Irlanda, Pessoal

Por que escolhi a Irlanda?

Quando eu fiz a pesquisa do blog pra saber o que queriam ver mais por aqui, uma sugestão legal foi sobre fazer um post contando mais a respeito da minha escolha de ter vindo morar na Irlanda.
Com tantos países nesse mundo, por que será que essa ilha isolada e chuvosa falou mais alto no meu coração ‘vem pra cá’ do que os outros lugares?

Enquanto escrevo esse post, estou na estrada voltando de mais um final de semana na costa oeste do país, vendo aquelas paisagens cinematográficas, com muito verde, montanhas, mar… natureza, ao lado de uma pessoa incrível que eu sempre desejei encontrar e com aquele sentimento bom de ‘estou em casa’. Olhar tudo isso e pensar sobre esse sentimento, me faz ter mais ainda certeza que não tinha outro lugar pra ir, era a Irlanda, sempre a Irlanda.

Eu sei que meu coração bate muito forte pela Islândia, um pedaço grande de mim está lá e não tem como negar, mas eu tinha que fazer uma decisão e definitivamente a Irlanda foi a melhor. Não dá pra se ter ‘tudo’ na vida, a gente tem que fazer escolhas. Eu sei que se essa vida tivesse me dado a oportunidade de morar na Islândia, eu provavelmente ficaria choramingando pela Irlanda também., assim como fico aqui choramingado pela Islândia. Não dá pra ser fácil a coisa toda, né? Tenho que sempre estar dividida entre lugares. Mas pra minha sorte, os dois países estão perto um do outro, o que me possibilita ir dar um pulinho lá e cá sempre que der, não é nada assim tão impossível.

38
Eu meio que‘descobri’ os dois países ao mesmo tempo, mas a Irlanda foi primeiro, nessa época que eu ficava no computador montando dolls, ouvindo Blink182 e lendo sobre as mais diversas coisas aleatórias na internet. Como eu acredito que tudo nessa vida acontece por uma razão, alguma coisinha nesse universo conspirou a favor e quando vi, estava eu devorando páginas e mais páginas sobre a cultura celta. Foi impossível não me identificar, ficar toda encantada com tudo e perdidamente apaixonada pela Irlanda e seus mistérios. Mas não tinha me passado pela cabeça a possibilidade de ir morar no país.

Passei a adolescência querendo me mandar do Brasil, ir pra Islândia e ir conhecer o mundo. A ideia foi amadurecendo com a vontade de querer achar meu lar e também de aprender inglês. Com 15 anos eu enchia as paciências do meu pai de que queria fazer intercâmbio, uma amiga na época estava indo pra Londres por 1 mês, se não me falha a memória, e seria uma oportunidade legal de ir junto. No final das contas meu pai não deixou, fiquei puta da vida e a solução foi ‘dar meus pulos’ com o inglês, já que eu não tinha muita paciência de frequentar aulas em cursinhos de inglês. Ouvia músicas, assistia aos filmes e assim ia pegando tudo que eu conseguia do idioma.

Quando estava chegando aquela maravilhosa época de ir pra faculdade, eu comecei a pensar em não tentar uma, mas sim ir fazer um intercâmbio. Comecei a pesquisar bastante todas as opções. Eu sabia que não queria Estados Unidos e nem Austrália. O que apitava mais na minha cabeça era Canadá, Inglaterra e lá no ‘fundo’, a Irlanda. Eu tinha uma ideia ‘romantizada’ de que a língua mágica irlandesa era muito bem preservada aqui e que as pessoas a falavam com mais frequência, e talvez, a Irlanda não seria assim um bom destino pra eu praticar meu inglês, olha isso! Hahaha

Mas novamente, meu pai conversou bastante comigo, e me aconselhou a ir sim fazer uma faculdade e depois mais madura, ir seguir meu rumo por aí a fora. Na época, eu fiquei meio revoltada e achava que meu pai não me apoiava a ir em busca dos meus sonhos, mas no fundo, acho que ele sabia que uma vez eu indo, talvez eu não iria querer mais voltar.

l8
Terminei a faculdade, mas no meio me deu uns ‘5 minutos’ de querer desistir, nessa altura do campeonato, eu já tinha uma ideia mais clara de que sim, na Irlanda se fala inglês e o gaélico não era assim tão vivo quanto eu imaginava. Então eu tinha como opção ir pra Vancouver no Canadá, ou Dublin na Irlanda. Estava quase meio que decidido que eu iria ir lá pro final de 2010, mas novamente, não deu muito certo. Resolvi terminar mesmo a faculdade e depois me planejar melhor pra ir.

Vancouver era uma opção que me animava bastante, afinal, Canadá é um país incrível, mas além de a Irlanda falar mais alto no meu coração nesse lance todo de gostar da cultura, das paisagens, música, etc etc. Descobri que seria também uma opção mais barata pro meu bolso, já que eu iria pagar tudo isso sozinha com o dinheirinho do meu trabalho, ganhou nos dois sentidos, ir pra Irlanda por amor e pela experiência caber no meu bolso, win-win! Também a facilidade do visto e a possibilidade do visto de estudante permitir trabalhar (e me sustentar sozinha), a possibilidade também de poder ficar 3 anos no pais com esse visto ‘mais fácil de tirar’ (pelo menos na época, agora as leis mudaram), poder ir viajar com muito mais facilidade e por um preço muito bom pra tantos outros países.. e claro né, era perto também da minha gelolândia! ♥

Apesar de ter nascido e morado minha vida inteira em São Paulo, eu não sou fã de cidade grande, eu gosto de lugares mais calmos, qualidade de vida e estar perto da natureza. Dublin era uma capital diferente pelo que eu tinha visto antes de chegar aqui, era aquele mix de cidade grande com interior, já que é uma cidade pequena pra nossos olhos que viveu na selva de pedras que é São Paulo e eu queria algo diferente da minha realidade de menina da cidade grande.

Ao mesmo tempo que parecia ser uma escolha muito fácil de fazer, foi também uma escolha difícil, ir sem planos concretos pra um país diferente, que por mais que eu gostava da cultura e era familiarizada com algumas coisas, seria um lugar desconhecido, eu teria que me adaptar com esse novo mundo que eu estava disposta a conhecer, ficando longe de família e amigos. Eu corria o risco de ir e não gostar, me decepcionar e achar aque aquele mundinho era mais legal na minha cabeça do que na realidade. Eram muitas incertezas em uma única escolha, é preciso ter foco e muita clareza no que se quer pra poder dar o primeiro passo e ir explorar o desconhecido.
E o resto vocês já sabem, só consegui realizar esse sonho mesmo em 2013 e aqui estou chamando essa ilha de lar.
Por que a Irlanda? Porque ela foi feita pra mim. ♥

//You Might Also Like

//20 Comments

  1. Bela

    abril 20, 2016 at 2:52 am

    Me vi totalmente nesse seu sonho realizado, não sei nem como descrever <3 Não vou nem ficar repetindo os porquês, se não fica chato mas obrigada por compartilhar sobre sua escolha.
    | A Bela, não a Fera || Turma da Mônica e o Escotismo|| FB Page A Bela, não a Fera|

  2. Gabi

    abril 20, 2016 at 3:18 pm

    Também tive esse 5 minutos de querer largar a faculdade, e ainda bem que não larguei. Vejo também que você foi uma jovem muito perseverante, e mais contemplativa. Quando fiz meu intercâmbio, aos 20 anos, não pensei em nada. Olhei o dinheiro, vi o que dava pra pagar, e fui. Sem nem saber direito pra onde, haha. No fim deu tudo certo, mas penso que se tivesse pensado com calma, analisado possibilidades, como você, teria feito algumas coisas diferentes. Enfim, experiências, né… Te conheço pouco, mas do que vejo, acho que você e a Irlanda nasceram uma pra outra 🙂

  3. Katarina Holanda

    abril 20, 2016 at 6:39 pm

    Que lindo, Taís! Amei o seu relato. <3

  4. Lorraine Faria

    abril 20, 2016 at 7:18 pm

    aiii que post mais amor!!! eu sou fascinada por Dublin (momento vergonha!) desde que passou uma novela usando a cidade com cenário. depois disso comecei a prestar mais atenção em filmes que se passavam, relatos de viagens em blogs aí e a curiosidade foi aumentando. quem sabe um dia eu alcance esse sonho também ne? 😀 beeeijo

  5. Chell

    abril 20, 2016 at 7:48 pm

    Ai meu deus que lindo. =,D
    Eu queria ser assim, mais destemida. Já pensei em ir morar na Europa, meu irmão tá aí, mas quando mudo de cidade eu tenho crises de pânico. Sim, isso já aconteceu 2 vezes, ai fiquei com medo de fazer coisas assim, mais distantes. Fora que tenho um noivo aqui, ele super iria junto, mas… ah…

    Acho linda essa sua relação com o lugar e essas fotos =O

  6. Camila Faria

    abril 22, 2016 at 12:00 am

    É porque tinha que ser mesmo, né Taís? Alguma hora você iria chegar aí e viver todas essas coisas lindas que você tá vivendo. <3 <3 <3

  7. Mariana Maia

    abril 22, 2016 at 1:23 am

    Que relato lindo. Tão bom ter um lugar pra chamar de lar. Eu tenho muito vontade de ir em busca do meu lar, mas minha coragem tem diminuído com o passar dos anos. “Tô velha, tenho que ir atrás de algo mais certo. Não tenho idade pra ficar me aventurando mais.” Affz, me podo demais.
    Amei aqui. <3

  8. Luly

    abril 22, 2016 at 2:02 am

    Taís, mulher, que post MARAVILHOSO! Nem sei bem o que comentar, de tão emocionante que achei, sério mesmo… E o melhor é que no finalzinho você resumiu tudo com duas frases pequenininhas, mas ideais… Sério, lindo! Acho que vocês realmente foram feitas uma pra outra!

  9. Lilian Moraes

    abril 22, 2016 at 4:54 pm

    Amei seu relato, é algo que você sempre quis fazer e nunca desistiu! Acho a Irlanda um país lindo e espero um dia poder conhecer também.

    Beijos
    http://orangelily.com.br/

  10. The Reader's Tales

    abril 22, 2016 at 5:50 pm

    Hello Tais! Estou desejosa de ver as paisagens cinematográficas onde você esteve. Como sabes adoro os teus posts sobre a Irlanda ; -)

    1. The Reader's Tales

      abril 28, 2016 at 9:17 am

      lembrei-me hoje que estaras em Zurique brevemente, se você precisar de alguma dica apita ; – )

  11. Paula

    abril 22, 2016 at 8:43 pm

    É tão engraçada essa sensação de finalmente ter encontrado nossa “casa”, né? Eu passo pela mesma coisa. Eu sabia que queria sair do Rio de qualquer jeito, mas tinha muita dúvida de pra onde. Como eu tenho nacionalidade espanhola, o onde podia ser qualquer lugar da Europa, o que facilitava bastante. Mas aí quando eu vim pra conhecer a Espanha pela primeira vez, visitei o pueblo do meu avø na Galícia (olha nossa conexão celta, aí, hehe), Madrid e Barcelona foi que eu tive CERTEZA de onde eu precisava ir. E essa sensação de finalmente estar em casa, não tem dinheiro no mundo que pague. 🙂

  12. Stephanie Vasques

    abril 23, 2016 at 8:30 pm

    Nossa, que relato mais lindo, Taís! E que fotos mais incríveis! Fiquei com mais vontade ainda de conhecer a Irlanda. Parece ser um lugar com um clima completamente diferente e único. E isso é demais!
    Inclusive, me vi totalmente nesse seu sentimento, mesmo que pra um destino totalmente diferente. Eu sou o seu oposto, na verdade. Adoro cidades grandes e bem movimentadas, não sei o que seria de mim morando num lugar mais tranquilo hahahahahaha. Ainda tô na fase “faculdade”, mas to tentando deixar a ansiedade um pouco de lado e aproveitar a oportunidade assim que ela aparecer, no momento certo.

    Com amor,
    Steph • http://naoeberlim.blogspot.com.br/

  13. Thay

    abril 23, 2016 at 10:40 pm

    Esse texto lindo é praticamente uma carta de amor para a Irlanda! <3
    Acompanho você e sua jornada faz um tempinho, mas não estava preparada para me emocionar com seu texto, haha! Acho que me emocionei porque tenho uma empatia enorme por você, que é sempre tão carinhosa e querida, e é alguém que quero sempre ver bem e conquistando seus sonhos. E esse texto todo nada mais é do que isso, o relato de alguém que perseverou e está colhendo os frutos de seu esforço. Não deve ser fácil mesmo mudar de país, ir para longe da família, mas agora você encontrou seu lugar especial, seu lar. E isso me faz muito feliz. <33

  14. Liduh

    abril 24, 2016 at 8:22 am

    Oi Taís! Vc fez a escolha certa e está muito feliz, que bom… A gente pode sentir isso nos seus posts, tanto nos textos como nas suas belíssimas fotos. Achei linda a última frase do seu post, puro amor;) Fotos encantadoras, pra gente sonhar!
    Bjs e bom domingo!

  15. elisamelo

    abril 25, 2016 at 1:33 am

    Adorei sua história!! Essa sensação de “estar em casa” em outro país deve ser tãooo boa, ainda vou ter ela pelo mundo a fora, ah se vou! haha

  16. Thayse

    abril 25, 2016 at 11:48 am

    Ta, que emocionante o seu relato. Parece mesmo que tudo conspirou pra isso acontecer e deu tudo certo, mesmo você tendo enfrentado algumas coisas e tendo que contornar algumas situações, esperar pra fazer acontecer. A Irlanda combina mesmo muito contigo, acho que tu fez não só a escolha certa, mas a única escolha que poderia ser feita pra ti, acho que foi a Irlanda que te escolheu e jogou um encantinho mágico pra te capturar hahaha


    Beijos
    Brilho de Aluguel

  17. Larissa Ayumi

    abril 25, 2016 at 10:31 pm

    Poxa Taís que legal! Eu sempre gosto de ler/ouvir histórias das pessoas que foram morar em outro país. Grande parte das pessoas falam das partes boas e esquecem de falar das dificuldades e desafios no meio do caminho. Foi super interessante ver que era um sonho seu desde antes da faculdade e que só depois ele realmente se concretizou. Foi bem inspirador <3
    Foi bacana também saber o porque você não foi para a sua amada Gelolândia, acho que era uma curiosidade de muita gente que acompanha o Nýr Dagur hahaha! Mas é como você falou, os dois são pertinho um do do outro 🙂
    Eu ainda espero encontrar meu cantinho por aí no mundo, mas acho que ainda não é a hora, mas ela ainda vai chegar 🙂

  18. KARINE

    maio 3, 2016 at 2:54 am

    Que texto mais lindo!
    Amei ler algo mais pessoal assim por aqui, ainda mais envolvendo você e a Irlanda ♥ foi bom saber mais de toda sua trajetória pra chegar até aí, e acho que tudo aconteceu no seu tempo certo, sabe? (e que os pais sabem das coisas, hahaha).

  19. Fran

    outubro 26, 2016 at 10:06 pm

    Meu, que texto lindo 🙂
    Confesso que já seu avatar por diversos blogs de viagem e só parei agora para vir conhecer esse espaço; Confesso que amei!
    Passei por quase as mesmas coisas que você e no meio da faculdade me deu aloca que eu queria trancar, viajar e fazer outras coisas. Meus pais nunca apoiaram muito, mas depois que a gente cresce, não há muito o que eles possam fazer, né?
    Beijos

//Leave a Reply