Hanoi, Vietnam

Antes do mundo virar de ponta cabeça, minha última grande viagem pré corona times foi para o Vietnam. E isso foi há DOIS anos e uns quebrados.

Dá pra passar 1 mês facinho nesse país e choramingar por não ter tido tempo de aproveitar tudo. O Vietnam é incrível, as pessoas, as comidas, os lugares… Foi difícil vir embora, parece que um pedacinho de mim ficou.

Hanoi foi o ponto de partida pra essa viagem. Uma das cidades mais loucamente interessantes que já conheci. Confesso que não acho uma palavra pra descrever muito bem. Hanoi é vibrante, cheia de história – e motocicletas. Não dá pra falar de lá sem mencionar a quantidade absurda de motocicletas na rua, é surreal! Atravessar a rua é uma atração a parte, uma aventura. Se você esperar até alguém parar você vai ficar ali pra sempre. O esquema é respirar fundo e atravessar no meio das motos, assim mesmo, todo mundo desvia super rápido. Dá muito medo, mas dá certo. Provavelmente um dos poucos lugares no mundo que se você atravessar a rua olhando o celular, ninguém vai te atropelar.

Noites vibrates: muitas pessoas e letreiros coloridos por todas as partes

Logo no primeiro dia em Hanoi, ao sentar no banquinho de plástico de um bar, no meio da rua, bebendo uma cerveja local e olhando o movimento passar, minha ficha caiu: eu estou no sudeste asiático. Muito característico dessa parte do mundo. Comer uma comida de rua, ver um movimento intenso de pessoas e muitos estímulos visuais.

Fui na época do inverno e estava uma temperatura muito agradável na cidade. Hanoi e o Vietnam no geral tem muita história pra contar. Quem não se lembra da Guerra do Vietnam? Não vou abordar essa parte histórica muito profundamente nos meus posts. Meu objetivo mesmo é deixar registrados aqui alguns lugares que passei.

Hanoi é a capital do país, carrega muita coisa tradicional do Vietnam e também resquícios da colonização francesa.

Além de passear pelas ruas do centro histórico de Hanoi, fomos visitar alguns outros lugares, como o Hoan Kiem Lake. Acredito ser o lugar mais famoso da cidade. É muito gostoso andar por ali, um cantinho verde e ainda tem um templo lá também. Tem uma lenda sobre esse lago, que em meados do século 15, o céu enviou ao imperador Ly Thai uma espada mágica, que ele usou para expulsar os chineses do Vietnam. Após a guerra, uma gigantesca tartaruga dourada agarrou a espada e desapareceu nas profundezas deste lago para devolver a espada aos seus donos divinos, inspirando o nome Ho Hoan Kiem (Lago da Espada Restaurada).

Ali também, tem uma ponte lindíssima em estilo clássico vietnamita que conecta à uma pequena ilha dentro do lago e nessa ilha está o templo Ngoc Son. Foi muito gostoso passear por ali, ver a Torre da Tartaruga e sentir um pouquinho de naturaza no centro da capital.

Visitamos dois museus, sendo um deles a Hỏa Lò Prison. Essa prisão foi usada pelos colonos franceses na Indochina francesa para prisioneiros políticos, e mais tarde pelo Vietnam do Norte para prisioneiros de guerra dos EUA durante a Guerra do Vietnam. Lá você encontrará galerias que contam a história até a década de 1950, quando foi usada como parte da luta vietnamita pela independência. Algumas das peças em exibição incluem uma guilhotina francesa que os colonialistas usaram para executar ativistas vietnamitas. É um lugar pesado de se visitar, imaginar as condições torturantes que as pessoas já viveram ali.

A prisão foi demolida durante a década de 1990, embora a portaria permaneça como um museu. Não tirei fotos lá dentro, apenas da entrada. Mas é um lugar que vale a pena visitar em Hanoi.

E o outro museu foi o meu favorito: o Vietnamese Women’s Museum. O museu apresenta as mulheres como tema central, e percorre a história e a cultura das mulheres na sociedade vietnamita. Destacando os papéis e contribuições significativas das mulheres no desenvolvimento histórico e cultural do país, e também, galerias relacionadas as mulheres no Vietnam em tempos de guerra. Você também encontrará joias como trajes locais coloridos, artesanato e tecidos feitos por vários grupos minoritários ao redor do Vietnam.

O museu também organiza exposições temáticas para mostrar transformações e novos desenvolvimentos que ocorrem no Vietnam contemporâneo. A principal missão do museu é “aumentar o conhecimento público e a compreensão da história e herança cultural das mulheres vietnamitas … contribuindo assim para promover a igualdade de gênero.”

Um lugar que com certeza chama muito atenção de quem visita a cidade, é a famosa rua do trem. Essa é uma rua residencial em Hanoi, onde um trem em alta velocidade passa direto por ela. A rua é tão estreita, que os moradores devem garantir que seus pertences, bicicletas, animais de estimação, crianças etc… estejam todos seguros dentro de casa antes que o trem passe. É surreal!

Não sei explicar exatamente, mas parece que pra ir lá você tem que arranjar com alguém pra entrar nessa rua. Pelo menos quando eu fui, tinha umas grades e os moradores locais vendo que você quer passar, eles vão falar que não pode ou te oferecer algo. Uma senhora local foi gentil com a gente, disse que conseguia fazer a gente passar sendo convidados do café dela. E assim fomos, tomamos um suco bem gostoso lá, interagimos com umas criancinhas fofas e andamos por essa rua um tanto quanto interessante. Muito legal ver como as pessoas ali organizam suas vidas de acordo com o horário do trem. Não lembro agora quantas vezes ao dia ele passa. Infelizmente não deu pra se organizar e ir no horário do trem (imagine que experiência surreal não dever ser hehe). Foi outro lugar que eu gostei bastante de visitar em Hanoi.

E para finalizar, não poderia deixar de mencionar uma das experiências gastronômicas mais incríveis que eu já tive na vida. A culinária vietnamita é muito gostosa e lá em Hanoi encontramos o restaurante vegetariano Sadhu. Ele é no estilo all you can eat, você paga um valor x e come o quanto quiser. Ficamos lá, sem brincadeira, umas 2 horas comendo. Foi maravilhoso demais! Você escolhe pratos do cardápio e eles vão trazendo várias pequenas-médias porções. Dá pra sempre ir pedindo pratos novos ou pedir novamente os seus favoritos. Eu me acabei em comer, provei muita coisa diferente e gostosa, deu pra mergulhar mesmo na culinária local vegetariana. O ambiente do restaurante tem como foco a calma. A decoração e a música de fundo com aqueles bowls tibetanos passam uma tranquilidade enorme. Realmente uma experiência maravilhosa.

Só de escrever fiquei com vontade de pegar o primeiro voo para Hanoi e ir comer nesse lugar de novo. Salivei aqui de lembrar.

Eu amei muito conhecer Hanoi, foi uma experiência muito legal conhecer um lado mais tradicional do país. E tinha muito mais ainda pra explorar nessa capital tão doida e fascinante. Antes o Vietnam era dividido em Vietnam do Norte e Vietnam do Sul, alguns museus de Hanoi (como o Vietnamese Women’s museum que visitamos) também vão ter suas versões do sul em Ho Chi Minh City (Saigon), que visitamos ao final da viagem e onde passamos a virada do ano de 2019-2020.

Cadê uma máquina do tempo pra fazer eu voltar pra esses momentos pré-pandemia e curtir muito mais do Vietnam de novo?

Comments

  1. Que delícia essas memórias, Taís! Minhas referências sobre o Vietnam são sobre a guerra, como umas fotos clássicas sobre o tema e a performance da Yoko e do John Lennon pedindo paz. Passear um pouquinho por lá através do teu olhar me faz ter esperança de que a guerra um dia vai acabar e tudo será reconstruído para que as pessoas voltem a viver em paz. Beijos!

  2. Amigaaa, que post lindo! Ai que saudade que eu tava de ler suas experiências por esse mundão! Tenho MUITA vontade de conhecer o Vietnam e se um dia eu conseguir ir, quero muito pegar todas as suas dicas, tipo esse museu e esse restauranteeee, aff!
    Dei muita risada quando disse sobre as motos, “atravessa que todo mundo desvia super rápido” hahahaha socorro!
    E essa rua do trem? Nossa, imaginar essas pessoas todos os dias retirando suas coisas para o trem passar… muito surreal…
    E suas fotos ficaram MARAVILHOSAS, como sempre.
    Feliz que você voltou a escrever, sei la, me deu uma esperança muito grande que esses tempos em que podemos andar livremente por aí possam retornar…

    Grande beijo!

  3. Oi Taís! Nossa, surreal demais pensar que estamos há dois anos nesse corona, impossibilitados de viajar… Muita saudade de fazer as malas e sair por aí, né? Demais essa sua viagem para o Vietnam ~ você sempre visita os melhores museus! E essa rua do trem? Que incrível, fiquei muito curiosa para ter essa experiência um dia. Beijos querida :*

  4. Estava com tantas saudades do seu blog <3
    Que grata surpresa entrar e ver suas fotos.
    Essa pandemia impossibilitou muita coisa, né? Até eu que não sou fã de viagens, fiz vários planos pra quando tudo amenizasse e espero de coração conseguir viajar pra algum lugar em breve rs

    Adorei ver sua viagem e experiência no Vietnam.. QUE FOTOS

  5. Que sensacional e que diferente visitar o Vietnam!! Achei super interessante 🙂
    E não sabia que lá tem tantas motos assim, wow!
    Achei doido isso do trem, fiquei imaginando a velocidade em que ele passa!!
    Fiquei curiosa pra saber mais sobre a culinária vietnamita, que post sensacional!!

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

© 2022 Nýr Dagur · by MinimaDesign