Valle Sagrado de los Incas

Acordamos cedo e atrasados, deixamos nossas malas no ‘depósito’ do hostel e saímos correndo com  para não perdermos o tour. Chegando lá, nos separamos e fomos com o grupo de inglês, foi bem mais tranquilo! Os grupos de espanhol sempre estavam lotados de gente.

Em um único e proveitoso dia você conhece bem o Valle Sagrado.
A primeira parada foi em um lugar que eu não sei o nome, mas tinha um cercadinho cheio de lhamas, algumas alpacas perdidas no meio e um cabritinho de bônus. Imaginem minha felicidade.
_mg_6524

As lhamas foram domesticada pelos incas e é um animal sagrado no Peru.
mochilao-703 mochilao-697 mochilao-696 mochilao-695 mochilao-694 mochilao-691 mochilao-689 mochilao-688 mochilao-687
Depois do encontro com essas fofurices, nossa próxima parada foi em  Pisaq o ponto de partida de vários passeios pelo Valle. Cidade pequena e muito bonita, com uma parte inca e outra colonial.

mochilao-707 mochilao-708_mg_6535_mg_6550_mg_6559mochilao-719mochilao-714 _mg_6568 Fizemos umas paradas em outros lugares também, para comer, compras etc..
O último destino foi Ollantaytambo, considerada a mais bem preservada cidade inca da região e infelizmente não conseguimos muitas fotos de lá.

Quando estávamos subindo começou a chover um pouco e a nossa capa de chuva tinha ficado no ônibus.  Época de verão é recomendável levar capa de chuva para os passeios do Valle, costuma chover muito. Como eu já não estava super 100% de saúde, com tosse e um pouco resfriada, voltamos e ficamos esperando o grupo. Eu encararia a chuva em outra ocasião, mas estávamos indo conhecer um dos lugares mais sensacionais do planeta (Machu Picchu), nada podia dar errado e ficar mais doente não seria nada bom. Depois que descemos tudo a chuva parou, legal né Arrrrghhh? ¬¬
_mg_6582 mochilao-724

Depois, passamos umas boas horas na estação de Ollantaytambo esperando nosso trem para Aguas Calientes. Cansados e ansiosos para chegarmos logo.
_mg_6591 _mg_6600A viagem foi tranquila, não deu pra aproveitar a paisagem porque já estava escuro. Quando chegamos em Aguas, a mulher do hostel estava nos esperando na estação, ficamos em um quarto compartilhado com mais duas argetinas e um canadense meio perdido e engraçado.

O bom de dormir em Aguas Calientes é que você pode ir cedinho para o Machu Picchu (os ônibus começam a sair às 05:00 da manhã – MP abre às 06:00), se você for direto de Cuzco vai chegar com ~toda a galera~ e já vai pegar tudo bem cheio. Se você está no primeiro turno do Waynapicchu (explico no próximo post) como foi o nosso caso, você não tem outra escolha a não ser chegar cedo.
Todo mundo não demorou muito tempo pra dormir (menos o canadense que sumiu) acordar às 04 da manhã e depois aguentar o dia inteiro em MP não seria fácil, é bom ir bem descansado.
Ansiedade era pouco.

Comments

  1. Na verdade, melhor melhor mesmo é chegar pela Trilha Inca porque aí não tem ninguém mesmo lá dentro! 🙂

    Saudades de todos esses lugares. E quero uma lhaminha na minha casa!!! Hahaahaha!

  2. O que eu tenho para te dizer é: Que lugar lindo!!!
    E essas lhamas fofas 😀

    Te linkei no meu blog, espero que não se importe 😀

  3. Liiiindas fotos! Só me dá mais vontade de voltar por lá! 🙂

    Não teria reparado no cachorro fofo tomando um banho de sol se não fosse a legenda da foto! 😛

    ;*

  4. Inveja total e declarada! Não sei porque mas sempre achei muito interessante o Peru e é um dos únicos países da América do Sul que eu tenho vontade de conhecer…. Deve ser um sonho!
    Louca pra ver mais fotos e explicações, pra quem sabe num futuro eu já ter uma ideia de como passear por ai.
    Adorei as fotos! Tudo muito lindo! Muito muito muito! Que paisagem incrível… Que a viagem tenha sido (ou esteja sendo) ótima! Beijos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

© 2018 Nýr Dagur · by MinimaDesign