Memes/Tags, Pessoal

TAG: Meu animal de estimação

Vi essa tag rolando em alguns blogs super queridos e claro que eu tive que fazer também, né? Mesmo sabendo que a chance de eu terminar esse post em lágrimas é super alta. Mas vamos lá, tô super empolgada pra falar um pouco mais sobre o amor da minha vida.
1. Qual o nome do seu animal de estimação?
 Baltazar
2. Qual a raça do seu animal de estimação?
 Persa
3. Qual é a idade dele?
Essa coisa linda ai tem 6 aninhos (nascido no dia 2 de janeiro de 2008)
4. Como você o adquiriu?
O Baltazar na verdade foi um presente do meu pai, quando eu me mudei pra casa dele na adolescência eu sentia muita falta de ter gatos, eu tive o Johnny quando era criança e morava com a minha mãe, mas ele acabou sendo envenenado. Cresci com cachorros e gatos e me fazia uma falta tremenda ter felinos por perto, já que meu pai só tinha cachorros. E por conta de já ter dois cachorros, sendo um deles um Poodle meio arisco e a outra uma Old English Sheepdog enooorme, ficava meio complicado de ter um gato. Acontece que o Poodle acabou fugindo em um dia de tempestade e nunca mais achamos ele, foi triste é claro, mas foi o que fez o Baltazar surgir na minha vida. A  Laiza, nossa Sheepdog (que hoje já é falecida – eu disse que terminaria esse post em lágrimas, né?) era muuuito dócil, então achamos que ela se daria bem com um gatinho em casa e estavamos super certos, além de ter aceitado numa boa, também cuidava do gato como se fosse cria dela.

Estando já combinado que teriamos um gato, por mim eu queria adotar um vira latinha mesmo, mas ficou decidido que meu pai iria providenciar isso. Até que um dia ele e minha madrasta estavam passando por um local de feira de animais e resolveram dar uma paradinha só pra dar aquela olhadinha como quem não quer nada. E quem estava lá? O Sr. Baltazar com aquela maior fofura do mundo que só ele sabe ter. Eles se apaixonaram por ele e me mandaram uma foto. Magina que eu surtei quando vi aquela carinha? Quando cheguei em casa naquele dia, aquela coisinha pequena e peluda e linda e maravilhosa  estava me esperando no sofá da sala. Foi uma surpresa e tanto porque eu realmente não esperava, só achei que meu pai tinha visto e mandado a foto, não que iria trazer o gato pra casa.Eu já tinha escolhido o nome dele 2 anos antes de tê-lo #Aloka e não é que super combinou com ele? O Baltazar é cheio das frescurinhas, como é da raça persa e vem de toda uma linhagem ‘nobre’ de gatos que vieram dos Estados Unidos/Itália e mais um país que eu não lembro agora, aconteceu do danado ter Pedigree. Então dá pra imaginar que não foi adotado, foi comprado e por um precinho bem salgado. Já deixando bem claro que eu não gosto dessa coisa de venda de animais,sou a favor da adoção e era o que eu queria ter feito, mas não foi uma decisão que coube a mim. Eu realmente não esperava que o tal gato da foto custava uma pequena fortuna e que meu pai iria compra-lo, mas enfim, Baltazar entrou na nossas vidas e não imagino outro gato sendo ‘o meu Baltazar’. É muito amor por essa coisinha viu!

5. O que ele mais gosta de comer?
Como todo gato, ele aaaaaaama ração molhada, fica doidinho só de ver a embalagem. Outras duas coisas que ele ama é danone e biscoito de polvilho, mas o normal mesmo é ele só comer coisas próprias pra gato.
6. Há quanto tempo você tem seu animal de estimação?

Ele chegou em casa em fevereiro de 2008, não tinha nem dois meses ainda, então tenho ele faz 6 anos.

 

7. O que ele faz que é muito engraçado ou fofo?
É uma lista infinita das coisas engraçadas e fofas que esse gato faz. Ele foi acostumado a tomar banho desde pequeno, é um gato que não é tão medroso assim com água e isso faz com que ele entre no box pra tomar banho com a gente e reclama quando tiramos ele de lá.
Ele tem uma mania que eu amo e acho muito fofa que é esfregar o nariz dele no nosso dedo indicador. Eu coloquei o nome disso de ‘narizinho’ porque vocês sabem como é nariz de persa, né? Um narizinho mesmo. Então toda vez que falo ‘Baltazar, narizinho’ e mostro o meu dedo indicador pra ele, não importa o lugar que ele esteja, ele vem correndo esfregar o nariz dele no meu dedo, é muuuito fofo! Ele faz isso só comigo e com minha mãe.
8. Como é sua relação com seu animal de estimação?
Nós temos uma conexão muito forte, não sei explicar, mas só com o olhar que ele me dá parece que ele sabe de tudo que tá se passando comigo. Apesar de considerar ele como um filho, não acredito que ele me veja como ‘uma mãe’, hahaha

Ele sempre foi muito apegado comigo e é um gato muito ciumento, sempre ficava meio irritado comigo se eu passava os finais de semana longe de casa, o que acontecia com frequência nos últimos anos e foi aí que ele começou uma brincadeira terrivel de me atacar e morder minhas pernas, fora isso tava tudo ok. Quando morava com meu pai ele era apegado só mais comigo mesmo, mas quando mudei pra minha mãe ele ficou muuuuito apegado com ela, o que me deixou aliviada quando estava vindo pra Irlanda, saber que ele iria ficar nas mãos de alguém que ele gostava.

 

9. Situação engraçada que aconteceu entre vocês
Só de lembrar já começo a rir aqui. Pois bem, Baltazar sempre teve probleminhas de saúde e na época eu estava tratando ele no hospital veterinário da USP, o que era muuuuuuito longe da minha casa, lá no ‘cu do mundo’ como a gente diz. Aconteceu que naquele dia não esperávamos passar o dia inteiro lá, demorou todo o atendimento e fora que ele precisou ficar um tempinho tomando soro. Chegamos super cedo, meu ex namorado que tinha me acompanhado e só saímos  de lá por volta das 5 – 6 da tarde se não me engano. Pegamos a Av. Rebolças que era o caminho pra casa e se você é de São Paulo sabe como fica a Rebolças em horário de pico, certo? Ficamos um bom tempo presos no trânsito e nossa barrinha de vida já estava no vermelho piscando, sério, tava foda mesmo a fome que a gente tava sentindo. E o que decidimos fazer?
Presos no trânsito não tinhamos muita solução, quando abriu um pouco o caminho e a gente conseguiu entrar numas travessas ali, saímos em frente ao Finnegans Pub. Um olhou pra cara do outro e pensamos ‘vamos parar é aqui’. Só que eu falei ‘e o Baltazar?’, não iria deixar ele sozinho no carro nem a pau, prefiria passar fome mesmo, mas eu estava com uma daquelas bolsas/sacos enormes que cabem até sua casa dentro e tive a brilhante ideia: vou colocar o gato dentro da bolsa, entrar no pub, comer e ir embora. HAHAHAHA e assim o plano foi realizado com sucesso!
A bolsa era grandona, o que ele poderia ficar confortável…. e o mais importante também que era ninguém perceber que tinha um gato dentro (e ninguém nem suspeitou do que estava acontecendo ali!) Como ele estava meio grogue por conta das medicações, ele se comportou como um Lord que ele é. Pegamos uma mesa mais ao fundo e sem muitas pessoas por perto, coloquei a bolsa no meu colo e fiquei passando a mão nele e suando frio também, vai que ele resolve pular na mesa? Principalmente com o cheiro da comida! Ele até levantou mais a cabecinha e queria ver o que tava se passando fora da minha bolsa mágica do gato Felix, mas ficou bem tranquilo e nos deixou comer numa boa. Depois que eu fui me tocar que LEVEI MEU GATO PRUM PUB! Sou doida??? Na hora tava apavorada, mas depois eu ri muito dessa situação.
10. Fale alguns nomes e apelidos que você chama o seu animal
Eu chamo ele de bebê mesmo, com variações do tipo bibi, bebezinho etc.

 

Não sei se todo mundo sabe, mas algumas pessoas me perguntam sobre isso – O Baltazar não veio comigo pra Irlanda e ele ainda está no Brasil. Quem toma conta dele é minha mãe, que o ama tanto quanto eu, e como disse, Baltazar também a ama e por isso soube que ele estava em boas mãos. Ficar longe dele não é fácil e já falei sobre isso nesse post aqui.

E já que mencionei a nossa grandona nesse post, também vou deixar um pouquinho dela aqui.

A Laiza foi e ainda é a dog mais dócil e amável que eu já conheci, o que ela tinha de tamanho, tinha de amor pra dar pra todo mundo, seja dogs que nem ela ou seres de outra raça, humanos ou felinos, ela foi esse anjinho que esteve nas nossas vidas por 14 anos. Eu tinha apenas 8 anos quando ela chegou e ambas cresceram juntas. Sempre vou lembrar de quando ela tomava água e vinha secar os pelos molhados na gente, quando ela não podia ouvir a gente dizer ‘tchau’, que ela latia enlouquecida porque queria dar voltinha, quando saímos com ela e as pessoas a chamavam de Priscila, por causa da Tv Colosso, e ela olhava pra gente com uma cara de ‘perai, mas meu nome é Laiza’ haha
Quando o Yuri (o Poodle) sumiu, que sempre foi seu companheiro e ela ficou tão triste, não comia direito, e aí veio esse gato trazer alegria pra ela, que ela viu que era uma criaturinha diferente dela e tão menor, ela simplesmente cuidou como se fosse um filho, dormiam juntos, brincavam, ela esquentava ele nos seus pelos e era difícil achar o Baltazar todo pititico misturando os pelos dele com o dela. E foi difícil, muito difícil, depois de 14 anos ter que dizer adeus. Aquela cachorra sempre cheia de vida e guerreira, que já tinha lutado contra um câncer, viu eu me transformar de criança pra adolescente e de adolescente pra adulta, acolheu Baltazar, viu minha irmã do meio nascer e crescer uma menina linda, viu até minha irmã mais nova nascer, mas infelizmente não pode ficar mais com a gente.
Eu sempre lembro dela assim como nas fotos, tão linda, tão feliz, e doi lembrar do último dia dela com a gente, ela sofrendo tanto, cheia de dor, não comia mais, não bebia água… Tentamos de tudo e não teve jeito. Ver o veterinário a levando da gente foi uma facada no peito, como assim, a nossa grandona? Minha irmã não entendia, perguntava quando que ela iria voltar do banho, por que o veterinário tava demorando tanto? Só temos a agradecer cada segundo que essa anjinha passou na nossa família. Todos nós sentimos muita sua falta,Laiza, até o Baltazar, que ficou triste demais quando separaramos vocês.
E dedico esse post pra eles, Pro Baltazar, Laiza.. e todos os outros anjos de quatro patas que tive a sorte de ter ao meu lado nessa vida. ♥

//You Might Also Like

//14 Comments

  1. Priscilla Barreto

    julho 20, 2015 at 9:01 pm

    Aooooooownnn chorando com seu post La! ahahahahahah
    Sou apaixonada por cachorros, tanto que tive 3! eheheh O Guimbe, Frida e o Bono – yorks e shit zu respectivamente e eles realmente são nossos anjos de 4 patas!

    Bjo grande,
    Pri

  2. Kah Souza

    julho 20, 2015 at 9:48 pm

    É difícil ler essas coisas no metro (em horário de pico) e ficar com os olhos cheios de lágrimas e quase chorando, ok? Só pra avisar, haha.

    Sobre a Laisa primeiro, que maravilhosa! Achei incrível a história dela ter acolhido o Baltazar, como os animais são puros e cheios de amor, né? Sei como é esse sentimento de crescer com um dog do lado. Iinclusive tenho uma história parecida com o Lippy, que me acompanhou dos 7 aos 23 anos e a partida dele foi bem triste… Como não seria, né? Mas enfim…

    Sobre o Baltazar, como ele é maravilhoso ❤ essas bochechinhas dele, parece que ele tá tímido o tempo inteiro. Hahaha. Ri demais com a história do pub, sua doida! HAHAHAHA Se fosse o Charlie escandaloso certamente começaria a gritar loucamente lá por causa do cheiro da comida.

    Nem consigo imaginar o tamanho da saudade que você sente dele (repetindo isso pela milionésima vez), pfvr se reencontrem logo pra vc agarrar muito esse fofinho, hahahhaha.

    Amei que você também respondeu essa tag e gostei muito de saber os seus bichinhos lindos!

  3. Isabella M.

    julho 21, 2015 at 12:55 am

    Nossa, me derreti com a história do narizinho. HAHAHAHA que gracinha meu deussssssssssss

  4. Andrea

    julho 21, 2015 at 10:53 am

    Nossos pets fazem parte da nossa vida de uma forma única e especial mesmo!!! SInto muita falta de ter um cachorrinho. Mas aqui no prédio onde moro é proibido. O que considero um absurdo.
    Seus peludos são muito fofos!!! O gato e a cachorra linda que já partiu.

  5. Fernanda

    julho 21, 2015 at 2:48 pm

    aaai minha deusa que delicinhaaaaaaaaa! eu sou apaixonada por gatos, infelizmente não tenho porque não moro sozinha ainda, alugo um quarto e aqui na casa temos uma cachorrinha fofinha, mas minha paixão mesmo são os gatinhos 🙂

  6. Thay

    julho 21, 2015 at 4:03 pm

    AI GENTE, como o Baltazar é lindo! ♥

    Sempre que você publica alguma foto dele, fico encantada. E esse post todo lindo me fez chorar, HAHA! Perdi meu cachorro ano passado, em novembro, e parece que é uma ferida que vai estar aqui pra sempre. Sinto saudades até de ser acordada por ele levando patadas na cara! Sinto falta de abraçar, apertar, levar pra passear e até dar banho (que eu praticamente saia mais ensopada do que ele, hehe). Pretendo adotar alguns bichinhos em breve, mas minha mãe ainda está meio reticente quanto a isso – ela diz que não quer se apegar pra ter que sofrer quando o bichinho se for. Mas eu sou da opinião que o tempo em que eles ficam em nossas vidas é uma benção, e que não trocaria esse tempo precioso por quase nada.

    Laiza é uma linda, e com certeza está correndo feliz no céu dos cachorros junto com o meu Filé (pois é, HAHA). Eles são anjinhos disfarçados de animais de estimação e com certeza fazem nossas vidas melhores. ♥♥♥

    Beijo, beijo!

    (e, COMO ASSIM, gato no pub? HAHAHA)

  7. Camila Faria

    julho 21, 2015 at 10:22 pm

    Ai Taís… fiquei emocionada aqui… O Baltazar é algo de maravilhoso!!! Morrendo de fofura. E não acredito que ele toma danone. Hahaha! Queria ver isso!

  8. Alessandra

    julho 22, 2015 at 2:59 pm

    Você respondeu essa tag! E ainda me fez chorar… POHAN, TAÍS! Como não amar essas coisinhas maravilhosas que enchem nossas vidas de pelos e carinho? Lola e Amélie também amam minha mãe porque ela é quem cuidava das duas quando eu viajava. E toda vez que falo com a minha mãe no Skype a Amélie reconhece a voz dela e vem pro meu colo e começa a me afofar. Ela já conhece o barulhinho do Skype e vem assim que escuta, é muito fofo. Agora vou ali dar uns amassos nas minhas felinas pq esse post foi destruidor! beijos.

  9. naterradaluavirada

    julho 22, 2015 at 5:00 pm

    Muito lindo seu post, adorei conhecer o Baltazar! Você tem planos de levá-lo para morar contigo na Irlanda um da?

    Também respondi essa tag quando vi no blog da Alessandra, mas esqueci de publicar, ficou perdida nos meus rascunhos… Vou ver se publico essa semana!

    Beijos

  10. Michelli B.E.

    julho 23, 2015 at 1:34 pm

    como ele é foooofoo! Eu to namorando ter um gato… mas o noivo detesta gatos, ai ja viu =/

  11. Eloísa Rodrigues

    julho 25, 2015 at 3:44 pm

    Que amor que o Baltazar é! Chorei aqui com a histório da Laiza, ela era linda também!
    Eu adotei uma cachorrinha na semana passada, ainda estou me acostumando com a ideia, espero criar um amor bem grande assim com ela! <3

  12. celle coelho

    julho 27, 2015 at 2:08 am

    Baltazar fofurinha demais <3 <3 parece que ele tem blush, gente HAHAH o narizinho deve ser uma cena muuuuito fofa e gente, chorei com a história do gato no pub hahaahah

    beijo!

//Leave a Reply