse nome, mas depois entendi – muito bacana tu pesquisares e se preocupares com essas coisas, deixa o post tão rico e completo! Ame o vídeozinho e as fotos todas, que lugar mágico, deve ter sido uma delícia, apesar do tempo que levou, parece que foi bem gostoso mesmo


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    1. Taís

      junho 16, 2017 at 7:24 pm

      Achei que deveria colocar essa explicação pro nome, porque da primeira vez que vi esse lugar tb fiquei confusa viu hahaha
      Fiquei feliz que você gostou, Thay!
      Beijos 🙂

  10. Xica

    junho 15, 2017 at 10:02 pm

    Que lugar maravilhoso!! Sem palavras!!
    Meu lado trilheira ficou com o coração saltando pela boca de vontade de conhecer!
    Já tinha visto uma foto desse parque em algum guia, se não me engano aquele 1000 coisas para ver antes de morrer, mas tantas fotos assim fiquei tipo: uauu
    Também vi um cachorro em uma pedra kkkk um daqueles bem bochechudos com cara de rabugentos kkk
    pena que o vídeo não abriu aqui, pc velho 🙁
    Ps: Fui pesquisar a ponte, #curiosa, haha, de tirar o fôlego tb
    bjus

    1. Taís

      junho 16, 2017 at 7:35 pm

      Se você gosta de trilhas precisa muito ir pra lá sim, o lugar é sensacional, vale muito a pena! <3 Isso porque as fotos não conseguem capturar tamanha beleza. Uma pena que o vídeo não abriu por aí, tenta depois... você vai ficar mais tentada ainda de ir conhece ro lugar!
      beijos 🙂

  11. Uma rápida parada em Dresden - Nýr Dagur

    junho 15, 2017 at 11:28 pm

    […] de fazer trilha pelo Parque Nacional da Suíça Saxônica, resolvemos parar em Dresden pra comer. Estávamos muito cansados, porem famintos e foi uma ótima […]

  12. Pollyane Martins | www.diariodepolly.com |

    junho 18, 2017 at 8:22 am

    Que lugar maravilhoso!!! Eu também cairia na pegadinha do nome e poderia jurar que era na Suíça! haha. Independente do nome, achei lindíssimo e sem dúvidas uma ótima opção de passeio pela região. Adorei suas dicas, muito bem detalhadas =D Ah, também concordo com a reflexão final do post, sobre nos sentirmos pequenos e apenas agradecermos pela saúde que temos e que nos possibilita fazer esse tipo de passeio <3 Obrigada por todas as dicas e por compartilhar fotos tão maravilhosas! Beijo grande

  13. Gabriela Torrezani

    junho 18, 2017 at 2:12 pm

    que lugar e fotos lindas!!! adorei… com certeza gostaria de fazer esse passeio. as diversas cores na vegetação me impressionaram.

  14. NiKi Verdot

    junho 18, 2017 at 3:34 pm

    Nossa, que lugar é esse?! Gente, que SENSACIONAL!!! Que post! Que dica! Surreal… Nunca tinha ouvido falar e fiquei encantada (fotos sensacionais também né?). Adorei passeios assim e já coloquei na listinha para quando estiver na região! 😉

  15. angela sant anna

    junho 18, 2017 at 3:59 pm

    guriaa descobri esse lugar por causa do protetor de tela do windos 10 aheuahe achei demais e muito bizarro ter o nome da suiça no meio e ficar na Alemanha, como assim wtff achei demais e já coloquei na minha listinha!!

  16. Flávia Donohoe

    junho 18, 2017 at 10:36 pm

    que lugar é esse de tirar o fôlego Taís, uma paisagem sem igual, deve ser uma paz indescritível fazer trilhas e admirar todo esse lugar!

  17. Ana Jähne

    junho 21, 2017 at 10:27 am

    a regiäo é fascinante mesmo.
    estive aí duas vezes, na primeira numa trilha de algumas horas (aquela mais bem turistona)… e na segunda caminhei dois dias até a república tcheca, dormindo ao céu aberto num dos vários boofen (cavernas, ou semi-cavernas) da regiäo.
    p.s.: ahhhh eu quero um drone tb!

  18. Bia

    junho 21, 2017 at 11:50 pm

    Nossa que lugar incrível!! Realmente a Europa é tudo de bom quando se trata de paisagens e lugares maravilhosos hein?
    Não vejo a hora de poder conhecer lugares lindos assim tbm! Eu não curto muito lugar lotado e cheio de turistas, com certeza vcs devem ter aproveitado um monte na trilha mais tranquila.

    Bjus!

  19. Deisy Rodrigues

    junho 22, 2017 at 5:01 am

    Acho incrível essa imersão na natureza que certos passeio proporcionam, amei demais essa trilha, as fotos e o vídeo com o drone ficaram demais.

  20. Mariana

    junho 22, 2017 at 2:04 pm

    Ahhhh, que incrível! Quero há tempos conhecer esse parque por causa da ponte e vou mostrar esse post para o meu namorado e assim tentar convencê-lo a viajar alguns quilômetros. As trilhas na Alemanha são demais, né? Tudo é muito bem sinalizado e eu nunca vi um povo mais apaixonado que o alemão para estar no meio da natureza. Já fiz algumas trilhas nos Alpes alemães, perto de Munique, e tenho certeza que você iria amar! A Bavária é um pedacinho muito abençoado do mundo! O vídeo ficou maravilhoso e suas fotos, como sempre, incríveis! <3

//Leave a Reply