Somebody told me to believe in better times..

Achei que eu não demoraria tanto assim pra voltar… se é que voltei.

Olá, ainda tem alguém por aqui?

Junho. Estamos em junho e a última vez que apareci por aqui foi em janeiro. Mas, na verdade, parece que foi há muito mais tempo. A sensação que tenho é que me desconectei desse espaço muito antes. Apesar de gostar muito desse canto e tudo que ele me proporciona, parecia que não fazia mais sentido. Foi difícil ter que admitir isso pra mim, estou há anos na blogosfera, já tive meus momentos, mas nunca tinha sentido algo assim.

Comecei a pensar muito sobre meu comportamento online e o que eu consumo também. Qual a minha relevância, o meu propósito e sei lá, cansei. Somos bombardeados diariamente com centenas de informações e comecei a ficar agoniada. E naturalmente, fui diminuindo minha presença, seja aqui ou em outras redes. Não me parecia saudável aquele monte de informações e eu também não queria contribuir para isso.

Eu amo escrever sobre viagens, experiências, o que sinto e o que eu vejo. E justamente esse nicho foi o que mais me deu uma certa canseira. A arrogância das pessoas ao compartilhar suas viagens, seus conhecimentos, seus privilégios. Será que era essa imagem que eu passava também, mesmo que inconscientemente? Pensei várias vezes comigo mesma. Eu nunca quis e nunca vou querer despertar ansiedade em alguém por não poder viajar ou fazer qualquer coisa que seja. Sei que a gente não tem controle do que o outro sente, mesmo que eu compartilhe minhas experiências nas melhores das intenções.

A impressão que me dava é que era tudo uma competição, quem viaja mais (para colocar em seus perfis o número de países), quem sabia mais etc etc. Fiquei com preguiça, fiquei desanimada e isso refletiu bastante no jeito que compartilhei minhas últimas viagens online. Lembro que na Georgia, quando encontrei outros viajantes fora da internet, parei pra pensar nisso. A maioria dos que cruzavam meu caminho, que tinham as melhores dicas, as melhores histórias, humildade e aquele espírito genuino de ajudar o outro e conhecer outras culturas, não estavam online.

Obviamente existem suas exceções em ambos os lados. Me vi perdida, sem motivação e minha forma de lidar com isso foi me afastar, diminuir o ritmo. Comecei também a desenvolver uma certa agonia de postar qualquer coisa que seja na internet, principalmente sobre minha vida pessoal, mesmo eu nem postando tanto sobre isso. E conversando com outros amigos, percebi que eu não era a única sentindo esse desconforto de estar online.

E assim precisei me recolher, ter esse tempo de reflexão comigo mesma, ficar quietinha e respeitar esse meu momento.

No meio desses questionamentos sobre estar ativa na internet ou não, a vida fora dela também estava aquela doidera. Uma montanha russa de sentimentos, mudanças e coisas pra resolver… e aí, veio a pandemia.

A vida virou mais ainda de ponta cabeça. Sonhos e planos adiados indefinitivamente. Uma rasteira, um soco no estômago, um balde de água fria. Sem emprego e sem uma perspectiva de quando as coisas vão entrar no eixo novamente. Isso não só sobre minha vida pessoal, mas tantas outras vidas por aí. É surreal tudo que aconteceu e está acontecendo pelo mundo. É difícil processar e manter a sanidade mental no meio disso tudo.

É um constante esforço pra se manter bem em meio a este caos. Tem dia que não rola e tá tudo bem, não dá pra estar 100% o tempo todo. E tem dia que a força vem e até esqueço do que tá acontecendo. Uma coisa que tento dizer pra mim mesma em meio a tantas frustrações é: paciência. E assim vamos, vivendo um dia de cada vez.

Desde o final do ano passado entrei nessa energia de buscar fazer coisas novas pela primeira vez, coisas que sempre adiei. Seja por falta de organização ou de achar que não era boa o bastante. Quem sabe falo mais disso por aqui em outra hora. Mas me agarrei nisso nesse momento também. O exercício do corpo e da mente, a arte… são coisas que me mantem nos trilhos na medida do possível por agora. Aliás, pra vida toda, mas nesse momento delicado ainda mais.

Para mim tem sido difícil me focar em algumas coisas. Já tentei criar uma rotina pra estudar, mas não funciona todo dia. Ao mesmo tempo que me incentivo, também me respeito. Tenho cuidado bastante da minha saúde, criando uma relação de amor mais ainda com o que eu como. Desde janeiro já venho me exercitando regularmente e isso tem feito um bem incrível pra minha mente, controlar a ansiedade e a me fazer dormir melhor.

Cozinho, faço dança do ventre, toco kalimba, leio, vejo séries e filmes, aprendo idiomas, treino…. tenho várias ideias e coisas criativas que queria colocar em prática mas… minha câmera quebrou, meu laptop tá marromeno…. tem dias que é só choro, só cama e zero produtividade.

Não estar onde e com quem eu queria estar faz tudo ficar mais arrastado. Ainda bem que existem tecnologias pra gente se sentir perto mesmo estando longe.

E assim vou e assim vamos. Acreditar que realmente tempos melhores virão, com aquela dose de esperança e otimismo.

Espero que na medida do possível vocês também estejam bem ♥

Comments

  1. Ei, que saudade dos seus posts!

    Entendo super sobre esse distanciamento… Com o blog não tenho tanto essa sensação – eu sou mega seletiva e só acompanho gente que gosto de verdade e faz eu me sentir bem… Mas no Instagram tô nessa há muito tempo. Não consigo ser presente mais por lá porque sinto que é uma lógica muito louca da qual não quero fazer parte.

    Sobre o medo de sentir que você tá sendo igual esse pessoal: seus posts sempre me inspiraram muito e sempre me passam uma sensação gostosa de que você tá contando pra gente sobre o que viveu, sabe?

    Sobre a quarentena, ando na mesma aqui. Não consigo fotografar, mas tô criando muito, desenhando, experimentando coisas novas, vendo muitos filmes e séries… nos dias que dá. Tem dia que só dá pra olhar pro teto e tentar ficar bem, e tá tudo bem também né?

    Beijos, fica bem!

    • Laura, sua linda, muito obrigada pelo seu comentário. Saudades das nossas interações <3
      Tá difícil, mas vamos ficar bem ! ♥

  2. olá. eu amei o seu blog. poderíamos conversar um pouco sobre os países nórdicos? as culturas, o idioma… eu estou amando conhecer um pouco deles através da internet. mas gostaria muito de conversar com alguém que já esteve lá e vivenciou de fato como é. queria dicas e alguma forma de ajuda, pois adoraria me mudar para a Noruega daqui alguns anos.
    beijo 🙂 ♡

    • Fico feliz que tenha gostado, Ezequiel!
      Eu sou uma amante da cultura nórdica, mas só estive por lá visitando por pouco tempo. Inclusive nunca estive na Noruega, não saberia te ajudar em questões de se mudar ou morar em algum país por lá porque eu nunca morei, moro na Irlanda.
      Mas se quiser pode perguntar e o que eu conseguir responder… eu ajudo.
      Email: contato@nyrdagurblog.com

  3. Eita Taís! Um abração virtual gigante pra ti, viu? Tá foda mesmo e todos estamos sofrendo com essa pandemia. Não sei bem o porque, mas acredito que por ser uma pessoa ansiosa na maior parte do tempo, estou lidando bem com a quarentena…parece que de repente todo mundo está passando pelo que passo internamente de uma vez e sei lá, me sinto balanceado. Não se desanima com dias ruins, deixe eles virem, passarem e foca no positivo. Vamos sair juntos dessa! <3

    • Ahh um abração virtual de volta pra você também ♥ muito obrigada!
      Exatamente isso, é difícil, mas vamos tentar ser o maximo de positivos e isso vai passar! <3

  4. Taís, eu me identifiquei TANTO com o seu sentimento com relação a estar online, e postar… Venho me sentindo assim desde o ano passado, acabei excluindo contas em redes sociais (em boa parte pela ansiedade que eu estava sentindo) e mantendo só o instagram, mas postando e até aparecendo bem pouco por lá. Ando sentindo uma necessidade muito grande de me desconectar um pouco, ainda mais agora que, com a pandemia, meu trabalho passou a exigir mais tempo online e fui ficando mais cansada mentalmente. Tenho blog ainda, mas fico pensando no que publicar, às vezes não publico nada, dá desânimo mesmo. Já pensei em começar tudo de novo, ou não começar mais nada, ultimamente só textos antigos engavetados… O que tem me ajudado a (tentar) manter o equilíbrio é estudar, yoga, meditação e dança (de vez em quando pego uns vídeos de dança do ventre no youtube, gostei bastante!). Enfim, são altos e baixos pra gente… Espero que tempos melhores venham para nós! 🙂

    • Oi Ivana, um abraço pra você <3
      São tempos bem complicados, espero que você esteja bem na medida do possível e seguimos tentando achar maneiras de ficar bem... essas aulas de yoga, dança.. são ótimas mesmos pro nosso corpo e mente.
      Que tempos melhores venham mesmo ♥ fique bem!

  5. Ai Taís eu sinto isso também. Mas olha, antes de qualquer coisa, você nunca me aparentou ser uma daquelas pessoas que se achavam e ficavam mostrando o quanto viajavam. Pelo contrário. Nos seus depoimentos eu sempre vi o quão esforçada você é e como você sempre optava gastar seu dinheiro e seu tempo em viagens.

    Sobre esse negócio de propósito, nossa eu também queria uma fada madrinha pra me dizer o que fazer. Mas sei lá, talvez a gente tenha que descobrir tentando, mudando aos pouquinhos o nosso leme pra que cada dia a gente se sinta mais confiante no caminho que estamos seguindo.

    Espero que você encontre seu rumo, seu sentido pra produzir conteúdo por aqui. Vou ficar torcendo por você ♥ Uma coisa coisa é certa: suas fotos são maravilhosa!

    • Ai, Claudia, você sempre tão querida! Muito obrigada pelo comentário, pela força e por sempre estar por aqui!

  6. Que feliz ver você de volta. Pra mim, você nunca passou essa ideia de “olha só o tanto que eu viajo!” e eu já pensei muito sobre isso tb, se eu estaria passando essa imagem pq nunca foi a intenção. E eu sinto o maior orgulho de ter te conhecido por conta do blog pq me faz acreditar que a gente está na mesma sintonia. A gente até chegou a conversar sobre isso quando você veio aqui neh? Tenho uma relação bem paradoxal com o instagram, mas acho que consegui fazer uma boa curadoria de quem sigo. Mas a pressão de ter que estar postando frequentemente muitas vezes me irrita. Me sinto sendo escravizada por um algorítimo sabe? Affe, tempos difíceis. Quanto à produtividade, você tem feito muita coisa! Não precisa ser produtiva todo dia. Tem dia que passo o dia todo vendo coisa no youtube e tudo bem. Quanto começa a bater a culpa, eu falo pra ela “foda-se!” hahaha Mora uma adolescente rebelde dentro de mim haha

    • Ai, Ale, muito obrigada pelo comentário.. também fico tão feliz da gente ter se conectado por aqui <3
      É um saco essa coisa de ser escravizada pelo algorítimo e ter aquela pressão de ter que ficar postando sempre.
      Mas seguimos fazendo o que dá e ligando o foda-se também haha

  7. Ai Taís, sabe que eu me pego pensando nisso também? Criei um Insta de viagens há um tempo, mas principalmente agora nessa pandemia fiquei com um desânimo de postar porque não fazia muito sentido indicar um lugar maravilhoso no meio dessa pandemia…Sem contar que eu venho de uma família relativamente humilde, para agora estar “me exibindo” com “minhas viagens”…Mas não é assim!
    Blogs, Instagram, estamos numa rede e ao mesmo tempo que tem gente “exibida”, tem gente querendo compartilhar coisas boas, dicas boas, momentos bons, só para inspirar! E você, Taís, inspira muito com seu blog! Tem cidades que eu nunca tinha ouvido falar e fiquei impressionada quando li as postagens, experiências tão boas que você teve e que eu quero ter também…E isso inspira! Ainda mais porque não é um relato vazio, uma informação impessoal, mas postagens recheadas de encantamento, que envolvem os leitores e nos fazem ficar encantados com o mundo. Eu simplesmente adoro esse espaço e, mesmo não acompanhando mais blogs em geral, volta e meia passo aqui e atualizo pra ver se tem algum post novo.

    Quanto à situação atual, tá difícil pra todo mundo, pra muitos parece insuportável, mas vai passar. Tem que passar. Enquanto isso vamos tentando, vamos vivendo…Fica bem, tá? Tomara que tu se (re)encontre!

    • Victória, que comentário mais lindo, muito obrigada por ter tirado um tempinho pra vir aqui escrever essas palavras ♥ encheu meu coração de amo.
      Tá difícil mesmo, mas vai melhorar, vai passar, pensamento positivo!
      Fique bem por aí também ♥

  8. Saudades dos seus posts sobre viagens e as fotos dos lugares incríveis!
    Faz parte ter esses momentos mais quietinha mesmo :/
    Mas fico feliz que tenha voltado ao blog e que bom que tem se ocupado dançando, tocando, aprendendo…
    Logo tudo voltará ao normal! Vamos acreditar! 🙂

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

  9. Uma ótima reflexão. Acho que a pandemia está mudando várias coisas em nossa vida, e também não podemos nos cobrar de mais por dias não tão produtivos assim.

  10. Oi Taís,
    Primeiramente, saudades de você, mas entendo o motivo do seu afastamento. Mas saiba que eu adorava acompanhar suas viagens, e nunca achei que fosse arrogância nem nada do tipo, muito pelo contrário, adorava conhecer certos lugares que talvez eu nem chegue a conhecer, mas pude sentir um pouquinho te acompanhando. Mas tome seu tempo, afinal são tempos estranhos pra todo mundo, mas espero que você esteja bem, de verdade.
    Por aqui seguimos, na esperança de que esses tempos estranhos passem.
    Forte abraço, fique bem.

  11. tá sendo um mix de sentimentos bem intenso né? por aqui também. até tinha planos pra fazer meu tcc antes da dino-sara nascer mas nem ousei tentar. veio justamente essa necessidade de me respeitar. guardar o pouco de energia que ainda resta em cada dia no meio dessa pandemia pra descansar a cabeça, descansar o corpo. e como uma professora disse esse semestre, há coisas mais importantes que um diploma. principalmente no meio de tudo o que tá acontecendo.

    e é louco como tudo isso tem deixado ainda mais evidente essa necessidade de olharmos pra nós mesmo. um detox de costumes, desejos, anseios. olhar pra dentro e refletir o que buscamos para o nosso dia a dia, para a nossa vida.

    enfim, um dia de cada vez. entre choro e gratidão, vamos levando.

  12. Ai miga, tá difícil mesmo manter a sanidade mental e todo dia é um esforço para ficar bem… eu entendo muito tudo o que você está sentindo… acho que você fez certo em se respeitar e dar esse tempo.. eu também fiz isso e foi muito necessário… agora estou um pouco mais animada pra postar, mas sei lá até quando isso vai durar…tem sido uma montanha russa de sentimentos, rs. Estou tentando fazer como você, não me cobrar e ir no meu tempo pois o que estamos vivendo não é coisa pouca, é uma situação muito traumática, então, vamos pelo menos ser gentis com a gente mesma né? Qqr coisa tô aqui, você sabe né? 🙂 ♥

  13. E ahhhh, queria dizer mais uma coisa: entendo perfeitamente o que você disse sobre produzir conteúdos de viagens e toda essa competição que alguns perfis exalam mas queria que soubesse que o seu conteúdo SEMPRE me fez sentir coisas boas, sempre me inspirou e motivou, era como se eu tivesse viajando junto com você, sentia que você me levava para conhecer lugares incríveis através das suas fotos e relatos aqui no blog e isso sempre me fez MUITO bem, era uma motivação, uma alegria mesmo acompanhar… por pensar que um dia poderia ser eu que fosse estar naquele lugar ou por simplesmente ser transportada naquele momento através do seu olhar… espero que você não perca essa paixão por compartilhar suas viagens pois eu amo viajar com você ♥♥♥♥

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

© 2020 Nýr Dagur · by MinimaDesign