Europa, Viagens

Um amor chamado Köln

Se você leu o post Danke, Köln já sabe que tivemos uma viagem muito legal e que voltei amando muito essa cidade, querendo voltar o mais rápido possível.
Quando a ficha caiu que eu estava indo pra Alemanha, me deu um negócio, mas um negócio bom de sentir. Aquele mix de sentimentos e pensamentos, coisas como ‘caramba, eu tô indo pra Alemanha, aquele país cheio de história, que já estudei sobre, que já passei um tempinho tentando aprender o idioma sozinha, etc.’ E é sempre indescritível a sensação de pisar num lugar que até então, era só um lugar distante, um sonho na minha cabeça. Não é porque estou na Europa agora e perto de vários destinos que sempre quis visitar que deixo de sentir aquele frio na barriga ou perder aquele brilho nos olhos e aquela sensação boa da realização de uma viagem.
Köln é uma das cidades mais importantes da Alemanha e é a quarta maior cidade do país. Eu acho muito bonito o nome do Estado que ela pertence, que é chamado de Nordrhein-Westfalen, diz se não é um nome cool? 😛
É meio doido pensar que a cidade foi quase que completamente destruída durante a Segunda Guerra Mundial. Köln foi um dos lugares mais bombardeados na Alemanha e que perdeu em torno de 90% da sua população, imaginem!!!
Aos poucos a cidade foi se reconstruindo e se tornou o que é hoje, esse mega centro cultural,  a cidade é cheia de museus e galerias de arte – e eu não visitei nenhum, ta aí mais uma bela desculpa pra voltar.
Köln é muito conhecida pelo seu Carnaval, dá pra acreditar? Se eu não entendi errado, parece que não acontece só por alguns dias, mas sim por vários meses (por favor, podem corrigir se eu estiver errada). E também, pelas suas vááárias feirinhas de natal que parecem ser maravilhosas – outro motivo pra voltar? Check.

IMG_5913 (2)

Ficamos dois dias por lá, chegamos em uma sexta à noite e fomos embora domingo à noite. Mas, somente no sabado que fizemos algo, aliás.. que algo! Foi um dia bem cheio de coisas, daqueles que a gente sente que viveu uma semana em um dia.

No sábado quando acordamos já fomos ao mercado comprar nossa comida pra esses dois dias, compramos coisas básicas e a alimentação padrão de mochileiro/viajante low budget, como macarrão,molho, pão e coisinhas pra fazer lanche, besteirinhas etc… e saiu apenas 7,50 euros pra cada uma!

Ficamos hospedadas no Meininger hostel em um quarto compartilhado de 8 pessoas e o valor da hospedagem ficou 38 euros pelas duas diárias. A localização era muito boa, ali pertinho da Rudolfplatz o que nos possibilitou ir e voltar do centro da cidade a pé. Poderiamos ir de tram, mas além de economizar com transporte é sempre legal ir andando e vendo a cidade, sentir o lugar, sabe? A parte ruim foi que nem todas as camas tinham tomadas ao lado e metade dos lockers estavam quebrados, mas logo o quarto esvaziou e a gente trocou a cama e pegou um locker certinho.

Foi uma delícia ficar andando pelo centro, fora que tava um dia liiindo de sol e céu azul, com aquele friozão. Tinhamos um roteiro inicial, mas acabamos não seguindo tudo ( and I guess this is the whole point of travelling), aproveitamos pra andar com calma, ver o que a gente queria ver, parar pra tirar foto, essas coisas. O lugar que paramos e ficamos um tempo maior foi ali na Groß Sankt Martin e também caminhar pelas margens do rio Rhein.

 

Outra coisa legal de fazer é atravessar a ponte dos cadeados (dessas com love lock), lá do outro lado tem uma vista muito legal da cidade, paisagem linda, catedral linda, rio, brauhaus a vista, tudo lindo. Só o que não é lindo pra mim é esse monte de cadeado pendurado numa ponte.. hahaha sério! Fica aqui meu desabafo, muita gente acha legal e tals, todo aquele lado romantico da coisa, mas na minha humilde opinião acho que isso vandaliza o lugar. Tem tantas outras maneiras de ser romantico, provas de amor, lembranças de uma cidade que te marcou ou seja lá qual o fator, que você não precisa vandalizar um monumento assim e colocar a sua estrutura em risco. E né, amor não precisa de um cadeado, amor tem que ser livre.. mas isso é somente a minha opinião, que aliás, ninguém perguntou haha.

Foi bom sentar um tempinho ali, curtir o momento, pegar um souvenir gracinha em forma de moeda com aquela vista que a gente tava vendo, porque depois a parte doida do dia iria chegar.

 

Dali fomos visitar a Kölner Dom, que olha, arrisco dizer que é a catedral mais linda que eu já vi! É impressionante mesmo toda sua arquitetura e impônencia. Nas fotos ela parece ser grande, mas isso pessoalmente é gigantesco – 157 metros!!! Eu me senti uma formiguinha, viu? É muito difícil conseguir uma foto dela inteira e bem enquadrada.

Acho que é impossível não ficar de boca aberta com toda sua beleza e grandeza, fico imaginando todo o trabalho pra ela ser construída, eu que sou leiga nessa parte de arquitetura já fiquei arrepiada, imagina pra quem é da área? É uma verdadeira obra de arte!

A Kölner Dom sofreu váários bombardeios aéreos durande a Segunda Guerra, mas apesar de ter ficado danificada, essa linda sobreviveu firme e forte, sua estrutura não desabou! Os mais religiosos dizem que é um milagre do céu, outros já falam que na verdade o alvo não era diretamente destruir toda a catedral, já que ela era um ponto de referência. Ao sobrevoar o local ela era visivelmente reconhecida, indicando que estavam passando pela cidade de Köln, e assim, podendo tacaaaarrr-le bomba no resto. Faz sentido, não? Em outras palavras, era o ‘gps’ da época.

Tanto o seu exterior como interior são belíssimos e não é de se espantar que é um dos locais mais visitados na Alemanha, visita mais que obrigatória! Você não precisa ser religioso nem nada, mas essa catedral é simplesmente surreal e vai te arrancar um suspiro, vários aliás. E parece também que guardam alguns restos mortais dos Trê Reis Magos lá dentro.

É possível subir no topo da catedral, são 533 degraus que valem super a pena. Pagamos apenas 2 euros com carteirinha de estudante e lá do alto se tem uma vista liiiiiinda da cidade. Dizem que tem outros edifíceis com elevador e tals que têm visões mais bonitas, mas subir esses degraus da Kölner Dom te permite apreciar ainda mais toda a arquitetura dela por dentro, é de tirar o fôlego, tanto pelo esforço físico como pela sua beleza! E uma dica amiga: deixe pra fazer isso no seu último dia, é cansativo e depois disso você não terá pique de fazer mais nada.

kolnerdom2Nenhuma foto vai fazer jus à beleza desse lugar, é até frustrante fotografar! haha

Não tirei nenhuma foto do interior dela, nem chegamos a ver tudo na verdade. Depois desses 533 degraus não tivemos energia nem pra pensar direito, eu entrei e já procurei um banco pra sentar. Tô ficado velha? Depois desse exercício todo, fomos nos recompensar com cerveja e sobremesa, nada mais justo, certo?

Não dá pra ir pra lá e não ir em uma brauhaus e tomar a cerveja local chamada Kölsch, que inclusive é o mesmo nome do dialeto falado em Köln. E o que falar dessa cerveja que eu mal conheci e já amo pacas? Muito boa! Com apfelstrudel pra acompanhar então? Não consigo nem dizer tamanha maravilhosidade. Pegamos uma indicação rápida no foursquare e fomos na Früh am Dom que fica perto da catedral mesmo, o serviço foi bem rápido e com um preço bom também.

Já estava escurecendo e o jeito foi voltar pro hostel e descançar antes de ir explorar a night life de Köln. Pegamos dicas ali na recepção mesmo e fomos parar na Zulpicher straße, uma rua cheia de bares variados, um lugar todo alternativo e barato!

Domingo as forças eram praticamente zero, dormindo super pouco e com dor muscular, o jeito foi ter uma dia bem easy. Andamos um pouco até o Museu do Chocolate, mas como eu tinha perdido a minha carteira e estava super preocupada, nem iria aproveitar muito. Voltamos pro hostel e pra minha sorte alguém achou, consegui recuperar tudinho! Pessoa boas, elas existem!

Köln é um lugar que vale muuuuito a pena visitar, me surpreendeu de uma forma super positiva e não vejo a hora de poder voltar, siiiiiiiiim, eu repetiria a dose de tanto que gostei. Essa viagem me transformou um pouquinho, não sei dizer bem ao certo como, mas isso é uma das coisas que eu mais amo em viajar. Cada viagem é especial de um jeito e vai ter um impacto na sua vida, seja pequeno ou grande, te fazer refletir e sempre aprender mais sobre o mundo e você mesmo. ♥

//You Might Also Like

//19 Comments

  1. Nicole da Rosa

    janeiro 22, 2016 at 9:09 am

    Uma foto mais linda do que a outra! Adorei a quinta foto com as casinhas coloridas <3
    Eu conheço tão pouco da Alemanha, só Berlim mesmo… Köln parece incrível.

  2. Ana Jähne

    janeiro 22, 2016 at 11:00 am

    ain que saudade que dá vendo tuas fotos. mas ainda bem que tô pertinho :}
    köln foi a primeira cidade que morei quando cheguei na alemanha, entäo tem toda uma ligaçäo sentimental envolvida. espero que tu voltes, sim. pra gente tomar umas kölschs 😉

    p.s.: o carnaval de rua de köln é bem grande sim… o maior da alemanha, começa na quinta e vai até a terça. mas abertura oficial é em novembro onde o festäo é grande e todo mundo já tá fantasiado. entre novembro e o carnaval rolam "prévias" mas só nas associacöes carnavalescas (ainda näo entendo muito de associacöes, me mudei de volta pro reno faz pouco tempo, mas vou checar esse ano… rs)

  3. Katarina Holanda

    janeiro 22, 2016 at 12:18 pm

    Eu sou maluca pra fazer um roteiro baseado na segunda guerra pela Europa, especialmente Alemanha e França. Certamente é ser muito pesado, mas uma experiência incrível. Deve ser muito bizarro pisar num lugar assim e imaginar tudo que aconteceu há tão pouco tempo.
    E QUE CATEDRAL É ESSA? :O Eu ainda não entendo como danado o povo construía essas coisas tão grandiosas e cheias de detalhes há tanto tempo, haha. Se você assistiu HIMYM, sabe que Ted ficaria maluco, hahaha.
    Amei amei amei o post! Beijo.

  4. Thayse Stein

    janeiro 22, 2016 at 12:35 pm

    Que post lindo! Imagino que deva ser deslumbrante essa vista, se as fotos nem consegue captar metade da beleza, e elas já são de tirar o fôlego. Gostei muito de acompanhar a viagem mais detalhadamente. Eu concordo contigo a respeito dos cadeados, principalmente depois do que aconteceu em Paris, que chegou a estragar o lugar :/ Acho que é legal mencionar isso, porque as pessoas são muito egoístas e não pensam no futuro ou no depois, só se importam consigo ou com o que aquilo representa pra ela. Essa visão de que o amor é uma coisa livre também entra em conflito com a coisa do cadeado, achei interessante o que tu mencionou. Enfim, adorei ler seu relato, como sempre.

    Beijo
    brilhodealuguel.com

  5. Julie

    janeiro 22, 2016 at 1:25 pm

    Já quero ir! Amo postagens assim, me trazem uma alegria tão grande, você não imagina.
    Anotei aqui a cidade e já vou pesquisar mais, me deu muita vontade de visitar :p

  6. Camila Faria

    janeiro 22, 2016 at 2:04 pm

    Oi Taís, quando eu fui, fiquei no hotel da Früh (http://www.hotel-eden.de/en/), que é uma gracinha e super central. Recomendo! Na sua próxima ida você não pode deixar de ir no Ludwig Museum, que é sensacional (http://www.museum-ludwig.de/).

  7. K arine

    janeiro 22, 2016 at 6:09 pm

    Essa catedral maravilhosa, bauhaus e histórias, conhecer um pedacinho da Alemanha deve ter sido muito maravilhoso mesmo, Tá! Amei as fotos e amei os detalhes da viagem que falou no outro post, esses dias que parecem semanas são sempre os mais especiais (e os que dão mais saudade) <3 hahahahaha

  8. Priih

    janeiro 23, 2016 at 11:31 pm

    Você escreveu esse post com tanto carinho e paixão pelo lugar, que foi super gostoso de ler! haha Sem dúvidas eu sentiria a mesma coisa, se fosse na Coreia do Sul. Sou apaixonada pela cultura desse lugar, mas isso é outra história.
    Recentemente eu também tive uma experiência num hostel (no Brasil mesmo, mais precisamente em SP), e também optei pelo quarto compartilhado, justamente pra aliviar nas despesas. Até que foi tranquilo, tirando algumas pessoas (risos), mas como eu ficava o dia fora e só voltava à noite, não teve nenhum problema.
    Achei maravilhosas as fotos que você tirou, parece ser um lugar tão limpo, tranquilo e coloridinho ♥. Na Coreia também tem esse lance dos cadeados, hahaha. Mas você não iria gostar, pois eles tem uma torre especialmente pra isso! A vista é linda, mas tem sei lá, o triplo de cadeados do que na ponte! Mas eu concordo com o seu ponto de vista de que o amor tem que ser livre e etc XD

    Que bom que vocês conseguiram aproveitar bastante, mesmo ficando apenas dois dias! Acho que isso é o mais importante <3

    Beijos,
    Priih.

  9. Thay

    janeiro 24, 2016 at 12:41 am

    (um momento de oração pelo comentário, para que ele não seja devorado – HAHA)

    AIN, Taís! Adoro seus relatos de viagem, já te disse isso? Acho tão legal que por mais que você visite vários lugares parece sempre pronta pra se apaixonar por uma nova cidade, uma nova experiência. O que você falou no comecinho do post sobre o frio na barriga acho super importante. Importante sim, porque demonstra que não é só mais um lugar que você está indo, é toda uma conexão maior. Você me passa uma energia muito boa de explorada em comunhão com os lugares que conhece – e acho isso um máximo (se não fizer sentido pra você tenha certeza de que isso é um elogio, haha).

    Achei muito curioso Köln ser conhecida pelo seu Carnaval! Geralmente pensamos no Brasil (claro) quando o assunto é esse, ou Veneza, mas uma cidade na Alemanha é até inusitado.

    As fotos estão maravilhosas como sempre. Adoro dias frios com sol (acho que só assim pra eu gostar de sol, haha), adoro o clima que fica. Posso andar e andar que ainda vou me sentir revigorada e não derretendo no meio da minha roupa, haha. E FINALMENTE alguém com a mesma opinião que eu sobre os cadeados!! É fofo até certo ponto, mas aí a ponte começa a lotar de cadeados, a estrutura pode ficar comprometida e é aquele auê. Sei lá, poderiam inventar de substituir cadeados por fitas coloridas com o nome dos apaixonados, pelo menos não faz peso.

    E preciso dizer: estou em prantos com a Kölner Dom. Que magnífico, sério, faltam até palavras. Curiso é que eu lembro de ter estudado sobre ela na faculdade, mas não lembrava de Köln (e isso porque tá praticamente no nome da catedral, do'oh). Acho que vou ficar abraçada nela quando for visitar, HAHA (a louca da arquitetura, YAY).

    Mais um post lindo e favoritado! Beijo, beijo!

  10. Débora Braga

    janeiro 28, 2016 at 2:10 am

    Também sempre quis conhecer a Alemanha justamente pela história incrível que ela tem, além de ser um país com uma cultura rica e com muitas coisas novas para conhecer. Todo mundo que vai se apaixona e quer voltar ahaha, a única coisa difícil que deve ser é o idioma.
    E concordo com você sobre os cadeados, acho bem chato ficar colocando em lugares e pontos turísticos que acabam ficando "feios" e depreciados por causa dos homens, e esse negócio de cadeado trancado em um lugar pra sempre acho que nem combina com o amor, que como você disse, é algo libertador, livre, que sempre cabe mais haha.
    Adorei as fotos, como sempre!
    Beijos

  11. Alessandra

    fevereiro 2, 2016 at 4:54 pm

    Tá, imagino que delícia que deve ter sido essa cidade e concordo com você que as viagens sempre acabam transformando a gente de alguma forma. Sei bem o que é subir tantos degraus, subi o Duomo em Florença e olha, foi uma experiência inesquecível. Concordo plenamente com a questão dos cadeados e digo mais, acho cafona bagarai. Pronto, falei. Me julguem. haha Beijos!

  12. Bloggers Out and About – Nýr Dagur

    março 29, 2016 at 7:49 pm

    […] Qual foi o destino da sua última viagem? Fui pra Köln, na Alemanha (post aqui e […]

  13. TAG: Onde eu iria... - A Menina da Janela

    junho 29, 2016 at 5:00 pm

    […] ou na Irlanda. Tenho muita vontade de conhecer ambos e não sei escolher um… Mas lembrei desse post da Taís e resolvi que Köln, na Alemanha, era uma boa […]

  14. Zurich, Suíça – Nýr Dagur

    agosto 25, 2016 at 1:02 pm

    […] subida é rápida, nada difícil tipo Kölner Dom e tem uma vista muuuuuito legal de Zurich. ♥ Fiquei um bom tempinho por ali, apreciando a […]

  15. Viagem e música, a combinação perfeita - Nýr Dagur

    novembro 30, 2016 at 9:51 pm

    […] de querer ver tudo em pouco tempo. Motivos pra voltar pra Alemanha não faltam. Desde que fui pra Köln, no começo do ano, eu sabia que aquela seria a primeira de muitas viagens pra lá. Só não […]

  16. Minhas viagens em 2016 - Nýr Dagur

    dezembro 29, 2016 at 6:47 pm

    […] começar o ano viajando é muito bom, né? Eu e a Lari fomos pra Köln, na Alemanha. Foi uma viagem muito legal, muito doida, muito divertida! Amei ter pisado na Alemanha […]

  17. Os encantos de Leipzig, na Alemanha - Nýr Dagur

    janeiro 20, 2017 at 4:23 pm

    […] sei que me apaixonei por Colônia, por Berlin e agora me vejo apaixonada por outra cidade […]

  18. Országház - O Parlamento Húngaro - Nýr Dagur

    fevereiro 21, 2017 at 9:11 pm

    […] que essa foi uma das construções que mais me impressionou na vida (juntamente com a catedral de Colônia, na Alemanha) – seguindo no lema antes tarde do que mais tarde, finalmente saiu o […]

//Leave a Reply