Nordic Vibes

6 curiosidades sobre a Groenlândia

Quando eu comecei o Nordic Vibes aqui no blog, eu não tinha muita certeza se iria trazer algo sobre a Groenlândia pra cá. Mas, não descartei a possibilidade e achei válido ter esse conteúdo aqui, tanto por ser um país que morro de vontade de visitar, como também por ser um destino não tão comum e acessível. Por essas razões, a Groenlândia acaba sendo um mistério pra muita gente. Pergunte pra alguém ou até a si mesmo: o que tem na Groenlândia? O que você sabe sobre o país além da piadinha de que a Groenlândia (Greenland) é branca e a Islândia (Iceland) é verde?

Sempre que tenho a oportunidade de ler algo sobre lá ou sei de alguém que já foi fico bastante curiosa. Eu acho super interessante saber certas curiosidades de um país, ainda mais quando não é assim tão fácil de achar informações. É legal pra nossa bagagem cultural saber o mínimo sobre um lugar e não só os típicos estereótipos. Só tem gelo na Groenlândia? Os groenlandeses são todos ”esquimós” e vivem bêbados? Um país é muito mais que pré-conceitos.

E aliás, é super ofensivo você chamar os groenlandeses de ‘esquimós’ ou qualquer nativo do Ártico desta maneira. Na Groenlândia, Canadá, Alasca e certas regiões da Rússia o termo correto é Inuíte. Já no norte da Noruega, Suécia, Finlândia e outras partes da Rússia o termo mais apropriado é Sami.

Em colaboração com a Vanessa,  uma alemã que mora no Norte da Noruega e escreve no blog Snow in Tromso, consegui trazer pro Nýr Dagur um post diferente sobre a Groenlândia.

A Vanessa estuda os povos indigenas do Ártico e para a tese de mestrado dela, ela passou uma semana na Groenlândia pra coletar dados (fora que o país se tornou o favorito dela entre os Nórdicos). Eu traduzi/adaptei um post que a Van escreveu sobre algumas curiosidades da Groenlândia.

E aqui está:

6 CURIOSIDADES SOBRE A GROENLÂNDIA QUE NINGUÉM NUNCA TE CONTOU – POR VANESSA BRUNE

P1160311

Foto por Vanessa Brune

Através das minhas pesquisas e conversas com os groenlandeses, eu descobri muito sobre o país, seu povo e sua cultura, que vai muito além do que todos esses posts de ”10 coisas interessantes sobre a Groenlândia”.

Mas, se você não sabe muito sobre o país, vou lhe dar um rápido resumo antes de falar sobre as 6 curiosidades sobre a Groenlândia que ninguém nunca te contou.

A Groenlândia é a maior ilha do mundo e ela é maior que o México, mas tem por volta de 55.000 habitantes. O país foi colonizado pelos Vikings e Inuítes e hoje faz parte da Dinamarca depois de ter sido uma colônia dinamarquesa. No entando, a Groenlândia é autogovernada e não faz parte da União Europeia, embora a Dinamarca seja.

Em torno de 80% do país é coberto de gelo – e é por isso que surge as piadinhas sobre Greenland e Iceland. Na verdade o nome Groenlândia é relacionado aos Vikings, enquanto que os Inuítes chamam o país de “Kalaallit Nunaat”, que significa ‘terra do povo’.

Fatos básicos resumidos? Então agora vamos para os reais fatos sobre a Groenlândia que você ainda não sabia.

1 – BRIGITTE BARDOT NÃO É MUITO POPULAR NO PAÍS.
Desde os anos 80, a atriz francesa Brigitte Bardot tem se envolvido em ativismo dos direitos dos animais e ela começou uma campanha para parar a caça as focas. Caçar focas, baleias e ursos polares é a principal fonte de sustento dos Inuítes em toda a América do Norte e Groenlândia até os dias de hoje; e os resultados da campanha da Bardot têm sido severos para muitos.

O preço da pele de foca caiu consideravelmente nas últimas décadas e, além dos ativistas que trabalham contra a caça de focas, a União Europeia proibiu a importação de pele de foca em 2009, tornando ainda mais difícil para os caçadores Inuítes na Groenlândia.

P1160800

Foto por Vanessa Brune

2. O INGLÊS PODE SE TORNAR A LINGUA OFICIAL DO PAÍS ALGUM DIA
O groenlandês e o dinamarquês são as línguas oficiais da Groenlândia. No entando, muitas pessoas criticam a conexão do país com a Dinamarca e preferem ser independentes. O passado da Groenlâdia como colônia da Dinamarca ainda é um problema para muitos, considerando que os dinamarqueses ainda detêm a maioria dos empregos mais remunerados no país.

E além disso, o dinamarquês como uma língua é visto como provincial por muitos – afinal, só é falado na Dinamarca, que é um país muito pequeno. Muitos jovens groenlandeses olham para a fronteira com o Canadá, que é muito mais perto da Groenlândia do que a Dinamarca, para se conectar com os outros Inuítes de lá. E mais, com o turismo crescendo na Groenlândia, o inglês fica cada vez mais difundido e, olhando para oportunidades de negócios, poderia potencialmente trazer  dinheiro para o país também.

Quem sabe, quando a Groenlândia talvez se tornar independente da Dinamarca um dia, o dinamarquês poderá ser substituído pelo inglês quando isso acontecer.

P1150990dz

Foto por Vanessa Brune

3. OS EFEITOS DA COLONIZAÇÃO AINDA SÃO PERCEPTÍVEIS
A pesquisadora Tine Curtis escreve em “Violência, Abuso Sexual e Saúde na Groenlândia” que “as taxas de violência e homicídios são altas na Groenlândia como em outras comunidades Inuíte e são uma grande preocupação para a saúde pública”.

A imagem do bêbado groenlandês tem sido um estereótipo comum na Dinamarca nas últimas décadas e, embora existam vários artistas e ativistas que tentam mudar essa imagem, os groenlandeses no sul ainda às vezes  se encaixam neste estereótipo.

Mas de onde vem o problema? Estudos mostram que a colonização e a modernização forçada podem ser vistas como as origens de problemas como abuso de álcool, violência e suícidio, não só nas comunidades Inuíte, mas também nas comunidades Sami na Escandinávia.

Embora o problema seja conhecido na Groenlândia e na Dinamarca, ainda é um tabu entre os Samis que só agora começou a mudar.

Para quem quiser ler mais sobre esse tópico: Modernização e Saúde Mental: Suicídio entre os Inuítes na Groenlândia (em inglês).

P1170414dz

Foto por Vanessa Brune

4. TAILANDESES E FILIPINOS SÃO O SEGUNDO MAIOR GRUPO DE IMIGRANTES NO PAÍS
A Groenlândia tem mais ou menos 55.000 habitantes e cerca de 5.000 são dinamarqueses. Menos de 1.000 pessoas vêm de outros países – a maioria dos países Nórdicos, a outra metade são da Tailândia e das Filipinas.

Você pergunta: por que alguém deixaria a quente e ensolarada Tailândia para se mudar para a Groenlândia, que consiste em 80% de gelo e onde as temperaturas raramente passam de 0 graus?

Bem, acho que eu não vou poder lhe dar uma real resposta aqui. Pode ser que as pessoas que vêm de climas mais quentes são fascinadas pela neve e gelo, tanto quanto nós que vivemos no Norte somos fascinados com sol e praias..

Seja qual for a razão, Nuuk (a capital do país) oferece restaurantes e mercados de comidas asiáticas. Então, se você estiver visitando e preferir comer arroz e noodles em vez de hambúrguer de boi-almiscarado e sopa de baleia, sem problemas!

P1160556dz

Foto por Vanessa Brune

5. NA DÉCADA DE 50,  CRIANÇAS GROENLANDESAS FORAM TIRADAS DE SUAS FAMÍLIAS E LEVADAS PARA DINAMARCA
O passado colonial da Groenlândia é de fato um capítulo sombrio. Semelhante às políticas norueguesas de “norueguização”, que enviavam crianças Samis para internatos onde elas eram proibidas de falarem a sua língua materna, a Dinamarca enviou 22 crianças groenlandesas para longe de suas famílias para aprenderem a língua e a cultura dinamarquesa em 1951.

O objetivo desta ação era para que as crianças se tornassem ”mais dinamarquesas” e líderes de uma nova sociedade groenlandesa sob o comando da Dinamarca. Desnecessário dizer que o ”experimento” falhou e deixou 22 crianças traumatizadas e suas famílias sozinhas.

E o governo dinamarquês nunca se desculpou oficialmente sobre isso.

P1160257

Foto por Vanessa Brune

6. O ROCK’N ROLL CONDUZIU UMA REVOLUÇÃO GROENLANDESA
OK, talvez não uma revolução no sentido estrito da palavra, mas a banda groenlandesa Sume fez algo nos anos 70 que ninguém teve coragem de fazer antes: falar sobre serem governados pela Dinamarca.

Mesmo que a Groenlândia na década de 70 não era mais uma colônia da Dinamarca, muitas pessoas ainda se sentiam como se fosse porque os groenlandeses não podiam tomar decisões sobre o seu próprio país naquela época. A banda Sume tematizou essa questão em seus textos, que foram cantados em groenlandês, e assim, levou a uma pequena revolução no país.

E se você estiver interessado em descobrir mais sobre essa época, assista ao filme inglês chamado ”Sume – O Som de uma Revolução”.

Trailer:

(veja o post original com mais detalhes aqui)

//

Gostaram de saber mais sobre a Groenlândia? O que mais te impressionou?

//Veja também outra colaboração entre Nýr Dagur e Snow in Tromso: Um guia de lugares para comer em Dublin (em inglês – The Ultimate Foodie Guide to Dublin)

//You Might Also Like

//30 Comments

  1. Stéfhanie

    março 2, 2017 at 1:16 am

    Confesso que não sabia nadinha da Groelândia e o post foi muito legal pra mim. Adorei as curiosidades!

    Beijo

    1. Taís

      março 2, 2017 at 2:20 pm

      Que bom que gostou, Sté! 🙂

  2. Ana Beatriz

    março 2, 2017 at 1:19 am

    Esse post ficou sensacional! Eu sei muito pouco sobre a Groenlândia, e nunca passou pela minha cabeça que eles enfrentassem problemas políticos e de saúde tão fortes (talvez por ser um país nórdico, a gente sempre leve essa imagem na cabeça de que eles são “perfeitos”). Eu também acho que a gente tem que tentar ao máximo desmistificar algumas coisas sobre outras culturas que as pessoas sempre tentam propagar. Eu realmente sabia pouco sobre o local, e me surpreendi muito.

    1. Taís

      março 2, 2017 at 2:22 pm

      Que bom que gostou, Ana! E pois é, esses assuntos são bem complicados por lá, ainda é um problema a conexão deles com a Dinamarca e eles enfrentam sérios problemas também em relação ao suícidio, é bem triste!

  3. Claudia Hi

    março 2, 2017 at 2:16 pm

    Conheci a Groenlândia pelo filme A Vida Secreta de Walter Mitty. Depois assisti os vlogs da Dani Noce por lá e me apaixonei por toda a região. Está na minha listinha de lugares pra conhecer.

    E não sabia sobre essa piadinha de Greenland e Iceland rs

    1. Taís

      março 2, 2017 at 2:24 pm

      Claudia, você se confundiu! No filme eles vão até a ”Groenlândia”, que na verdade é filmado na Islândia.. e o filme tem o foco na Islândia mesmo e também a Dani Noce foi pra Islândia e não Groenlândia! 🙂

  4. Gabi

    março 2, 2017 at 6:07 pm

    Cara, que post legal! Eu adorei aprender um pouco sobre o país – e fatos mais diversos do que estamos acostumados a ver sobre esses lugares isolados. Eu fiquei besta com a história das 22 crianças. Assim.. mortificada. Nunca que eu imaginaria que os dinamarqueses – que a gente imagina como um reino de álbum de figurinhas de perfeição haha – fizesse uma coisa dessa. Lendo e aprendendo 🙂

    1. Taís

      março 7, 2017 at 12:01 pm

      Louco essa história, né? A Dinamarca já tocou o terror enquanto foi colonizando outros lugares e até hoje outros países nórdicos olham meio torto pra eles.. hahaha

  5. KARINE

    março 3, 2017 at 4:14 am

    que tensa essa história das crianças 🙁

  6. Marcia Picorallo

    março 4, 2017 at 12:48 am

    Parabéns pela escolha do tema, Taís. Sabemos tão pouco sobre tantos países que chega a ser vergonhoso. E também é muito importante que os blogs escritos por expatriados sejam honestos e mostrem os problemas que existem em seus países, porque quem só viveu no Brasil tem a impressão que nossos problemas são sempre maiores do que em outros países. Sempre criticamos a Historia brasileira de “embranquecimento” ou das diferenças de salários entre homens e mulheres e daí aprendemos que isso ocorre em outros países também. Fiquei pasma quando soube que só na décade de 1970 a Suíça aprovou o voto feminino! E essas crianças tiradas de seus lares na década de 1950, que horror! Minha professora de italiano é brasileira divorciada de um italiano, que tentava impedi-la de ensinar Português para o filho deles – isso na década de 1990! Nossa, como o ser humano precisa crescer…

  7. Flávia Donohoe

    março 4, 2017 at 7:59 am

    A sua paixão pelos países Nórdicos é contagiante Taís, tanto que quero conhecer ainda as Ilhas Faroe e a Groenlândia! Lá na secretaria de turismo de Reykjavik peguei vários informativos e informações sobre a Groenlândia, e me encantou muito, a beleza é ainda mais surpreendente!

  8. Matheus Crespo da Silva

    março 4, 2017 at 1:07 pm

    Apaixonado por esse texto. É tão bom quando alguém leva essas curiosidades que geralmente são puro estereótipo pra um nível mais profundo.
    Eu também não sabia nada sobre a Groenlândia, inclusive pensava que escrevia Groelândia, ai que vergonha. hehehe
    Sempre de parabéns esse blog.

  9. Simone Hara

    março 5, 2017 at 7:31 am

    Adorei! Confesso que não sei quase nada sobre a Groenlândia e adorei ler sobre essas curiosidades todas!

  10. Lorraine Faria

    março 5, 2017 at 7:00 pm

    O coração até doeu lendo essa parte das crianças que foram tiradas das suas famílias 🙁 não sabia de absolutamente NADA sobre a Groenlandia Taís, que pena que tanta coisa triste aconteceu por la…

  11. Josiane Bravo

    março 5, 2017 at 9:18 pm

    Adoro ler curiosidades sobre outros países. Até o momento, não sabia muita coisa sobre a Groenlandia rs, nem que a atriz Brigitte Bardot moveu essa ação para proteção dos animais, o que para mim, fiquei até feliz de saber que está dando certo, sou super a favor da proteção dos animais e totalmente contra a caça. Sei que isso deve deixar muita gente brava, e com razão, mas o ser humano é esperto e sabe se adaptar com as mudanças.
    Beijos

  12. Débora Resende

    março 6, 2017 at 12:27 am

    Amei esse post! Sou fascinada por esses destinos pouco populares e adoro conhecer mais sobre eles 🙂

  13. Daise

    março 6, 2017 at 12:30 am

    Gostei muito do post e das informações – quer dizer, não gostei de algumas, mas gostei de saber. Essa história das 22 crianças me lembrou do videodocumentário que produzi com uma amiga como trabalho de conclusão de curso da universidade. Falamos de uma ex-colônia que foi criada para enviar “leprosos” durante o governo Vargas. As crianças que nasciam lá dentro eram retiradas e criadas em abrigo. Vinham visitar os pais pouquíssimas vezes e sem poder ter contato físico, através de um muro, distantes uns dos outros. Claro que os laços não se formaram. Imagina que tristeza!
    Agora que tenho tido a oportunidade de viajar mais, conhecer outras culturas e outras formas de viver, além de ter observado como funciona a indústria do turismo (da qual faço parte quando viajo, mas que tem coisas que me irritam profundamente), passei a refletir muito sobre as diferenças de vida das pessoas. É muita injustiça que se vê por toda parte. 🙁

  14. Klecia

    março 6, 2017 at 2:12 am

    Muito bacana teu post. Saber um pouco mais sobre essa cultura tão diversa da nossa é sempre amplia nossa visão de mundo. E melhor ainda em descobrir como o Rock foi essencial pra formação dessa Groelandia de hoje 😀

  15. Ju Garzon

    março 6, 2017 at 1:52 pm

    Muito interessante! Também não sabia nada sobre a Groenlândia. Tenho curiosidade para saber quais alternativas o povo local pode buscar como fonte de renda para substituir a caça às focas. Espero que eles as encontrem!

  16. Fran

    março 6, 2017 at 5:08 pm

    Nossa!
    Quanta coisa… e o pior é que eu nem fazia ideia de que era tão próxima ao Canadá!
    Desde que vi uma reportagem sobre o povo Sami da Lapônia fiquei fascinada pela história toda. Vou pesquisar com mais calma depois sobre os Inuítes 🙂

  17. Deisy Rodrigues

    março 6, 2017 at 7:19 pm

    Quanta coisa interessante, confesso que não sabia de nenhuma delas.

  18. angela sant anna

    março 7, 2017 at 10:41 pm

    eu adoro o Snow in Tromso!!! que legal que vc entrou em contato com ela <3 adorei ler este post, é engraçado como as duas culturas sami e inuit se assemelham, tanto nos aspectos culturais quando nessa "influência da colonização"..achei bizarro ter tanto tailandês, devem passar muito frio aheuahe se precisar de companhia pra uma viagem dessas, já sabem quem chamar!!! haeuahe

    1. Taís

      março 9, 2017 at 11:41 am

      Opa! Eu encontrei com a Vanessa do Snow in Tromso aqui em Dublin, foi muito legal! 🙂

  19. Naiara Back de Moraes

    março 15, 2017 at 5:04 pm

    Triste pelas crianças que foram tirada de seus pais e super surpresa com a revolução groelandesa causada pelo rock and roll 🙂

  20. Katarina Holanda

    março 18, 2017 at 4:58 pm

    Eu fiquei doida pra conhecer a Groenlândia depois que soube que A Vida Secreta de Walter Mitty teve locações lá. <3 Amo esses teus posts mais culturais!

    1. Taís

      março 18, 2017 at 5:34 pm

      Oi Kat! Na verdade o filme não teve locaçoes lá, as cenas que eram na Groenlandia foram gravadas na Islândia

  21. Camila Lisbôa

    maio 9, 2017 at 4:50 pm

    Não sabia NADINHA sobre a Groenlandia! Que post mais legal e creio de curiosidades que despertam a vontade de conhecer mais esse lugar… 🙂 Adorei mesmo!

  22. José Vitor

    outubro 27, 2017 at 4:13 pm

    O que eu sabia sobre a Groenlândia antes desse post é que é um dos lugares mais seguros pra se estar em caso de uma pandemia mundial..

  23. Lorrane

    novembro 15, 2017 at 5:33 pm

    Linda imagens muito interessante o que acabei de ler aqui neste blog, o que não sabia sobre a Groenlândia antes deste artigo era que é um dos lugares mais seguros para estar em caso de uma pandemia mundial digamos assim.
    Bjs….
    Lorrane colaboradora do blog:https://www.noticiasdaweb.com.br/palavra-misteriosa-jequiti/

//Leave a Reply