Azerbaijan: a terra do fogo e dos vulcões de lama

Depois de explorar Baku, no segundo dia no Azerbaijan acertei um day tour pra fazer. Dá pra chegar nesses lugares por conta, mas demanda tempo e não iria rolar pra gente. Nesses casos um day tour pode ser de grande ajuda. Demos sorte de ter pego um grupo pequeno, o que foi ótimo e não ficou tão corrido assim.

Não muito longe da capital, existem lugares muuito legais pra se conhecer. A primeira parada foi no Gobustan National Park, que é Patrimônio Mundial da UNESCO. Essa reserva natural é rica em registros arqueológicos pré-históricos, com mais de 6.000 esculturas em pedras e petroglifos que retratam a vida das pessoas naquela época no Cáucaso. Tem exemplos de animais, pessoas, batalhas, rituais, danças… é incrível estar lá e poder ver essas preciosidades!

Em azeri se escreve Qobustan
Tem cobras por lá!
Petroglifos! *.*

A guia ia nos explicando o que víamos nas pedras. Alguns eram bem difícil de ver, já que com o tempo eles vão sumindo um pouco. Mas tem uns que eles ‘reforçaram’ as linhas pra ficar mais visível. Então quando tinha algum petroglifo que tava parecendo ”novo” sabíamos que não era 100% original. Foi muito interessante essa parte do tour! Surpreendente ver algo tão antigo assim.

É incrível ver as formações das pedras também. Gostei muito dessas que fazem um som, como se fossem instrumentos musicais.

com a pedra pequena você bate na maior e ela faz um som.
Eles usavam como forma de alerta para possíveis perigos
lindo demais esse lugar!
Antes o Mar Cáspio cobria toda essa área, agora vai ficando cada vez mais longe!

Depois de ver os petroglifos a guia nos levou para o museu do Gobustan Natioonal Park. Lá podemos aprender ainda mais sobre as riquesas naturais dessa região e sua história.

Além dos petroglifos, o Gobustan guarda outra preciosidade: os vulcões de lama! Essa era a parte mais esperada por mim durante este tour, eu queria muito poder ver um com meus próprios olhos.

O Azerbaijan é o lar de aproximadamente mais de 300 vulcões de lama, fazendo com que o Azerbaijan seja o país com mais vulcões de lama do mundo!

Esses vulcões de lama são associados a campos de petróleo (e no Azerbaijan tem muito). Eles ficam em atividade borbulhando lama e quando entram em erupção ocorre explosões subterrâneas e podem emitir gases vindo do solo, soltando umas chamas. Não sou nenhuma especialista no assunto, mas acho fascinante!

A textura da lama é bem argilosa e fria, dá até pra gente colocar a mão pra conferir. A temperatura é beem mais baixa que um vulcão de lava mesmo. Muita gente até entra neles, como se fosse um spa natural.

Eu fiquei um pouco decepcionada porque achei que veríamos uns maiores. Mas vimos apenas uns pequenos e achei que foi uma parada muito rápida. Queria ter visto mais deles! Por outro lado, já fiquei bem contente com esses, só de colocar a mão dá vontade de se jogar dentro do vulcãozinho. Tem uma textura muito gostosa e com o calor que tava fazendo, seria bem refrescante! haha

Parece até que a gente foi parar em outro planeta, surreal!
,
Eu fiquei muito empolgada vendo esses vulcões, cheguei muito perto de um exatamente quando estava formando uma bolha um pouco maior. Quando ‘explodiu’ foi lama pra tudo quanto é lado, consegui correr a tempo, mas me sujou os braços e até um pouco da câmera. haha

Outra atração bem interessante do dia foi o Ateshgah, templo do fogo. Ele fica localizado em Surakhani, não muito longe de Baku. O Ateshgah era um centro filosófico e de peregrinação dos zoroastristas – acredita-se que o Zoroastrismo é a religião mais antiga do mundo que ainda é praticada nos dias de hoje. E também os hinduístas usavam esse templo. ‘Atash’ significa fogo em persa e o fogo é um simbolo muito forte para essas religiões. O templo foi construído pelos ‘adoradores de fogo’ lá pelo século 17-18 e depois da exploração de petróleo na região parece que o templo deixou de servir como um local de culto, mas hoje é um museu.

A história desse templo é muito interessante! Essa área é muito famosa pela exploração do petróleo e gás. O óleo escoa naturalmente do chão e as chamas queimam constantemente. E por causa disso, o Azerbaijan é conhecido como a terra do fogo.

O Azerbaijan também fazia parte da Rota da Seda e parece que foi por causa disso que os comerciantes hindus descobriram esse ”fogo eterno” na região e começaram a usar esse templo também.

A sagitariana e seu elemento! haha

Além do templo, o Azerbaijan tem uma montanha de fogo, chamada Yanar Dag. Mesmo fenômeno que acontece no templo, o gás que sobe pra superfície e fica aí esse fogo queimando sem apagar.

Acho que à noite o efeito do fogo saindo da montanha fica mais legal. Mas sinceramente, acho que só vale mesmo ir até lá (é um pouco mais afastado) se tiver incluso em algum tour que você for fazer ou se você tiver de carro. O que eu morro de vontade de ver mesmo é o Gates of Hell no Turcomenistão, que fica queimando sem parar também. Um dia, quem sabe?

Gostei demais de ter conhecido tanta coisa interessante em um único dia. Saber mais da história do país e suas particularidades. Como disse, foi uma passagem rápida pelo Azerbaijan, mas sinto que foi bem proveitosa. Obviamente tem muito mais pra se explorar, quem sabe um dia tenho uma oportunidade de voltar e conhecer mais.

🙂


Comments

  1. Já falei que amo a edição das suas fotos Taís? Já né? Mas tudo bem, não me canso e falar haha

    Achei bem interessante essas pedras que “fazem barulho”, vocês puderam jogar as pedrinhas pra testar? rs

    Onde vou em Minas Gerais também está assim. Antes a água chegava pertinho de onde ficávamos. Hoje dá pra atravessar do outro lado! É surreal!

    • Sim, Luciano, é espetacular!! Eu não fiquei com medo… eu tava tão fascinanda de ver aquilo tão de perto.. fiquei encantada!
      Obrigada 🙂

  2. Oi Thaís, tudo bem?
    Acho que acompanhei um pouco dessa sua viagem pelos stories e postagens no instagram, e lá já fiquei impressionada com o lugar. Já disse que amo seu blog por apresentar esse lugares diferentes pra gente. Parece um lugar antigo e rico. amei as suas fotos, e não nego que fiquei com vontade de catar um pote dessa lama. A adulta em mim pensou em skin care, mas a criança interior pensou em várias tortas de lama pra servir e brincar com a sobrinha rsrsrs
    abraços,
    Ava

  3. Achei o lugar super especial, ainda mais pelos vulcões. Que surpresa deve ser observar e ver a natureza de perto assim. E parece muito que você tá naqueles cenários de marte que aparecem nos filmes, haha!

  4. Olá Taís!
    Que incrível esse passeio que você fez. Não sabia desses vulcões de lama, achei fascinante. Como você disse, pelo visual do local, parecia que estava em outro planeta hehe.
    Ótima semana 🙂

  5. As vezes nem parece real, que naturezas desse tipo podem existir não é mesmo ? Mas, eu amo vê-las de qualquer forma, mesmo que seja através dessas fotos. É lindo e realmente, não, não parece que estams no planeta terra. Aliás estamos mesmo ? risos! Fico imaginando a vontade que não deu de se tacar dentro da lama, eu sei que ficaria me coçando para entrar em uma. Parece ser tão legal, e como uma boa sagitariana a gente não nega uma boa diversão né? Aliás, amei a legenda da foto “a sagitariana e seu elemento”. hahaha ♥

    essa foto da moça com a bandeira ♥ por favor, se um dia fizer um livro de fotos da sua viagem, coloque essa ♥

  6. Conhecendo seu blog hoje e é super interessante! Amo muito ler e saber das culturas de outros países!

    Como no momento não consigo viajar, eu me transporto para lugares incríveis em blogs como o seu.

Leave a Reply to Claudia Hi Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

Log in as an administrator and view the Instagram Feed settings page for more details.

© 2020 Nýr Dagur · by MinimaDesign