Meus causos com o Tinder na Islândia

É isso mesmo que vocês leram no título, esse blog acabou de ganhar um post sobre causos do tinder! Eu nunca… NUNCA na minha vida achei que estaria aqui publicando um troço desses, mas senta que lá vem história!

Um tempo atrás a Lari publicou um post contando dos tinder dates furados que ela teve aqui na Irlanda. Achei o post divertido e tinha falado pra ela que se um dia me der coragem, eu faria um dos meus. Mas né, nem levei isso muito a sério. Até que, com a Copa desse ano e o povo ficando doidinho pela beleza dos jogadores da seleção da Islândia, comentei no twitter sobre o tinder na terrinha do gelo e que ia fazer o post como sendo uma dica de viagem pra lá (kkkkkkkkk). E não é que levaram isso a sério mesmo? Recebi msgs no twitter, no instagram, todo mundo me cobrando esse post. Acho que definitivamente foi o post mais requisitado da história desse blog. Vocês, hein!

Mas chega de conversa fiada e vamos para os causos, porque cês tão aqui pra isso, né? haha ♥
Já avisando que, esse post tá gigantesco! Vocês pediram, agora aguentem (desculpa você que não pediu, não desista de mim).

A primeira vez que fui pra Islândia em 2014 eu estava indo sozinha livre leve y loca. Não fazia muito tempo que eu tinha desencanado de um ~relacionamento~ meio doido e essa viagem era exatamente pra eu respirar novos ares, focar só nesse sonho, esquecer do que tinha me feito mal. Eu nunca tive interesse algum em tinder, não sabia como fucionava direito e não dava muito a mínima. Daí uma amiga minha (alô, Vitória, tô falando com você), veio me visitar umas semanas antes da viagem e me falou pra eu baixar o tinder, que seria bom pra mim já que eu estaria sozinha e iria conhecer pessoas que moram ali.

Mas ainda assim, eu não tinha me convencido. Cheguei no hostel em Reykjavík e uma das primeiras coisas que ouvi de uma roommate foi: ”Omg, você precisa baixar o tinder agora, vai por mim”. E bem… aqui estamos com esses causos pra contar (tenham paciência porque eu não sei resumir!).

Meu objetivo era mesmo conhecer gente legal, que tivesse de bobeira e quisesse dar um rolê, me mostrar a cidade. Como a Islândia é um dos lugares mais seguros desse mundo, eu relaxei e resolvi dar uma chance. Eu queria conversar com islandeses, queria me enturmar, afinal de contas, esperei mais de 10 anos pra finalmente estar ali.

Obviamente, não vou falar o nome das pessoas envolvidas, serão mencionadas com os seus respectivos apelidos que eu mesma dei. SIMBORA!

CAUSO 1 – O TOUR GUIDE

O tour guide conheci na minha primeiríssima noite na Islândia. A internet do hostel tava bem ruim e não carregava as fotos das pessoas. Eu simplesmente ia lendo os perfis e os que me interessavam eu dava o like. Assim mesmo, porque eu não tava interessada em outras coisas, apenas em conversa (ô inocência hahaha). Deu match com o tour guide sem eu ver a foto dele, ficamos conversando pelo chat, ele era guia em Reykjavík e também era DJ. Achei ótimo porque ele sabia bem sobre a cidade e ainda curtia música. Quando fui sair pra comer alguma coisa e conectei a internet de novo, é que fui ver a foto da criatura – e não era uma criatura de se jogar fora não, viu? HAHA Oh Iceland ♥

Ele mandou msg dizendo que ele poderia passar no hostel depois pra me buscar, que um amigo dele trabalhava lá e poderiamos sair pra tomar uns drinks. Pensei: why not? Chegou esse homi com seus muitos metros de altura, eu morrendo de vergonha, mas fomos lá desbravar a noitchy. Logo no primeiro bar que a gente entra, ele dá de cara com uma ex, conversando com outra ex e falou que ali a gente não podia ficar. Ele ficou todo bolado, mas eu achei a situação hilária pra falar a verdade. O país é um ovo, todo mundo se conhece!

Seguimos pra outros bares. Conversamos sobre coisas da Islândia num geral e até então tava tudo ocorrendo bem. Fui me cansando e eu queria muito voltar pro hostel pra dormir, mas o amiguinho tinha outros planos. Ele me chamou pra dançar, pensei: vou rapidinho e dai vou me embora. Naquele vuco-vuco de gente na pixxxta, ele foi chegando perto, muito perto, eu ficando mei agoniada.. e dai ele me beijou. Não tinha rolado um clima entre a gente, mesmo que o papo todo até aqui tivesse sido legal. Foi uma coisa tão estranha, porque bem, eu não tava afim. Veio aquele climão da minha parte até que saimos do bar.

Lá fora eu disse que queria ir embora, que estava muito cansada e precisava dormir (o que era muito verdade). Mas ele claramente não captou a vossa mensagem e disse: vamos lá pra casa?

Eu não queria nem beijar o homi, quanto mais ir pra casa dele. Agradeci o convite (risos) e disse que preferia ir dormir lá no hostel mesmo, que era o meu primeiro dia lá e que depois poderíamos marcar outra coisa. Isso não aconteceu e eu nunca mais vi o tour guide, mas ele ainda vai aparecer aqui nesses causos de novo.

CAUSO 2 – O VIKING

Estava no ônibus voltando de um tour pela natureza islandesa (acho que era o meu terceiro dia) e ainda com algum tempinho pra matar até chegar em Reykjavík. O wifi ali era bom e resolvi abrir o tinder. Dessa vez vendo de fato as fotos das pessoas, meu dedo até doeu de tanto like que eu dei. HAHA eita povo bonito, meu Odin!

Deu match com algumas pessoas, dois deles em especial, a conversa acabou fluindo mais. Um morava em Reykjavík mesmo e o outro morava pros lados de Keflavík (que será o causo 3). O Viking perguntou se eu iria fazer alguma coisa e justamente naquela noite, eu iria ficar no bar do hostel com meus amigos de quarto, aí chamei ele pra se juntar com a gente e ele aceitou.

Nisso o tour guide me manda msg dizendo que tava indo pro bar do hostel também e se a gente poderia se encontrar. Eu queria cavar um buraco e sumir. Na mesa, conversando com as meninas (uma australiana e outra canadense), contei que meu tinder date anterior ía pra lá e o novo tinder date também (hahaha só na Islândia..). .. Elas tentaram me ajudar, eu inventei uma desculpa pro tour guide pra ele não ir, mas mesmo assim ele poderia aparecer lá a qualquer momento, já que o amigo dele trabalhava no hostel.

As meninas e eu rindo da minha situação, chega o Viking no recinto (também com seus muitos metros de altura) e fizemos 1 minuto de silêncio. As meninas me cutucaram ”é aquele ali?” e eu só soube dizer que sim. Fiquei lá de boca aberta porque o Sr. Viking era MUITO mais bonito pessoalmente e eu não sabia o que fazer com uma pessoa daquelas na minha frente. Ele se juntou a nós e foi muito divertido, todo mundo se deu super bem, mas depois de um tempo o bar já estava pra fechar. Era aniversário de uma das meninas e ele se ofereceu pra levar a gente pra outro lugar e continuar a comemoração.

Foi uma noite muito divertida, mas daí as meninas nos deram um ”perdido” falando que já estavam atrapalhando demais nosso date e aí só fui ficando cada vez mais neuvouusa. Tínhamos muita coisa em comum e rolou um super clima!

O pessoal do hostel ficou chamando ele de meu ~namorado islandês~ já que ficamos juntos até eu ir embora. Vivi muita coisa legal na minha primeira viagem por conta dele, experiências que eu não teria sozinha.O Viking me ajudou a dirigir  um pouquinho na neve, me levou pra conhecer uns cantos no porto que eu não teria acesso, ver áreas fora do miolo turístico etc.etc. Foi aqueles ~romances de viagem~ muito certeiro. Awn, itimalia

Aí chegou o dia de ir embora. Nos despedímos e não ficou muito uma coisa no ar de ”eaí, vamos nos ver de novo?”, pelo menos não dá parte dele. E eu fiquei com um sentimento de que ele foi até um pouco frio comigo. O que me deixou desapontada, visto o tanto de coisa legal que tínhamos passado e papos super íntimos de família que ele tinha me contado, mostrado fotos. etc. Deu a entender que ele queria sim me encontrar novamente durante nossos dias, mas na despedida foi algo meio estranho. Em um dos dias ele me contou que estava planejando uma viagem pra Paris pro show do AC/DC e por coincidência ou não, era um show que eu queria muito ir e tava cogitando a possibilidade dessa viagem (e mencionei isso pra ele).

Uns dias depois, mandei msg  perguntando sobre isso, porque eu iria comprar minha passagem e o ingresso do show (ele já tava com tudo certo). E aí ele me fala: “posso ser sincero? Eu não quero que você vá, digo, você pode ir, mas eu não sei se quero te encontrar, eu não quero tá ”preso” com ninguém, porque esse é o meu jeito. Eu não tenho costume de namorar e não gosto de ficar preso com ninguém”.

Pelo menos foi sincero, né? HAHAHA vida que segue

 

Feliz eu não fiquei (quem que fica com um pé na bunda desse hahaha), porque eu nunca tinha dado essa impressão pra ele de que ele ”tava preso comigo”. Não era como se eu tivesse pedindo o cara em namoro. Foi legal estar com ele, e para mim, seria legal também ter a cia dele pro show e pra essa viagem. No fim eu acabei desistindo de ir. Mas não guardei raivinha dele não e hoje em dia nós ainda temos contato, não com frequência, mas vez ou outra a gente se fala.

CAUSO 3 – O VIKING 2 (sou muito criativa nesses apelidos, fala aí)

O Viking 2 era o que deu match junto com o Viking. Ele morava em Keflavík (fora da capital) perto do aeroporto e nossas conversas eram muito legais. Criamos uma amizade de certa forma e ele tinha falado que antes de eu ir embora ele ia tentar me ver, nem que fosse lá no aeroporto. Eu tava lá no ~romance~ com o Viking e eu não lembro agora, mas eu acho que eu tinha comentado sobre isso com ele (até do fora que levei depois haha). No fim não deu muito certo da gente se ver mesmo, ele tava com muitas dores porque ele tinha pedras nos rins e não dava pra ele sair naquele estado, obviamente.

Depois que saí da Islândia não usei o tinder e as pessoas que eu tinha conhecido por ali eu adicionei no facebook (aguardem um bônus sobre isso no final). E assim foi que eu e o Viking 2 mantivemos contato, todo dia a gente se falava. Qualquer assunto rendia horas e quando menos percebi já estava toda apaixonadinha. Viking 2 era também muito bonito, cheio das tatuagens e começou a me bater um odio das pedras nos rins que atrapalharam um possível encontro.

Ele gostava muito de fazer caminhadas de madrugada, no friozão mesmo e ele me ”levava” junto com ele. Tirava foto do caminho, fazia umas selfies engraçadas e me mandava tudo em tempo real. Íamos conversando e ele parava pra me dizer se tinha aparecido alguma Aurora Boreal no caminho. Eu me sentia como se eu tivesse lá na Islândia com ele.

Nossas conversas evoluíram pro skype, nos falávamos por chamadas de voz e vídeo. Ele todo dia me ensinava islandês, ”conheci” a irmã dele, os sobrinhos…. e aí como dizem, foi só ladeira abaixo. Não dava pra negar que estávamos os dois gostando muito um do outro. Ele me convidou pra ir passar o verão na Islândia acampando pelo país. Olha a proposta que ele faz pra mim.. LOGO EU! Já tava movendo meus pauzinhos e planejando de fato voltar pra Islândia no verão, passar no mínimo umas 2 semanas. E assim fomos planejando!

Ele tinha voltado a morar com os pais dele depois de um termino e tinha me falado que estava olhando uns apartamentos pra ele se mudar. Parece coisa de doido, mas esse nosso ”relacionamento” tava tão intenso já, que ele tava cogitando de mudar pra um apartamento comigo. Eu fiquei meio assustada pra falar a verdade, mas o Viking 2 parecia bem sério, falava de mim pra família e estava olhando esses apartamentos, fazia planos.

Foram dois meses bem intensos, eu sofrendo de um lado e ele do outro, esperando esse tal verão. Longas conversas pelo skype e tudo mais. Nessa altura do campeonato eu já sabia muita coisa da vida dele. Inclusive os problemas de saúde. Ele ainda estava com as pedras nos rins, ele tinha sofrido um acidente de carro uns anos atrás que fez com que ele ainda sentisse dor nas costas (ele não podia ficar sentado por muito tempo ou carregar peso). Juntando isso ele também tinha depressão. Eu tentava ler e me informar sobre como ajudar e entendê-lo melhor. E assim nos aproximávamos ainda mais.  Até que um dia ele sumiu.

No dia anterior estava tudo ótimo, ele foi um fofo como sempre, nos falamos um monte e aí sumiu. Fiquei muito preocupada porque não sabia se ele tinha ido pro hospital, se aconteceu algo grave. Dois dias e nada. Até que mandei msg pra irmã dele. Ela disse que ele tinha tido uma crise, que ele gostava muito de mim, mas pra eu deixar ele vir falar comigo no tempo dele. Eu respeitei e foram dias e mais dias, semanas e semanas em silêncio. Depois de um tempo ele me mandou msg dizendo que só ficava deitado no quarto dele e que não queria falar com ninguém, nem com a família e nem comigo.  Doeu, sabe? Eu queria ajudar, eu queria fazer alguma coisa. Ele disse que quando se sentisse melhor me mandaria msg de novo. E assim NUNCA mais nos falamos.

Eu fiquei mal. Acabei me envolvendo muito mais do que esperava com aquela pessoa. Mas o que mais me deixou devastada foi o silêncio, ele me ignorar do jeito que fez. O Viking 2 era uma pessoa boa (era o que eu achava) e não passava pela minha cabeça ele me ver daquele jeito e não falar nada. Eu mandava altas mensagens pra ele, que sentia falta, que tava preocupada, que eu nem dormia por causa disso. Foi um inferno. Ele simplesmente lia TODAS as minhas mensagens e não respondia. Nem que fosse pra me mandar se fudê e pra eu parar de escrever pra ele,  eu já ficaria feliz, o que já seria bem melhor do que aquele silêncio todo. Ele nunca me bloqueou nem nada, assistia todos os meus snaps na época do snapchat e seguia sendo aquele fantasma, aquela sombra. Lembro que minha última msg pra ele foi dizendo que, mesmo que eu tivesse me machucado, eu não tinha raiva dele e que se um dia ele quisesse conversar comigo de novo, recuperar pelo menos nossa amizade, ele poderia me escrever numa boa. Obviamente ele nunca respondeu, nós nunca nos falamos e depois de um tempo ele atualizou o status de relacionamento dele pra namorando, marcando a menina e tals. ASSIM, ISSO MESMO.

O cara tava todo apaixonado, fazendo planos e dá uma dessas? Daí eu fiquei com raiva, mesmo que eu já tivesse bem e superado a história toda, achei ele um belo de um babaca no final das contas. Eu tinha dó, eu respeitei, eu achei que eu que deveria entender o lado dele porque ele tinha depressão, mas isso não é desculpa pra ele ter feito o que fez. E eu demorei pra entender isso, porque eu achava que não, que era isso mesmo e eu que tinha que ser mais compreensiva e aceitar tudo numa boa. Enquanto eu tava preocupada, sem dormir, ele provavelmente já tava em outra e não teve a pachorra de me avisar. Espero do fundo do coração que tenha dado certo com a menina e que ele não tenha sido um babaca com ela.

E pra mim? TAKK FYRIR ODIN.. HAHAHA QUE LIVRAMENTO

*** bônus

Como comentei, adicionei quem eu conheci no tinder no facebook, eu ia deletar o tinder e não tinha intenção nenhuma de manter contato com alguém por ali. E eis que veio a minha surpresa; adicionei o tour guide primeiro, depois o Viking e…. ah, pronto. Não é que os dois se conheciam? Risos nervosos! hahahaha
Eu nunca perguntei de fato o quão amigo eles eram ou se eles algum dia já se perguntaram como tinham eu entre os amigos em comum. Até pensei que o Viking tinha me dado o fora por causa disso, mas na verdade fo antes do episódio facebook. Imagina se o tour guide tivesse ido no bar do hostel aquela noite? Não quero imaginar. Essa Islândia é pequena demais, socorrorororo!

//

Esses foram meus causos com o tinder na Islândia. Apesar dos pesares eu não me arrependo de nada, vivi coisas maravilhosas e aprendi um monte de coisa também. Eu brinquei dizendo que seria uma dica de viagem, mas por favor, meninas, tomem sempre muito cuidado. ♥ A Islândia é um país super seguro, mas nem por isso vamos deixar nossa guarda totalmente baixa.

Se divirtam mesmo, se jogem no tinder desse país maravilhoso se vocês quiserem! (depois me contem!)

Ah, sintam-se a vontade pra compartilhar os causos de vocês também. Depois desse post super pessoal, quero saber tudo de vocês, vai contando aí, hahaha ♥

Comments

  1. Nunca usei Tinder! Tenho um relacionamento com o Robson a 9 anos! Hahahaha. Adorei ler as suas histórias! Você poderia contar mais histórias de viagens, não só de dates, eu iria adorar!
    XoXo

  2. HAHAHAHAHAHAHAHHA MELHOR POST DA HISTÓRIA
    Menina, meu sonho de vida qdo eu era mais nova era um romance de viagem tipo esse aí com esse Viking 1 hahahahaha…
    Que chato esse negócio do viking 2, hein? Eu imagino o quanto deve ter sido ruim saber que ele estava mal, não conseguir fazer nada e depois descobrir q ele já tinha superado e nem avisado.
    Tô rindo de vc falar de “país pequeno”… menina, aqui em BH eu tenho certeza absoluta que todo mundo já trocou saliva entre si por tabela… Já estive em várias situações com mais de uma pessoa que já fiquei/namorei no mesmo ambiente… Teve uma vez
    que eu estava em uma casa de shows esperando o João (meu namorado) e um cara chegou em mim, mega “oi gata, vc vem sempre aqui?” e eu dei um fora falando q tava esperando meu namorado… Aí o João chegou minutos depois, passamos pelo cara e o João parou pra cumprimentar ele, abraçou e tals… Fiquei totalmente sem entender e perguntei depois quem era: Era irmão da ex do João!!!! kkkkkkkkk

    • HAHAHAH minha nossa, Laura!!
      imagino tua cara quando soube disso.. é doido demais quando acontece essas coincidencias hahaha

  3. hahaha melhor post Taís! Adorei! Ri muito, mas fiquei meio decepcionada com o pessoal que parece meio frio com relacionamentos… mas pelo menos eles eram bonitos. Aqui no Brasil não tem essa opção haha

    • hahaha eu ri mto aqui com seu comentário, Claudia!
      E que bom que vc gostou do post, achei que tinha ficado meio méeh.. haha
      Beijos :*

  4. Chorei de rir “eu não sabia o que fazer com uma pessoa daquelas na minha frente”.
    Melhor post!
    Apesar dos pesares, foi válido pra conhecer pessoas de lá, ne?
    Achei fdp demais do V2 o que fez.
    Beijos!

    • hahaha mas foi mto assim que eu me senti! E foi legal mesmo pra poder conhecer pessoas por lá.
      Que bom que gostou do post, obrigada pelo comentário, Sara! :*

  5. Taís do céu, isso é que são causos do Tinder! Hahaha!
    E que pessoa iluminada você, selecionando os pretendentes pelos interesses, sem ver as fotos. Muito corajosa. Hahaha!

    Eu nunca usei Tinder. Quando começou essa “moda” eu já estava casadíssima, não deu nem pra “brincar”. 😉

  6. MEU DEUS TA, EU AMEI ESSE POST, SOCORRO HAHAHAHAHAHAHAHAHAH eu nunca usei o tinder, acredita? mas sempre me divirto com os causos das amigas, hahahahahahahah. que bom que você se divertiu com todas essas historias, e como no caso do viking1, acabou te ajudando a aproveitar ainda mais a viagem! sobre o vinking2: que babacaaaaaaaaaaaaaa! tipo, ok você não querer mais conversar com a pessoa e mudar de ideia, sabe? acho isso normal (embora seja meio bizarro isso acontecer do dia pra noite)… mas, custa avisar? falar a verdade e tal? achei muito mal caratismo da parte dele te deixar sem entender nada, super preocupada e tal. e ainda por cima, colocar que está em um relacionamento serio depois (aposto que deve ter voltado com a ex! já vi caras fazendo coisas desse tipo em situações assim). mas, enfim, né? o importante é que você se divertiu e aproveitou bastante a viagem! hahahaha

    • Siiim, super concordo Kah, apesar de achar bizarro uma pessoa mudar assim tão rápido, mas tá tudo bem não querer mais e se não for aquilo que vc realmente quer, mas né, avisar, jogar a real com o outro é o minino, né?
      Mas sim, aproveitei e me diverti um monte no fim das contas haha
      🙂

  7. AI QUE POST INCRÍVEL! HAHAHA Miga quanto trabalho esses vikings te deram hien nossa senhora hahhahaha mas que saco esse último, de sumir, criar expectativase puff sumir =((( que bom que agora voce tem seu boy. queria que minhas historias de tinder fossem fofas, mas é uma zuera atras da outra hahaha

    • hahaha pois é, deram um trabalhinho mesmo! mas o lance de sumir foi o pior de todos 🙁
      E minha nossa, Cí, trate de contar essas zueiras aí tb haha
      Beijos ;*

  8. Hahahhaha aaaah meu Deus! Eu ri muito com esse post… Mas até chegar na parte do viking 2, parei de rir… Aff que babaca sem noção. Aí parei pra pensar e na verdade todos foram um pouco babacas né? Hahaha será que os islandeses são todos assim, descompromissados?

  9. mas gente, eu to rindo porém com respeito desses vikings doidos. galera aí não tem muita cordialidade para terminar com as coisas não ein? mas de longe o viking 2 foi o mais nada a ver…

    desde que existe smartphone e apps eu namoro, aí nunca vivi a fase tinder, vou só acompanhando as migas e opinando nos matchs alheios haha

    bjoo :*

  10. Meu Deus, Taís, eu li os primeiros dois causos rindo muito porque MELHOR NARRAÇÃO POSSÍVEL! Ainda mais com a revelação no final de que os dois se conheciam. Hahahahahaha. O Viking número 2 certamente babaca demais, custa nada um closure na relação, né?

    E só aproveitando pra dizer que amei o layout novo do blog. ♡

    • Ai Luiza ♥ sua fofa, obrigada! haha
      E não é, menina.. que custa pelo menos avisar, conversar numa boa? hahaa nunca entenderei

  11. Amei ler todas essas histórias, sério! Às vezes eu acho que meus problemas amorosos só acontecem aqui na minha cidade, mas o fato é que em todo lugar do mundo podemos nos deparar com caras mal resolvidos (como o viking #2, confesso que já vivi algo um pouquinho semelhante com quem não dá sinal de vida).
    Quase não uso o Tinder aqui no Brasil, mas quando fui pra Atlanta eu baixei, e foi bem divertido, os caras pareciam – estranhamente -, mais simpáticos e abertos que os brasileiros pra conversar.

    • Sim, Ana.. causos doidos amorosos com o tinder ou não acontecem em todo lugar.. e infelizmente babacas tão em todos os cantos do mundo 🙁

  12. hahahaha, eu ri muito, mas eu te digo, tinder é uma desgraça, tô com ódio desse app hahaha, homem é babaca em qualquer lugar do mundo, me vi nesse seu causo do viking 1, eu acho que eles pensam que a gente quer casar com eles, Deus me livre, no meu caso eu só quero ter companhia no local. Mesmo assim vou me aventurar a usar o app no Canadá! Beijos e faça mais posts desse tipo! E só complementando, o blog tá lindo, tudo! O layout tá incrível! <3

    • hahaha ai Flavia.. boa sorte com o tinder no Canadá então, me conta depois como foi, mulher! haha
      E obrigada, fico feliz que tenha gostado.
      Beijo :*

  13. Eu fui lendo e torcendo pelo viking number 1 e até imaginando as coisas dahora que vocês fizeram juntos, mas aí me aparece o number 2 e mesmo sabendo que no fim das contas não deu certo (porque caso contrário não existiria o boy atual) fiquei com um tantinho de esperança que vocês tivessem vivido um belo romance. Que decepção esse viking 2 viu! Nunca usei o Tinder, nem sabia como funcionava pra ser honesta. Mas que bom que esses romances passageiros renderam esse post, porque ele tá demais hahaha <3

    • hahaha obrigada, Ana!
      É infelizmente não rolou uma história tão legal assim com o Viking 2, mas agora que tudo já passou foi legal a experiência no sentido de conhecer um pouco mais dos islandeses e aprender um pouco de islandes com ele tb (temos que olhar o ponto positivo da coisa, né? hahaha)
      beijos, Ana :*

  14. genteee chorei com esse post vida real! kkk
    eu conheci meu namorado/noivo através do tinder, e quando eu costumava viajar sozinha o app ainda não existia (ou existia e eu não conhecia!). uma pena, pq eu certamente teria usado também! hahaha

  15. que post meus amigos <3

    adorei a sinceridade das historias hahaha sempre falo que vou contar meus causos de viagem, mas da vergonha (tenho umas cabulosas gahaha)

    mas destaque eapecial pros gifs de queer eye *—-*

  16. Eu nunca usei o Tinder, mas já ouvi casos bizarros de amigas e outros bem legais também, adorei os apelidos e fiquei meia puta da vida com o Viking 2, já tive experiência não de paquera ou relacionamento, mas de amizades online que do nada sumiram e a gente fica nessa vibre horrível de será que fiz algo e tudo mais, contudo é só a pessoa do outro lado sendo bem tosca mesmo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

© 2018 Nýr Dagur · by MinimaDesign